Proposta de uma Unidade de Ensino Potencialmente Significativa para Ensinar Física de Partículas por meio de Jogos de Cartas

Autores

  • Rafael Tereso de Jesus UNB
  • Ronni Geraldo Gomes de Amorim UNB

DOI:

https://doi.org/10.26512/rpf.v3i1.22573

Palavras-chave:

Ensino de Física. Aprendizagem significativa. UEPS. Modelo padrão. Partículas elementares. Jogos de cartas.

Resumo

O presente trabalho apresenta os resultados da produção e aplicação de uma sequencia didática fundamentada sob o formato de uma Unidade de Ensino Potencialmente Significativa (UEPS). O desenvolvimento e a aplicação das atividades presentes neste trabalho deram-se a luz da Teoria da Aprendizagem Significativa de David Ausubel, preconizando que aquilo que o aluno já sabe é a componente mais importante que sustenta o processo de aprendizagem. As partículas elementares foram tomadas como suporte para as situações-problema, atividades desenvolvidas e aplicação dos jogos de cartas que possibilitaram analisar o modelo padrão, sua constituição, os conceitos físicos envolvidos e discutir temas relacionados com a formação dos hádrons. A análise dos dados obtidos reforça a necessidade de inserir tópicos de Física Moderna e Contemporânea no Ensino Médio através de iniciativas alternativas ao ensino tradicional desses tópicos e reafirma a potencialidade da aplicação de jogos na educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ronni Geraldo Gomes de Amorim, UNB

Possui graduação em Física pela Universidade de Brasília(2003), graduação em Matemática pela Universidade Católica de Brasília(1999), mestrado em Física pela Universidade de Brasília(2006), doutorado em Física pela Universidade de Brasília(2009) e pós-doutorado pela International Centre of Condensed Matter Physics of University of Brasilia(2012). Atualmente é Professor Adjunto da Universidade de Brasília. Tem experiência na área de Física, com ênfase em Física -Matemática. Atuando principalmente nos seguintes temas:função de Wigner, grupos de Lie, produto de Weyl, operador-estrela.

Referências

AUSUBEL, D. P. Educational psychology: A cognitive view. Nova York, Holt, Rinehart and Winston Inc., 1968.

AUSUBEL, D.P.; NOVAK, J.D.; Hanesian, H. (1978). Educational psychology: a cognitive view. 2nd. ed. New York, Holt Rinehart and Winston.

______. Psicologia educacional. 2ed., Rio de Janeiro: Interamericana. 625p, 1980.

AUSUBEL, D. P. Aquisição e Retenção do Conhecimento: Uma perspectiva cognitiva. Platano. Rio de Janeiro, 2003. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_nlinks&ref=000156&pid=S1519-7077201100030000700008&lng=pt>. Acesso em: 11. Mar 2018.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Ministério da educação. Secretária da Educação Média e Tecnológica. Brasília, 1999.

_______. MEC. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. PCNs+ Ensino Médio: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília, 2002. 141 p.

BRUHNS, H. T., O jogo parceiro e o jogo adversário. 2ª ed. Campinas: Papirus, 1999.

CAVELLUCCI, L. C. B. Estilos de aprendizagem: em busca das diferenças individuais. Campinas: Ed. da Unicamp, 2003. Disponível em: <http://www.iar.unicamp.br/disciplinas/ am540_2003/lia/estilos_de_aprendizagem.pdf>. Acesso em: 20 mar. 2018.

_______. Mapas conceituais: uma breve revisão. [S.l.: s.n.], [2009?].

GONZALES,E. G.; ROSA, P. R. S. Aprendizagem significativa de conceitos de circuitos elétricos utilizando um ambiente virtual de ensino por alunos da educação de jovens e adultos. Revista Investigações em Ensino de Ciências ”“ IENCI, v. 19, n. 2, 2014. Instituto de Física. Universidade Federal do Rio Grande do Sul ”“ UFGRS. 2014. Disponível em: <https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/91>. Acesso em: 10 mar. 2018.

LEMOS, E. D. S. A aprendizagem significativa: estratégias facilitadoras e avaliação. Aprendizagem Significativa em Revista, v. 1, n. 1, p. 25-35, 2011. Disponível em: <http://www.if.ufrgs.br/asr/artigos/Artigo_ID3/v1_n1_a2011.pdf>. Acesso em: 11 mai. 2018.

