Metodologia das Explicações Adaptacionistas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/rfmc.v7i3.27509

Palavras-chave:

adaptacionismo; evolução; seleção natural; explicação científica; valores cognitivos

Resumo

O tema deste artigo está vinculado às discussões em torno do poder explicativo do programa adaptacionista que tem seu principal fundamento no processo de seleção natural. Os temas aqui apresentados e discutidos serão direcionados metodologicamente para apresentar, ao final, um arcabouço conceitual a partir do qual o adaptacionismo possa ser situado dentro do amplo debate acerca da evolução e, também, reconhecido como um programa de pesquisa que contribui com a biologia evolutiva, oferecendo boas explicações científicas. Entretanto, não será aqui sustentada a tese de que as explicações adaptacionistas são as mais eficazes e de maior credibilidade, dentre as alternativas existentes e que devem ser as mais utilizadas no meio científico. Diferente disso, esse estudo tentará mostrar que as explicações adaptacionistas têm os seus valores cognitivos ampliados quando vinculadas às abordagens que se fundamentam em mecanismos evolutivos diferentes da seleção natural, bem como a conhecimentos bem estabelecidos. Seu poder heurístico se expande e permite que muitos dos problemas ligados à evolução sejam mais bem entendidos e analisados, com a formulação das perguntas corretas diante dos fenômenos biológicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edson Claudio Mesquita, Colégio Militar Dom Pedro II

Professor do Colégio Militar Dom Pedro II de Brasília. Mestre em Filosofia pela Universidade de Brasília (UnB).

Referências

ABRANTES, P. & ALMEIDA, F. Evolução Humana: A Teoria da Dupla Herança. Em: ABRANTES, P. [et al.]. Filosofia da Biologia. Porto Alegre: Artmed, 2011, pp. 261-295.

BRANDON, R. Adaptation and Environment. New Jersey: Princeton University Press, 1995.

CAPONI. G. Aproximação Epistemológica à Biologia Evolutiva do Desenvolvimento. Em: ABRANTES, P. Filosofia da Biologia. Porto Alegre: Artmed, 2011a, pp. 211-223.

_____ La Segunda Agenda Darwiniana: contribución preliminar a la historia del programa adaptacionista. México, DF: Centro de Estudios Filosóficos, Políticos y Sociales Vicente Lombardo Toledano, 2011b.

COPI, I. Introdução à Lógica. São Paulo: Mestre Jou, 1978.

CRONIN, H. Adaptation: a critique of some current evolutionary thought. Em: The Quarterly Review of Biology. London: Centre for Philosophy of Natural and Social Science, 80 (1), 2005, pp. 19-26.

DARWIN, C. On the Origin of Species. London: Penguin Books, 2009.

DAWKINS, R. The Extended Phenotype: the long reach of the gene. New York: Oxford University Press, 1999.

_____ O Gene Egoísta. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

FEYERABEND, P. Contra o Método. São Paulo: Editora UNESP, 2007.

GODFREY-SMITH, P. Darwinian Populations and Natural Selection. New York: Oxford University Press, 2009a.

_____ What Darwinism Explains. Cambridge: University of Cambridge, for the Darwin Festival, july 2009b. Disponível em: < https://www.researchgate.net/publication/265880015_What_Darwinism_Explains>. Acesso em: 10 mar. 2011.

GOULD, S. J. & LEWONTIN, R. C. The Spandrels of San Marco and the Panglossian Paradigm: a critique of the adaptationist programme. Londres: Proc. R. Soc. B 205, 1979, pp. 581-598.

GOULD, S. J. & VRBA, E. Exaptation - a missing term in the science of form. Boulder: Paleobiology, vol. 8, no 1, 1982, pp. 4-15.

GRÜNE-YANOFF, T. Appraising models nonrepresentationally. Chicago: The University of Chicago Press, 2013. Disponível em: <https://www.jstor.org/stable/10.1086/673893?seq=1#page_scan_tab_contents>. Acesso em: 30 de mai.2018.

HEMPEL C. G. & OPPENHEIM P. Studies in the Logic of Explanation. Philosophy of Science, 1948. Diponível em: < http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/summary?doi=10.1.1.294.3693>. Acesso em: 6 de jun. 2018.

HUME, D. Investigação Acerca do Entendimento Humano. Nova Cultural, Os Pensadores, São Paulo, 1999.

JABLONKA, E. e LAMB, M. J. Evolução em Quatro Dimensões. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

LALAND, K. N. & BROWN, G. R. Sense and Nonsense: Evolutionary Perspectives on Human Behaviour. New York: Oxford University Press, 2002.

LORENZANO, P. Leis e Teorias em Biologia. Em: ABRANTES, P. Filosofia da Biologia. Porto Alegre: Artmed, 2011, pp. 53-82.

MAYR, E. O Desenvolvimento do Pensamento Biológico. Brasília: UnB, 1998.

_____ Biologia, Ciência Única. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

_____ Isto é Biologia: A Ciência do Mundo Vivo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

POPPER, K. A Demarcação Entre Ciência e Metafísica. Em: CARRILHO, M. Epistemologia: Posições e Críticas. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 1991, pp. 201-265.

PSILLOS, S. Causation & Explanation. Montreal & Kingston: McGill-Queen’s University Press, 2002.

REZNICK, D. N. & GHALAMBOR, C. K. The population ecology of contemporary adaptations: what empirical studies reveal about the conditions that promote adaptive evolution. Riverside: University of California, 2001. Disponível em: <https://biology.ucr.edu/ucirpee/ReznickGhalambor2001.pdf>. Acesso em: 6 de jun. 2018.

ROSENBERG, A. The Structure of Biological Science. New York: Cambridge University Press, 1985.

_____ Introdução à Filosofia da Ciência. São Paulo: Loyola, 2009.

SANTILLI, E. Níveis e unidades de seleção: o pluralismo e seus desafios filosóficos. Em: ABRANTES, P. Filosofia da Biologia. Porto Alegre: Artmed, 2011, pp. 193-210.

STERELNY, K & GRIFFITHS, P. E. Sex and death: an introduction to philosophy of biology. Chicago: The University of Chicago Press, 1999.

SEPÚLVEDA, C. & MEYER D. & EL-HANI, C. Adaptacionismo. Em: ABRANTES, P. Filosofia da Biologia. Porto Alegre: Artmed, 2011, pp. 162-192.

SOBER, E. Philosophy of Biology. 2nd edition, Boulder: Westview Press, 2000.

Downloads

Publicado

2020-01-26

Como Citar

MESQUITA, E. C. Metodologia das Explicações Adaptacionistas. Revista de Filosofia Moderna e Contemporânea, [S. l.], v. 7, n. 3, p. 291–333, 2020. DOI: 10.26512/rfmc.v7i3.27509. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/fmc/article/view/27509. Acesso em: 19 abr. 2021.