BREVE CARTOGRAFIA DA DISCUSSÃO SOBRE FAMÍLIA

Autores

  • Vanessa Miranda Gomes da Silva UFRJ

DOI:

https://doi.org/10.26512/ser_social.v15i32.13040

Palavras-chave:

Trabalho com famílias, Serviço social, Proteção social

Resumo

O presente artigo apresenta o denominado “estado da arte” acerca do debate sobre família. Seu desenvolvimento foi realizado com base no levantamento das publicações abrigadas na base SciELO e nas revistas não indexadas da área do Serviço Social, de circulação nacional. Constatou-se que o interesse pela temática família aumentou nos últimos anos, tendo sua abordagem concentrada nos impactos da transformação social na família, sobre a sua relação com o Estado e sua centralidade nas políticas e programas sociais, e sobre as concepções e atribuições utilizadas no cotidiano profissional. Contudo, pelo fato de a família fazer parte do cotidiano de todas as pessoas, a discussão sobre a prática profissional permanece secundarizada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALENCAR, M. M. T. de. Família no Brasil dos anos 90: a precariedade nas condições de vida e de trabalho. Em Pauta, Nº 16, p. 65-78, Jan-Jun/2000.

ÁLVARES, L. de C. e FILHO, M. J. O Serviço Social e o trabalho com famílias. Serviço Social & Realidade, V. 17, Nº 2, p. 9-26, 2008.

AMAZONAS, M. C. L. A & BRAGA, M. G. R. Reflexões acerca das novas formas de parentalidade e suas possíveis vicissitudes culturais e subjetivas. Ágora, V.9, Nº 2, p. 177-191, Jul/Dez 2006.

BELLINI, M. Y. B. A família como metáfora da fraternidade. Textos & Contextos, Nº 1, ano I, Novembro/2002.

BIELEMANN, V. L. M. et al. A inserção da família nos centros de atenção psicossocial sob a ótica de seus atores sociais. Texto Contexto Enfermagem, V. 18, Nº 1, p. 131-139, Mar/2009.

BRANT, M. do C. A proteção social destinada à s famílias brasileiras. Serviço Social & Sociedade Nº 42, p. 68-77, Agosto de 1993.

CALDERÓN, A. I. e GUIMARÃES, R. F. Família: a crise de um modelo hegemônico. Serviço Social & Sociedade Nº 46, p. 21-34, Dezembro de 1994.

CAMPOS, M. S. e MIOTO, R. C. T. Política de Assistência Social e a posição da família na política social brasileira. Ser Social, V. 5, Nº 12, p. 165-190, Jan/Jun 2003.

CAMPOS, M. S. e TEIXEIRA, S. M. Gênero, família e proteção social: as desigualdades fomentadas pela política social. Katálysis, V. 13, Nº 1, p. 20-28, 2010.

CARLOTO, C. M. Políticas públicas, gênero e família. Serviço Social em Revista, V.5, Nº 1, Jul/Dez 2002.

CARMO, O. A. do e FILHO, M. J. Da família pensada à família vivida. Serviço Social & Realidade, V. 13, Nº 1, p. 55-70, 2004.

CARVALHO, M. C. B. Políticas públicas voltadas para a família: tendências e desafios. O Social em Questão, Nº 14, p. 41-52, 2º Semestre de 2005.

CARVALHO, I. M. M. & ALMEIDA, P. H. Família e Proteção Social. São Paulo em Perspectiva, V. 17, Nº 2, p. 109-122, Jun/2003.

CASSAB, L. A. e FANTE, A. P. Convivência familiar: um direito à criança e adolescente institucionalizado. Textos & Contextos, V. 6, Nº 1, 2007.

CASTRO, M. M. de C. Políticas sociais e família. Libertas, V. 8, Nº 2, Jul/Dez 2008.

CERQUEIRA, M.; FIGUEIREDO, D.; MATOS, A.; PIRES, S. e SOUZA, L. Os problemas das famílias multiproblemáticas: comparação da perspectiva dos profissionais e das próprias famílias. Serviço Social & Sociedade Nº 76, p. 143-164, Novembro de 2003.

DA SILVA, I. L. R.; DA SILVA, S. B. Direito da criança e do adolescente à convivência familiar e comunitária: algumas reflexões. O Social em Questão, Nº 14, p. 31-40, 2º semestre de 2005.

DE LIMA, A. F. C. & SERRANO, S. A. Guarda compartilhada: aspectos teóricos. Serviço Social em Revista, V. 12, Nº 2, Jan/Jun 2010.

FARINELLI, M. R. & MENDES, S. L. de M. Adoção por homoafetivos. Serviço Social & Realidade, V. 17, Nº 1, p. 187-202, 2008.

FERNANDES, M. C. T. & DA SILVA, M. A. B. Família: novas demandas, novos desafios profissionais. Cadernos do Serviço Social, Nº 24, p. 41, 2004.

FILHO, M. J. A família como espaço privilegiado para a construção da cidadania. Serviço Social & Realidade, V. 8, Nº 1, p. 129-150, 1999.

FRANÇOSO, M. de F . de C. Algumas considerações sobre o trabalho do Serviço Social com famílias. Cadernos do Serviço Social, Nº 8, p. 7-11, 1996.

