Do Indutivismo Neopositivista ao Racionalismo Crítico Popperiano

Uma Discussão sobre os Critérios de Demarcação na Epistemologia Científica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/rfmc.v8i1.28435

Palavras-chave:

Empirismo Lógico. Karl Popper. Epistemologia. Critério de Demarcação.

Resumo

Este trabalho visa apresentar uma breve discussão sobre o debate entre o empirismo lógico do Círculo de Viena e o racionalismo crítico de Karl Popper. Após uma exposição geral acerca da perspectiva teórica dos intelectuais Vienenses, busca-se demonstrar de que maneira o filósofo Karl Popper tenta sobrepujar o princípio de verificação dos empiristas lógicos por meio do princípio de falsificabilidade. Ao analisar as críticas de Popper mais detalhadamente, procura-se acenar para algumas questões teóricas a respeito das dificuldades de suplantação do critério de demarcação científico popperiano em relação ao neopositivista, sobretudo no que tange à utilização do método indutivo. 

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Alexandre Machado, Universidade Federal de Pernambuco, UFPE

Doutorando em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Mestre em Desenvolvimento Local pelo Programa de Pós-Graduação em Extensão Rural e Desenvolvimento Local da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Bacharel em Ciências Sociais pela UFRPE.

Referências

ALMEIDA, Vítor Hugo S. de. O Problema da Demarcação como Problema Central da Filosofia da Ciência. Dissertação de Mestrado. Universidade de Lisboa ”“ Dep. de História e Filosofia das Ciências. Lisboa, 2016.

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando: introdução à filosofia. São Paulo: Moderna, 1995.

BENTON, Ted. The Philosophical Foundations of the Three Sociologies. Londres e Nova York: Routledge, 2015.

BRYANT, Christopher. Positivism in Social Theory and Research. Londres: MacMillan, 1985.

CARNAP, Rudolf. The Logical Structure of the World. Pseudoproblems in Philosophy, California: University of California Press, 1967.

DURANT, Will. A História da Filosofia. Os Pensadores. Tradução de Luiz Carlos do Nascimento Silva. São Paulo: Nova Cultural. 2000.

HALFPENNY, Peter. Positivism and Sociology: Explaining Social Life. Londres: George Allen & Unwin, 1982.

MATTEO, V. Di. O olhar epistemológico popperiano sobre psicanálise. Perspectiva Filosófica, v. VII, n.13, p. 11-39, 2001.

PASSMORE, John. A Hundred Years of Philosophy. Londres: Penguin Books, 1994.

POPPER, K. Lógica das Ciências Sociais. Rio de Janeiro. Biblioteca Tempo Universitário: 1999.

POPPER, K. Conjecturas e refutações: o progresso do conhecimento científico. Ed. Universidade de Brasília, 2008.

POPPER, K. A lógica da pesquisa científica. Tradução de Leônidas Hegenberg e Octanny Silveira da Mota. São Paulo: Cultrix, 1974.

ROSA, Luiz Carlos Mariano da. Popper e a Objetividade do conhecimento científico: a Ciência provisória e a verdade temporária. Rev. Cognitio-Estudos. Vol. 8, nº 1. São Paulo, 2011. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/cognitio/article/viewFile/5591/5935 Acesso em: 06/10/18.

SCHLICK, Moritz. “Positivismo e Realismo”. In: Schlick-Carnap. São Paulo: Abril Cultural (Coleção Os pensadores), 1980.

Downloads

Publicado

2020-09-20

Como Citar

MACHADO, A. Do Indutivismo Neopositivista ao Racionalismo Crítico Popperiano: Uma Discussão sobre os Critérios de Demarcação na Epistemologia Científica. Revista de Filosofia Moderna e Contemporânea, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 325–339, 2020. DOI: 10.26512/rfmc.v8i1.28435. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/fmc/article/view/28435. Acesso em: 19 set. 2021.