A extensão (ou comunicação) em Psicologia como instrumento a um projeto de Psicologia Popular

Autores

Palavras-chave:

extensão popular, comunicação, psicologia popular

Resumo

A extensão tem ganhado ganha relevância na formação em Psicologia, enquanto mediação que possibilita um maior “contato com a realidade”, sobretudo a realidade das maiorias populares em um país marcado pela desigualdade social e pronunciadas formas de exploração e opressão. Nesse sentido, tal convocação à Psicologia advém com um chamado também cada vez maior para que ela se (re)pense. No presente artigo, abordamos a relevância da extensão (ou comunicação) para a construção de um projeto de Psicologia Popular. É um trabalho que traz consigo um conjunto de reflexões que nascem de experiências do autor como docente e coordenador de projetos de extensão em Psicologia pela Universidade de Brasília, realizados no Distrito Federal, sobretudo em territórios periféricos, dialogando com iniciativas históricas na Psicologia brasileira – e, em extensão, latino-americana – e outras que atravessaram a Psicologia, oriundas de outros campos do saber-fazer, como a pedagogia e educação popular freireana. Para isso, refletimos sobre que tipo de Psicologia Popular e de extensão queremos, e como a segunda pode – e deve – contribuir à primeira. Todo o processo aqui exposto aponta para que a extensão e a Psicologia, no intuito de fortalecerem a auto-organização, a autodeterminação das maiorias populares na construção do poder popular, sejam tomadas como meios e não fins em si. Acreditamos que podem servir a outras iniciativas extensionistas na e pela Psicologia, bem como à formação e práxis psi como um todo, indo, inclusive para além da própria Psicologia e da extensão, na construção de um horizonte em que não sejam mais necessárias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Henrique Antunes da Costa, UnB/Professor

Graduação, mestrado e doutorado em Psicologia pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Professor na Universidade de Brasília

Referências

BOECHAT, Filipe. A psicologia entre a política social e o poder popular. In: OLIVEIRA, Isabel Fernandes de; SOUSA, Burnier Sales de (orgs.) Psicologia e políticas sociais: conservadorismo em tempos de capital-barbárie. Florianópolis: ABRAPSO Editora, 2022. Cap. 2, p. 25-37.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 5, de 15 de março de 2011. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Psicologia, estabelecendo normas para o projeto pedagógico complementar para a Formação de Professores de Psicologia. Brasília: Ministério da Educação, 2011. Disponível em: https://normativasconselhos.mec.gov.br/normativa/view/CNE_RES_CNECESN52011.pdf?query=Brasil. Aces-so em 12 de outubro de 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 7, de 18 de dezembro de 2018. Estabelece as Diretrizes para a Extensão na Educação Superior Brasileira e regimenta o disposto na Meta 12.7 da Lei nº 13.005/2014, que aprova o Plano Nacional de Educação - PNE 2014-2024 e dá outras providências. Bra-sília: Ministério da Educação, 2018. Disponível em: https://normativasconselhos.mec.gov.br/normativa/pdf/CNE_RES_CNECESN72018.pdf. Acesso em 12 de ou-tubro de 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CES nº 1.071, de 4 de dezembro de 2019, que trata das Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs) para os cursos de graduação em Psicologia e estabelecimento de normas para o Projeto Pedagógico Complementar (PPC) para a Formação de Professores de Psicologia. Brasília: Ministério da Educação, 2019. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=236641-pces179-22&category_slug=fevereiro-2022-pdf&Itemid=30192. Acesso em 12 de outubro de 2023.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Código de Ética Profissional do Psicólogo. Brasília: Conselho Federal de Psicologia, 2005.

COSTA, Pedro Henrique Antunes da; FARIAS, Tadeu Mattos. Contribuições da Teoria Marxista da Dependência à (crítica da) psicologia brasileira. Germinal: Marxismo e educação em debate, Salvador, v. 14, p. 331-360, 2022.

COSTA, Pedro Henrique Antunes da; LORDELLO, Silvia Renata. Psicologia e realidade brasileira: notas preli-minares para uma práxis psicossocial. In: ANTLOGA, Carla et al. (orgs.). Psicologia Clínica e Cultura Contem-porânea 4. 1ed. Brasília: Technopolitik, 2019, p. 37-52.

COSTA NETO, Alexandre Alves et al. A Extensão Universitária como Dispositivo para Formação do Psicólogo em Saúde Mental. Psicologia Revista, São Paulo, v. 29, n. 2, p. 471–488, 2020.

FREIRE, Paulo. Extensão ou Comunicação? 25 ed. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 2022

GÓIS, Cezar Wagner de Lima. Proposta de um caminho para a Psicologia junto à classe oprimida. Por uma Psi-cologia Popular. Rev. de Psicologia, Fortaleza, v. 2, n. 1, p. 87-122, 1984.

GUEDES, Carina Ferreira. Ensino, Pesquisa e Extensão na Formação em Psicologia: a experiência na Bandeira Científica. TransFormações em Psicologia, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 32-50, 2009.

JAGER, Márcia Elisa et al. Formação em psicologia e práticas extensionistas: relato de uma experiência univer-sitária. Linhas Críticas, Brasília, v. 27, p. 1-19, 2021.

MARTÍN-BARÓ, Ignacio. O papel do Psicólogo. Estudos de Psicologia, Natal, v. 2, n. 1, p. 7–27, 1996.

MARTÍN-BARÓ, Ignacio. O desafio popular à psicologia social na América Latina. In: MARTÍN-BARÓ, Igna-cio. Crítica e libertação na psicologia: estudos psicossociais. Petrópolis: Vozes, 2017. p. 66-88.

MENDES, Kíssila Teixeira; COSTA, Pedro Henrique Antunes da. Psicologia e pobreza no Brasil: Histórico, pro-dução de conhecimento e problematizações possíveis. Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro, v. 18, p. 1118-1136, 2018.

SARFOCADA, Enrique. El concepto de salud comunitaria ¿Denomina solo un escenario de trabajo o también una nueva estrategia de acción en salud pública? Psicol. pesq., Juiz de Fora, v. 2, n. 2, p. 03-13, 2008.

YAMAMOTO, Oswaldo Hajime. Políticas sociais, "terceiro setor" e "compromisso social": perspectivas e limites do trabalho do psicólogo. Psicologia & Sociedade, Belo Horizonte, v. 19, n. 1, p. 30–37, 2007.

YAMAMOTO, Oswaldo Hajime. 50 anos de profissão: responsabilidade social ou projeto ético-político? Psico-logia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 32, n. spe, p. 6–17, 2012.

Downloads

Publicado

2023-12-29

Como Citar

COSTA, Pedro Henrique Antunes da. A extensão (ou comunicação) em Psicologia como instrumento a um projeto de Psicologia Popular. Participação, [S. l.], v. 1, n. 40, p. 22–35, 2023. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/participacao/article/view/51233. Acesso em: 15 jun. 2024.

Artigos Semelhantes

<< < 1 2 3 4 5 6 7 8 9 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.