O uso de dicas multimodais para inferência lexical em língua inglesa

Autores

  • Patricia Nora de Souza Reis Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Renata Bittencourt Procópio Colégio de Aplicação João XXIII da Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Rachel Terrigno Cunha Reis Universidade Federal de juiz de Fora

DOI:

https://doi.org/10.26512/rhla.v19i1.26459

Palavras-chave:

língua inglesa, inferência lexical, leitura

Resumo

O presente trabalho investiga o uso de dicas multimodais para inferência lexical em inglês como língua estrangeira. Este trabalho fundamenta-se nos pressupostos da Abordagem Conexionista e Inferência Lexical. No âmbito da metodologia, o experimento foi aplicado a 162 participantes em nível elementar de inglês, divididos em grupo experimental e controle. O grupo A recebeu dicas orais e escritas, o grupo B recebeu dicas orais e o grupo C apenas dicas escritas para inferir o significado das palavras testadas. O grupo controle, grupo D, não recebeu dica. Essa distinção foi feita para investigar os impactos das dicas multimodais no processo de inferência lexical. Para a análise, consideram-se os resultados obtidos nos testes de vocabulário e questionário. Os resultados indicam que ambas as modalidades de dicas, oral ou escrita, podem contribuir para inferência e aprendizado de vocabulário. Entretanto, o uso combinado de dicas orais + escritas foram mais eficientes no aprendizado. Além disso, na condição comparativa, observou-se a relevância das dicas orais, em uma abordagem explícita, para o aprendizado. Com esta pesquisa, busca-se contribuir para o desenvolvimento no aluno da estratégia inferência lexical e a retenção na memória do vocabulário em inglês como Língua Estrangeira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Bittencourt Procópio, Colégio de Aplicação João XXIII da Universidade Federal de Juiz de Fora

Possui graduação em Letras, especialização no Ensino da Língua Inglesa pela UFMG, mestrado em Letras pela UFJF e doutorado em Linguística pela UFJF. Professora do quadro efetivo do Colégio de Aplicação João XXIII - UFJF. Área de atuação:  Língua Inglesa.

Rachel Terrigno Cunha Reis, Universidade Federal de juiz de Fora

Mestre em Linguística pela UFJF e  Bacharelado e Licenciatura em LETRAS PORTUGUÊS/INGLÊS pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013).

Referências

AZEVEDO, Bruno et. al. Vocabulário em Inglês como língua estrangeira: um breve estado da arte no Brasil. Estudos Anglo Americanos, ARAPUI, Santa Catarina, v. 46, n. 2, p. 62-94, 2017.

BOWER, Gordon. How might emotions affect learning? In: CHRISTIANSON, Sven-Ake. (Org.) The handbook of emotion and memory: research and theory. Nova Jersey: Lawrence Erlbaum Associates, 1992. p. 3-32.

CHEGENI; Nastaran.; TABATABAEI, Omid. Lexical Inferencing: The Relationship between Number and Density of Lexical Items and L2 Learners' Reading Comprehension Achievement. Journal of Language Teaching and Research, Finland, v. 5, n. 2, p. 306-312, 2014.

DALE, E. Vocabulary measurement: techniques and major findings. Elementary English, 42, p. 895-901, 1965.

HOSTETLER, Christina. L. Influences on inferences: The roles of L1 transfer and L2 proficiency on L2 lexical inferencing. 2013. Dissertação (Master in Science), Ball State University, Indiana, 2013.

MAYER, Richard. E. Multimedia learning. Cambridge: Cambridge University Press, 2001.

MAYER, Richard. Multimedia learning: are we asking the right questions? Educational Psychologist, Routledge, Taylor & Francis Group, v. 32 n. 1, p. 1-19, 1997.

MOTA, Mailce; ZIMMER, Márcia C. Cognição e aprendizagem de L2: o que nos diz a pesquisa nos paradigmas simbólico e conexionista. Rev. Brasileira de Linguística Aplicada, UFMG, Belo Horizonte, v. 5, n. 2, p. 155-187, 2005.

PROCÓPIO, Renata B. O uso do glossário hipermídia no ensino-aprendizagem implícito de vocabulário nos níveis elementar e intermediário de proficiência em inglês. 2016. 118 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Letras, UFJF, Juiz de Fora, 2016.

RAMOS, Falcon Dario Restrepo. Incidental vocabulary learning in second language acquisition: a literature review. Profile, v. 17, n. 1, p. 157-166, 2015.

RICHARDS, Jack C. The role of vocabulary teaching. TESOL Quartely 10(1), 1976.

SADEGHI, Karim; AHMADI, Negar. The effect of gloss type and mode on Iranian EFL learners’ reading comprehension. English Language Teaching, Canada, v. 5, n. 12, p. 100-110, 2012.

SANTOS, Mariana Oliveira dos; GANZAROLLI, Maria Emilia. Histórias em quadrinhos: formando leitores. Transinformação [online], Campinas, v. 23, n. 1, p. 63-75, 2011.

SCARAMUCCI, Matilde V. R. O papel do léxico na compreensão em leitura em língua estrangeira: foco no produto e no processo. 1995. 326f. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Unicamp, Campinas, 1995.

SOUZA, Patrícia N.; BASTOS, Lúcia K. B. O conhecimento lexical no ensino da leitura em língua estrangeira. The ESPecialist, São Paulo, v. 22, n. 1, p. 75-86, 2001.

ZIMMER, Márcia. A leitura em língua estrangeira e os efeitos da frequência e da consistência do insumo lexical em L2. Linguagem em (Dis)curso, Palhoça: Santa Catarina, v. 10, n. 1, p. 111-131, 2010.

Publicado

2020-05-15

Como Citar

Reis, P. N. de S., Procópio, R. B., & Reis, R. T. C. (2020). O uso de dicas multimodais para inferência lexical em língua inglesa. Revista Horizontes De Linguistica Aplicada, 19(1), 15-38. https://doi.org/10.26512/rhla.v19i1.26459

Edição

Seção

Artigos

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##