Sobre o 'Colocar em Questão' na Filosofia de Foucault: Relação entre Transcendental, Historicidade e Experiência

Palavras-chave: Foucault. Kant. Transcendental. Historicidade. Experiência.

Resumo

Este artigo propõe uma reflexão sobre o ‘colocar em questão’ na filosofia de Foucault. Nesse sentido, a interpretação a Kant feita por Foucault auxilia a entender como seu pensamento ‘coloca em questão’ uma pergunta que forneça um referencial de pesquisa. Para tanto, faz-se necessário apresentar as bases da filosofia de Kant e a maneira como Foucault as interpreta. Com isso, pode-se entender melhor as pontuações feitas por Béatrice Han e elaborar um argumento sobre o ‘colocar em questão’ na filosofia de Foucault. Assim, a questão kantiana: “o que é o Homem?” se encontra transformada pela questão de Foucault: “quem somos nós?”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jefferson Martins Cassiano, Universidade de Brasília, UnB

Doutorando em Filosofia pela Universidade de Brasília (UnB). Mestre em Filosofia pela UnB, e licenciado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-CAMP). Formação complementar pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) como Estudante Especial. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Ética, Filosofia Política, Pensamento Crítico, Epistemologia das Ciências Humanas e Antropologia Filosófica.

Referências

ADORNO, T.; HORKHEIMER, M. Dialética do Esclarecimento. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 1985.

CUSSET, F. Filosofia francesa: a influência de Foucault, Derrida, Deleuze & cia. Porto Alegre: Editora Artmed, 2008.

FOUCAULT, M. Les mots et les choses: une archéologie des sciences humaines. Paris: Éditions Gallimard, 1966.

FOUCAULT, M. L’Archéologie du savoir. Paris: Éditions Gallimard, 1969.

FOUCAULT, M. Surveiller et punir: naissance de la prison. Paris: Éditions Gallimard, 1975.

FOUCAULT, M. Dits & Écrits. volumes/tomos I, II, III, IV. Paris: Éditions Gallimard, 1994.

FOUCAULT, M. Le gouvernement de soi et des autres: cours au Collège de France 1982-83. Paris: Éditions Gallimard; Éditions du Seuil, 2008.

FOUCAULT, M. “Thèse Complémentaire pour le doctorat”. Genèse et structure de l’Anthropologie de Kant. Paris: Vrin, 2008. Disponível em: https://michel-foucault.com/links/kant.pdf. Acessado em: Dez/2017.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. Aula inaugural no Collège de France. 22ª ed.. Trad. de Laura Fraga de Almeida Sampaio. São Paulo: Editora Loyola, 2012.

GROS, F. “Foucault e a questão de quem somos nós?”. Tempo Social, Universidade de São Paulo, n° 1-2, vol. 07, pp.175-178, 1995.

GUTTING, G. “Review of Béatrice Han’s Foucault’s Critical Project”. Notre Dame Philosophical Reviews, May 2003. Disponível em: http://ndpr.icaap.org/content/archives/2003/5/gutting‐han.html. Acessado em: Dez/2017.

HAN, B. L’ontologie manquée de Michel Foucault: Entre l’historique et le transcendantal. Collection Krisis. Grenoble: Editions Jérôme Millon, 1998.

HAN, B. “Is early Foucault a historian? History history and the Analytic of finitude”. Sage Journal, Philosophy and Social Criticism, vol. 31, n° 5-6, pp.585-608, 2005.

HAN, B. Reply to Gary Gutting’s review of Foucault’s Critical Project: Between the Transcendental and the Historical. Disponível em: http://privatewww.essex.ac.uk/~beatrice/Gutting_answer_2003‐05.pdf. Acessado em: Dez/2017.

HAN [PILE], B. “Death of man: Foucault and the anti-humanism”. In: O’LEARY, T.; FALZON, C. Foucault and philosophy. Chichester: Wiley-Blackwell, pp.119-41, 2010.

KANT, I. Prolegómenos a toda a metafísica futura (que queira se apresentar como ciência). Trad. de Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 1987.

KANT, I. Antropología en sentido pragmático. Trad. de José Gaos. Madrid: Alianza Editorial, 1991.

KANT, I. Crítica da razão pura. Trad. de Alexandre Fradique Morujão. Lisboa: Fundação Calouste Gulbekian, 2001.

KANT, I. Crítica da faculdade do juízo. Trad. de Valério Rohden; António Marques. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.

KANT, I. “Resposta à pergunta: o que é Esclarecimento [Aufklärung]”. In: Textos seletos. Trad. Danilo Marcondes. Petrópolis: Editora Vozes, 2013.

KELLY, M. “Review of Béatrice Han’s Foucault’s Critical Project”. Foucault Studies, n° 01, pp.92-97, 2004.

KOOPMAN, C. “Historical Critique or Transcendental Critique in Foucault: Two Kantian Lineages”. Foucault Studies, n° 08, pp.100-121, 2010.

KRAEMER, C. Ética e liberdade em Michel Foucault: uma leitura de Kant. São Paulo. 288 fls. Tese de Doutorado em Filosofia. Universidade de São Paulo (USP), Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, 2008.

LACAN, J. Le Séminaire livre XI: Les quatre conceptes fondamentaux de la psychanalyse. Paris: Éditions du Seuil, 1973.

LEBRUN, G. “Notes on phenomenology in Les mots et les choses”. In: ARMSTRONG, T. J. (org.) Michel Foucault philosopher. New York: Harvest Wheatsheaf, pp.20-35, 1992.

MILLER, J. La pasion de Michel Foucault. Santiago de Chile: Editorial Andres Bello, 1995.

O’LEARY, T. “Foucault experience literature”. Foucault Studies, n° 05, pp.05-25, 2008.

PEREZ, D. O. “O significado de natureza humana em Kant”. Kant e-Prints, série 02, vol. 05, n° 01, pp.75-87, 2010.

REVEL, J. “O pensamento vertical: uma ética da problematização”. In: GROS, F. (org.). Foucault: a coragem da verdade. São Paulo: Editora Parábola, pp.65-87, 2004.

Publicado
2019-05-13
Como Citar
CASSIANO, J. Sobre o ’Colocar em Questão’ na Filosofia de Foucault: Relação entre Transcendental, Historicidade e Experiência. Revista de Filosofia Moderna e Contemporânea, v. 7, n. 1, p. 195-228, 13 maio 2019.