Você já foi a Portugal dos Pequenitos? Da fruição lúdico-educativa à reflexão (anti)colonial

Autores

  • Ana Clara Giannecchini Universidade de Brasília
  • Bárbara Ramalho Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais
  • Lúcia Helena Alvarez Leite Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.21057/10.21057/repamv14n1.2020.23560

Palavras-chave:

Portugal dos Pequenitos; colonização portuguesa; relação colonial; educação colonial.

Resumo

Portugal dos Pequenitos é um parque temático infantil localizado na cidade de Coimbra, Portugal. Trata-se de uma obra inaugurada durante o Estado Novo (1933-1974) visando a construção da identidade nacional portuguesa sob os pilares da história, da cultura e da valorização da dimensão civilizacional do império. É um espaço educativo fortemente frequentado por crianças quer acompanhadas de seus pais ou responsáveis ou por meio de visitas escolares. Com o objetivo de compreender, do ponto de vista de três mulheres latino-americanas, a forma pela qual o processo de colonização é concebido e, consequentemente, materializado e difundido no Parque, neste texto são analisadas narrativas e imagens presentes nas galerias do parque registradas pelas autoras durante uma visita ao local. Sob a ótica das teorias anticoloniais identificamos em Portugal dos Pequenitos uma narrativa eurocêntrica do projeto colonial português e, portanto, a difusão de uma distorcida versão da relação colonizador-colonizado para os seus visitantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ana Clara Giannecchini, Universidade de Brasília

Doutora pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília, mestre em arquitetura e urbanismo e arquiteta pela FAU/USP e especialista em gestão pública pela ENAP (Escola Nacional de Administração Pública). É arquiteta do Iphan e membro do grupo de pesquisa Cidades Possíveis e do LabeUrbe (Laboratório de Estudos da Urbe/UnB). Tem experiência na preservação do patrimônio cultural, especialmente nos temas: cidades históricas, projetos e obras de intervenção e restauro, e arquitetura e urbanismo do século XX.

Bárbara Ramalho, Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais

Doutora pela Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, mestre em educação e pedagoga pela FaE/UFMG. É docente na Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte e membro do núcleo Territórios Educação Integral e Cidadania (TEIA) da FaE/UFMG. Tem experiências na abordagem das desigualdades sociais e escolares especialmente nos temas: Educação Integral; organização e cultura escolar; e educação decolonial.

Lúcia Helena Alvarez Leite, Universidade Federal de Minas Gerais

Professora associada da Universidade Federal de Minas Gerais. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação e Movimentos Sociais, atuando principalmente nos seguintes temas: educação integral e integrada, educação indígena. Coordena o grupo de pesquisa e extensão - TEIA (Territórios, Educação Integral e Cidadania) da Faculdade de Educação da UFMG. 

Referências

BALLESTRIN, Luciana. América Latina e o giro decolonial. Rev. Bras. Ciênc. Polít., Brasília, n 11, p. 89-117, Aug. 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-33522013000200004&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 07/09/2019. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-33522013000200004.

BANDEIRINHA, José Antônio. Quinas vivas : memória descritiva de alguns episódios significativos do conflito entre fazer moderno e fazer nacional na arquitectura portuguesa. Porto: FAUP, 1996.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues (org.). A Questão Política da Educação Popular, 2 ed.. São Paulo: Brasiliense, 1980.

CESAIRE, Aime. Discurso sobre o colonialismo. Lisboa: Sá Costa, 1978.

CHOAY, Françoise. O patrimônio histórico na era da indústria cultural. Alegoria do patrimônio. Lisboa : Edições 70, 2010.

DUSSEL, Enrique. Política de la liberación: historia mundial y crítica. Madri: Trotta, 2007b.

FANON, Frantz. Os condenados da terra. São Paulo: Editora Civilização Brasileira, 1968.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: EDUFBA, 2008.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 1 ed., São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FUNDACAO BISSAYA BARRETO (FBB). Bissaya Barreto, um homem de causas. Lisboa: FBB, 2008.

MACHADO, Anna Rachel; LOUSADA, Eliane; ABREU-TARDELLI, Lilia Santos. Planejar gêneros acadêmicos: escrita científica, texto acadêmico, diário de pesquisa. São Paulo: Parábola Editorial, 2005.

MARTINS, Bruno Sena.; MENESES, Maria Paula. As guerras de libertação e os sonhos coloniais: alianças secretas, mapas imaginados Edições Almedina: Coimbra, 2013.

MARTINS, Bruno Sena. Violência colonial e testemunho: para uma memória pós-abissal. Revista Crítica de Ciências Sociais, 106, pp. 105-126, 2015.

MATOS, Patrícia F. A História e os Mitos: manifestações da ideologia colonial na construção de Portugal dos Pequenitos em Coimbra. Guardianes de la Historia y la Memoria: ‘Tradiciones’, Colecciones y otras Manifestaciones (in)Materiales del Periodo Colonial. Anais do 7.o Congresso Internacional de Estudos Africanos no Mundo Ibérico. Instituto Universitário de Lisboa. Lisboa, 2010.

MIGNOLO, Walter. Local histories/global designs: coloniality, subaltern knowledges and border thinking. Princeton, Princeton University Press, 2000.

QUIJANO, Aníbal.; WALLERSTEIN, Immanuel. Coloniality as a concept or the America in the modern world-sistem. International Social Science Journal, 44, pp. 549-557, 1992.

QUIJANO, Aníbal. ¡Qué tal raza!. Revista del CESLA, [S.l.], n. 1, p. 192-200, nov. 2000b. ISSN 2081-1160. Disponível em: <http://www.revistadelcesla.com/index.php/revista delcesla/article/view/379>. Acesso em: 09/05/2018.

SANTOS, Boaventura de Souza. As guerras de libertação e os sonhos coloniais: alianças secretas, mapas imaginados ”“ Prefácio. In: MARTINS, Bruno Sena.; MENESES, Maria Paula. As guerras de libertação e os sonhos coloniais: alianças secretas, mapas imaginados Edições Almedina: Coimbra, 2013.

SEBASTIÃO, Joana R. A. R. Arquitetura, Imagem e Cenografia ”“ o Estado Novo e a Construção de uma Identidade Nacional, 2013. Dissertação (Mestrado). Departamento de Arquitetura. Faculdade de Ciência e Tecnologia, Universidade de Coimbra. Coimbra, 2013.

SILVA, Nuno E. Retrato de um país suave: o “Portugal dos Pequenitos”, 2016. Tese (Doutoramento). Faculdade de Arquitetura e Artes. Universidade Lusíada. Lisboa, 2016.

Downloads

Publicado

2020-06-03

Como Citar

Giannecchini, A. C., Ramalho, B., & Leite, L. H. A. (2020). Você já foi a Portugal dos Pequenitos? Da fruição lúdico-educativa à reflexão (anti)colonial. Revista De Estudos E Pesquisas Sobre As Américas, 14(1), 233–256. https://doi.org/10.21057/10.21057/repamv14n1.2020.23560

Edição

Seção

Artigos