A Lei de Terras em Santa Catarina e a política fundiária imperial

a força do poder local pela Câmara Municipal de Lages e a Sociedade Lageana para Beneficiar e Exportar Erva-mate

  • Flávia Paula Darossi UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: História da Propriedade, História Agrária

Resumo

A análise da estruturação da burocracia imperial e sua natureza política relacionada à execução da Lei de Terras possibilita que compreendamos a forma como demandas específicas relacionadas a questões fundiárias puderam ser agenciadas e favorecidas a curto, médio e longo prazo no Império do Brasil entre 1854 e 1889. Tomo por objeto de estudo a província de Santa Catarina e notadamente a região do Planalto, correspondente à municipalidade de Lages no século XIX.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Anais do Parlamento Brasileiro. Câmara dos Deputados. Quarto ano da oitava legislatura. Sessão de 1852. Tomo I. Rio de Janeiro: Tipografia de H. J. Pinto, 1877.
Anais do Senado do Império do Brasil. Ano de 1846. Livro I. Disponível no sítio do Senado Federal . Acesso em: 15/01/2018.
APESC. Ofícios das câmaras municipais para presidência da província. Lages. Livro 1854.
APESC. Ofícios das câmaras municipais para presidência da província. Lages. Livro 1862.
APESC. Ofícios das subdelegacias de polícia para presidente de província. Livro 1863.
APESC. Ofícios das câmaras municipais para presidência da província. Lages. Livro 1883.
BIANCHINI, Susana Scóss. Recordando São Joaquim. Florianópolis: Ed. da Aurora, 1986.
BRANDT, Marlon.; SAMPAIO SILVA, Naiara. A coleta de erva-mate pela população cabocla do vale do Rio do Peixe e Oeste de Santa Catarina: apropriação privada e rupturas. Sociedade & Natureza, Uberlândia-MG, v. 26, n. 3, 2014.
BRASIL, Lei nº. 601, de 18 de Setembro de 1850.
CARVALHO, José Murilo de. A política de terras: o veto dos barões. In: A construção da ordem: a elite imperial; Teatro das sombras: a política imperial. 2 ed. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, Relume-Dumará, 1996.
CHRISTILLINO. Cristiano L. Litígios ao sul do Império: a Lei de Terras e a consolidação política da Coroa no Rio Grande do Sul (1850-1880). Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal Fluminense, Programa de Pós-graduação em História, Niterói, 2010.
COELHO, Manoel J. A. Memória Histórica da Província de Santa Catarina. Desterro: Tipografia Desterrense de J. J. Lopes, 1856.
CONGOST, Rosa. Tierras, Leyes, Historia: estudios sobre la gran obra de la propiedad. Barcelona: Crítica, 2007.
Dicionário Enciclopédico ou Novo Dicionário da Língua Portuguesa para uso dos portugueses e brasileiros. 4ª Edição, vol.1. Lisboa: Francisco Arthur da Silva, 1874.
Descrição topográfica do mapa da Província de Santa Catarina organizada na Comissão do Registro Geral e Estatística das Terras Públicas e Possuídas sob a presidência do Conselheiro Bernardo Augusto Nascentes de Azambuja. Rio de Janeiro, Imprimerie Impériale, 1874.
GERHARDT, Marcos. História ambiental da erva-mate. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de filosofia e Ciências Humanas Programa de Pós-graduação em História, Florianópolis, 2013.
MACHADO, Paulo Pinheiro. Lideranças do Contestado: a formação e a atuação das chefias caboclas (1912-1916). Campinas: Editora da UNICAMP, 2004.
Museu Histórico Thiago de Castro. Lançamento das casas e terrenos que pagam aforamento.
O Argos da província de Santa Catharina. Desterro. Número 254, fev. 1858. Acervo da Biblioteca Nacional Digital. Hemeroteca digital, seção periódicos http://bndigital.bn.gov.br/hemeroteca-digital/
O Conservador. Desterro. Ano III, nº 241, jul. 1854.

O Correio Oficial de Santa Catarina. Desterro. Ano I, nº 47, p. 02, mai. 1861. Acervo da Biblioteca Nacional Digital. Hemeroteca digital .

SANTA CATARINA, Fala que o presidente da província de Santa Catarina o marechal de campo Antero José Ferreira de Brito dirigiu à Assembleia Legislativa da mesma província no ato da abertura de sua sessão ordinária em 1º de março de 1848. Tipografia da cidade de Desterro, 1848.

SANTA CATARINA, Relatório do presidente da província de Santa Catarina Exm. Sr. Dr. João José Coutinho em 19 de abril de 1854. Desterro: Tipografia Catarinense, 1854.
SANTA CATARINA, Fala que o Exm. Sr. Dr. João José Coutinho Presidente da Província de Santa Catarina dirigiu à Assembleia Legislativa Provincial no ato da abertura de sua sessão ordinária em 1º de março de 1855. Desterro: Tipografia do Correio Catarinense, 1855.
ZARTH, Paulo Afonso. Do arcaico ao moderno: o Rio Grande do Sul agrário do século XIX. Ijuí: Ed. Uniijuí, 2002.
Publicado
2018-11-16
Como Citar
Darossi, F. (2018). A Lei de Terras em Santa Catarina e a política fundiária imperial. História, Histórias, 6(12). https://doi.org/10.26512/hh.v6i12.19263