GUEIROS, D. A. Família e trabalho social: intervenções no âmbito do Serviço Social. Katálysis, V. 13, Nº 1, p. 126-132, Jan/Jul 2010.

LEITE, M. A. da C. Modificação da estrutura sócio-econômica do Brasil e seus reflexos na vida familiar. Debates Sociais, Nº 56, p. 59, 1º semestre de 1996.

MARCON, S. S. et al. Produzindo conhecimento sobre família: a contribuição da enfermagem do Sul do Brasil. Acta Paulista de Enfermagem, V.19, Nº 1, p. 21-27, Março/2006

MIOTO, R. C. T. Família e saúde mental: contribuições para reflexão sobre processos familiares. Katálysis, V. 0, Nº 2, p. 20-26, 1998.

MIOTO, R. C. T. Família, Trabalho com famílias e Serviço Social. Serviço Social em Revista, V. 12, Nº 2, p. 163-176, Jan/Jun 2010.

MIOTO, R. C. T. Para que tudo não termine como um “caso de família”: aportes para o debate sobre a violência doméstica. Katálysis, V. 6, Nº 1, p. 96-103, 2003.

MONTALI, L. Relação família-trabalho: reestruturação produtiva e desemprego. São Paulo em Perspectiva, V. 17, Nº 2, p. 123-135, Jun/2033.

MORGADO, R. Família(s) e relações de gênero. Praia Vermelha, Nº 5, p. 190-215, 2º semestre de 2001.

NAVARINI, V. & HIRDES, A. A família do portador de transtorno mental: identificando recursos adaptativos. Texto & Contexto - Enfermagem, V. 17, Nº 4, p. 680-688, Dez.2008.

NEVES, M. de S. e NASSIF, A. C. A precarização do trabalho no Brasil e os seus rebatimentos no cenário familiar: as marcas históricas da violência. Serviço Social & Realidade, V. 18, Nº 1, p.147-166, 2009.

NOGUEIRA, M. J. P.; SARTÓRIO, L. V. dos A.; VEIGA, E. C. R.; ARAÚJO, R. do S. S.; MIRANDA, H. N. de. Trabalho com famílias ”“ em busca de um modelo. Cadernos do Serviço Social, Nº 11, p. 21-49, 1997.

PEREIRA, P. A. P. Desafios contemporâneos para a sociedade e a família. Serviço Social & Sociedade Nº 48, p. 103-114, Ago. 1995.

PETTENGILL, M. A. M. & ANGELO, M. Vulnerabilidade da família: desenvolvimento do conceito. Latino-Americana de Enfermagem, V. 13, Nº 6, p. 982-988, Dez. 2005.

REICHENHEIM, M. E. et al. Co-ocorrência de violência física conjugal e contra filhos em serviços de saúde. Revista Saúde Pública, V. 40, Nº 4, p. 595-603, Ago. 2006.

SALES, M. A. Famílias no Brasil e no Rio de Janeiro ”“ alguns indicadores e indicativos para a formulação de políticas sociais. Em Pauta, Nº 11, p. 177-203, Dez. 1997.

SANTOS, A. C. de A.; CAVALCANTI, C. P. N.; SOARES, F. C.; RODRIGUES, J. P. E a família, como vai? Um olhar sobre os programas de transferência de renda no Brasil sob a ótica da família. Praia Vermelha, Nº 18, p. 30-45, 1º semestre de 2008.

SIGNORINI, H. & MARQUES, M. A. B. Infância e violência doméstica: uma discussão acerca da intervenção na família. O Social em Questão, Nº 6, p. 51-68, 2º semestre de 2001.

SONEGO, C.; MUNHOZ, D. E. N. Violência familiar contra crianças e adolescentes: conceitos, expressões e características. Emancipação, V. 7, Nº 1, 2007.

TAKASHIMA, G. M. K. O desafio do Serviço Social na construção da cidadania: criança, adolescente e família. Katálysis, V. 0, Nº 2, p. 29-40, 1998.

TOLEDO, L. R. Di M. C. A família contemporânea e a interface com as políticas públicas. Ser Social, V. 9, Nº 21, p. 13-44, Jan/Jun 2007.

VILHENA, J. de. Da família que temos à família que queremos. A família como base de apoio. O Social em Questão, Nº 7, p. 45-62, 1º semestre de 2002.

VITALE, M. A. F. Famílias monoparentais: indagações. Serviço Social & Sociedade Nº 71, p. 45-62, 2002.

WAGNER, A. & LEVANDOWSKI, D. C. Sentir-se bem em família: um desafio frente à diversidade. Textos & Contextos, V. 7, Nº 1, p. 88-97, Jan/Jun 2008.

Downloads

Publicado

09/30/2013

Como Citar

MIRANDA GOMES DA SILVA, Vanessa. BREVE CARTOGRAFIA DA DISCUSSÃO SOBRE FAMÍLIA. SER Social, [S. l.], v. 15, n. 32, p. 185–210, 2013. DOI: 10.26512/ser_social.v15i32.13040. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/SER_Social/article/view/13040. Acesso em: 20 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos de Temas Livres