MENEZES, L. C. (Coord). Parâmetros curriculares nacionais: ensino médio. Parte III Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília: Ministério da Educação, 1996. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/ciencian.pdf>. Acesso em: 01 mar. 2018.

MOREIRA, M. A. Mapas conceituais e aprendizagem significativa. Porto Alegre: UFRGS, 1997. Disponível em: <http://www.if.ufrgs.br/~moreira/mapasport.pdf>. Acessado em: 24 abr. 2018.

_______. Teorias de Aprendizagem. Editora Pedagógica Universitária, São Paulo, 1999.

_______. Partículas e Interações. Física na Escola. São Paulo. Vol. 5, n. 2 (out. 2004), p. 10-14, 2004. Disponível em: <http://www.sbfisica.org.br/fne/Vol5/Num2/v5n1a03.pdf>. Acesso em: 01 mar. 2018.

________. O Modelo Padrão da Física de Partículas. Revista Brasileira de Ensino de Física. [online]. 2009, vol.31, n.1, pp.1306.1-1306.11. ISSN 1806-1117. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1806-11172009000100006&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em: 09 mar. 2018.

________. Unidades de Ensino Potencialmente Significativas-UEPS. 2011. Disponível em: <https://www.if.ufrgs.br/~moreira/UEPSport.pdf>. Acesso em: 03 mar. 2018.

MOREIRA, M. A.; MASINI, E. F. S. Aprendizagem significativa. A teoria de David Ausubel. Ed. Centauro. São Paulo, 2001.

MOREIRA, M.A.; SOUSA, C.M.S.G. (1996). Organizadores prévios como recurso didático. Porto Alegre, RS, Instituto de Física da UFRGS, Monografias do Grupo de Ensino, Série Enfoques Didáticos, n° 5.

MOREIRA, M. A.; OSTERMANN, F. Teorias construtivistas. Porto Alegre: UFRGS, 1999.

NOVAK, J. D.; GOWIN, D. B. Aprendiendo a aprender. Barcelona: Martínez Roca, 1988. Disponível em: <http://www.terras.edu.ar/biblioteca/3/EEDU_Novak-Gowin_Unidad_1(1).pdf>. Acesso em: 30 mai. 2018.

OSTERMANN, F. e CAVALCANTI, C.J.H. (2001). Um pôster para ensinar Física de Partículas na escola. Física na Escola. v.2, n.1, p.13-18. Disponível em: <http://www1.fisica.org.br/fne/index.php/edicoes/category/36-volume-02-n-1-maio>. Acesso em: 11 mar. 2018.

________. Teorias de aprendizagem. Instituto de Física, Porto Alegre: Evangraf. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2011. Disponível em: <http://www.ufrgs.br/sead/servicos-ead/publicacoes-1/pdf/Teorias_de_Aprendizagem.pdf>. Acesso em: 31 mai. 2018.

RORATTO, C.; NOGUEIRA. C. M. I.; KATO, L. A. Ensino de Matemática, História da Matemática e aprendizagem significativa: uma combinação possível. Revista Investigações em Ensino de Ciências ”“ IENCI, v. 16, n.1, 2011. Instituto de Física. Universidade Federal do Rio Grande do Sul ”“ UFGRS. 2011. Disponível em: <https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/250/175>. Acesso em: 27 mai. 2018.

SIQUEIRA, M. R. P., Do Visível ao Indivisível: uma proposta de Física de Partículas Elementares para o Ensino Médio. 2006. 257f. Dissertação (Mestrado em ensino de Ciências) - Universidade de São Paulo. Instituto de Física e Faculdade de Educação. 2006. Disponível em: <http://sites.usp.br/nupic/wp-content/uploads/sites/293/2016/05/DissertMAXWELL.pdf>. Acesso em: 11 mar. 2018.

TERRAZZAN, E. A., A inserção da Física Moderna e Contemporânea no Ensino de Física na escola de 2º grau. Caderno Catarinense de Ensino de Física. Florianópolis, V.9, n.3, p.209-214, dez.1992. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/viewFile/7392/6785>. Acesso em: 11 mar. 2018.

Downloads

Publicado

2019-04-08

Como Citar

DE JESUS, R. T.; GOMES DE AMORIM, R. G. Proposta de uma Unidade de Ensino Potencialmente Significativa para Ensinar Física de Partículas por meio de Jogos de Cartas. Revista do Professor de Física, [S. l.], v. 3, n. 1, p. 47–84, 2019. DOI: 10.26512/rpf.v3i1.22573. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rpf/article/view/22573. Acesso em: 9 dez. 2022.