AS REPRESENTAÇÕES DAS MULHERES MASTECTOMIZADAS SOBRE O SEU CORPO “ALTERADO”

Autores

  • Sílvio Eder Dias da silva Faculdade de Enfermagem da UFPa
  • Francisca Elissandra Ribeiro dos Santos UFPa
  • Geziania Silva Soares UFPa
  • Marcela Barbosa Jaques UFPa
  • Nádia RIta Silva Pantoja UFPa
  • Rosiane Luz Cavalcante UFPa
  • Sintia Patrícia Silva Soares UFPa
  • Jeferson Santos Araújo USP/RP

DOI:

https://doi.org/10.18673/gs.v1i3.23820

Palavras-chave:

Artigos Originais

Resumo

Esta pesquisa se propôs analisar a representação da mulher mastectomizada sobre o seu corpo “alterado”, como ocorre o processo de aceitação do Câncer de mama e consequentemente, a mastectomia.Dessa forma utilizamos os trechos mais significativos dos depoimentos de vinte mulheres mastectomizadas, os quais se apresentaram como elementos para discussão teórica. Os materiais produzidos se constituíram em fontes primárias de dados consolidando assim, o relatório da pesquisa. Assim foram identificadas as seguintes categorias: Autoexame: conhecendo o próprio corpo e O estigma da doença. Neste último, surgiram as seguintes subunidades: Um Deus curador, Tratamento versus corpo e O corpo reformulado. Considerando que a sociedade evidencia que a forma do corpo feminino é mais valorizado quando é dito “perfeito”, perfeição da qual as mulheres mastectomizadas não são mais detentoras. Essa modificação acarreta um estado de incerteza, medo, conflito, depressão e aceitação, fatores que influenciam diretamente no tratamento das pacientes. Segundo as depoentes, no caso estudado, a aceitação pelos seus corpos mutilados após a cirurgia foi justificada através da religião.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Brasil. Ministério da Saúde. Instituto Nacional
do Câncer. Câncer de Mama disponível
em: http: //www.saude.gov.br [Acesso em 06
jul. 2007].
2. Ramos AS. Imagem Corporal da Mulher com
Cancro de Mama: Impacto na qualidade do
relacionamento conjugal e na satisfação
sexual. Análise Psicológica, 2005.
Revista Eletrônica Gestão & Saúde ISSN: 1982-4785 as representações das mulheres mastectomizadas...
Silva SE, Santos FE, Soares GS et al
602
Rev. Gestão & Saúde (Brasília) Vol. 01, n. 03, Out. 2017.
3. Odling-Smee. Câncer de mama. In: Spence
RAJ. Johnston PG. et al. Oncologia. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.
4. Silva S, Loureiro J, Sousa G. Psicoterapia de
grupo com mulheres mastectomizadas, 2004.
Disponível em: http://www.psicologia.com.pt
[acesso em 02 jul. 2007].
5. Le breton, D. Adeus ao corpo: Antropologia e
sociedade. 1ª ed. Campinas, SP: Papirus, 2003.
6. Regis MF, Simões MF. Diagnóstico de câncer
de mama, sentimentos, comportamentos e
expectativas de mulheres. Revista Eletrônica
de Enfermagem, v.07, n.01, 2005.
7. Ferreira MLSM, Mamede MV. Representação
do corpo consigo mesma após mastectomia.
Revista Latino Americano de Enfermagem.
Vol.11, no 3. Ribeirão Preto,2003.
8. Coberllini VL. Câncer de mama: encontro
solitário com o temor do desconhecido.
Revista Gaúcha Enfermagem. vol.22,n.1,p.42-
68,2001.
9. Gil AC. Métodos e Técnicas de Pesquisa
Social. 5º ed. São Paulo: Atlas, 2006.
10. Polit DF. Fundamentos de Pesquisa em
Enfermagem: métodos, avaliação e utilização.
5º ed. Porto Alegre: Artmed, 2004.
11. Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa:
Edições 70, 1977.
12. Strchl, Lydia. Revista Seleções. Ago. 2001, p.
43.
13. Picaró P, Perloiro F. A evidência da
intervenção precoce da fisioterapia em
mulheres mastectomizadas. EssFisioline, vol
1, n°2, março/2005.
14. Brenelli HB, Keppke EM, Torresan RZ,
Santos CC, Pinott JA, Influência da
reconstrução mamária imediata no prognóstico
de pacientes com câncer de mama localmente
avançado. Revista HCPA. ed. 21, 2001
Disponível em:
http://www.hcpa.ufrgs.br/downloands/revista
cientifica/2001/2001 [Acesso em 06 jul.2007].
15. Leal PR, Cammarota MC, Sbalchiero J, Carmo
OPA, Anlicoara R. Reconstrução imediata de
mama: avaliação das pacientes operadas no
Instituto Nacional de Câncer no período de
junho de 2001 a junho de 2002. Revista
brasileira de mastectomia vol.13. nº 4.Rio de
Janeiro,2003.
16. Schilder P. A imagem do corpo: As energias
construtivas da psique. São Paulo (SP):
Martins Fontes; 1994.
17. Muller MC, Frasson A, Kieling, Chana. A
prática do auto-exame das mamas em mulheres
de uma comunidade universitária. PsicoUSF,
dez. 2005, vol.10, no.2, p.185-190. ISSN
1413-8271.

Downloads

Publicado

31-10-2017

Como Citar

1.
da silva SED, dos Santos FER, Soares GS, Jaques MB, Pantoja NRS, Cavalcante RL, Soares SPS, Araújo JS. AS REPRESENTAÇÕES DAS MULHERES MASTECTOMIZADAS SOBRE O SEU CORPO “ALTERADO”. Rev. G&S [Internet]. 31º de outubro de 2017 [citado 25º de outubro de 2021];1(3):590-602. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/10394

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)