SISTEMAS AGROFLORESTAIS PARA A AGRICULTURA FAMILIAR: FORMAÇÃO DE REDES RURAIS NO RIO GRANDE DO SUL

Autores

  • Lucas da Rocha Ferreira PGDR/UFRGS
  • Fabio Kessler dal Soglio

DOI:

https://doi.org/10.33240/rba.v16i2.23001

Palavras-chave:

Sistemas Agroflorestais, Desenvolvimento Rural, Agricultura Familiar

Resumo

O objetivo deste trabalho é analisar a implantação de Sistemas Agroflorestais (SAFs), usando a perspectiva da produção de novidades e a formação de redes rurais. Serão analisados três casos empíricos no Rio Grande do Sul: da citricultura ecológica no Vale do Caí; da bananicultura agroflorestal no Litoral Norte e a produção da erva-mate agroflorestal em Machadinho. A abordagem utilizada considera que os SAFs sejam novidades, pois o desenho dos sistemas produtivos não advém, exclusivamente, de modelos gerados em centros de pesquisa que foram difundidos aos produtores, senão, que as agroflorestas são fruto da interação entre experiências e conhecimento dos próprios agricultores e o trabalho de campo de extensionistas e pesquisadores. Porém, embora a adoção de SAFs seja tecnicamente viável para as propriedades familiares, criando sinergias entre agricultura e conservação da biodiversidade, a transformação mais geral no nível das paisagens depende da organização de todos os elementos que compõem a formação de redes rurais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-06-25

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

<< < 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.