POLÍTICAS PÚBLICAS DE ATENDIMENTO À SAÚDE BÁSICA E O DISCURSO CONSERVADOR NO BRASIL: do programa “Mais Médicos” à pandemia de COVID-19

Main Article Content

Maria Carolina Carvalho Motta
Andreia Silveira Vidigal

Resumo

A presente pesquisa tem por objetivo analisar o cenário que envolve as políticas públicas de atendimento básico de saúde no Brasil, desde o Programa Mais Médicos até o quadro atual de pandemia. O estudo, de cunho qualitativo, foi de encontro ao que Albert Hirschman (1992) em sua obra “A retórica da intransigência” expõe como as teses conservadoras fazem uso da linguagem para o convencimento social de que políticas públicas sociais não devem ficar a cargo do Estado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Article Details

Como Citar
Carvalho Motta, Maria Carolina, e Andreia Silveira Vidigal. 2021. “POLÍTICAS PÚBLICAS DE ATENDIMENTO À SAÚDE BÁSICA E O DISCURSO CONSERVADOR NO BRASIL: Do Programa ‘Mais Médicos’ à Pandemia De COVID-19”. Abya-Yala: Revista Sobre Acesso à Justiça E Direitos Nas Américas 4 (3):07 a 36. https://doi.org/10.26512/abyayala.v4i3.32890.
Seção
Dossiê

Referências

ALESSIO, Maria Martins. Implantação do Programa Mais Médicos. 2015. 90 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) ”“ Universidade de Brasília, Brasília, 2015. Disponível em: http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/19306/1/2015_MariaMartinsAlessio.pdf. Acesso em: 15 maio 2019.

ALBUQUERQUE, Flávia. Mandetta elogia MP que cria Programa Médicos pelo Brasil. Agência Brasil, 28 de novembro de 2019. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2019-11/mandetta-elogia-aprovacao-de-mp-que-cria-programa-medicos-pelo-brasil. Acesso em: 20 jul. 2020.

ALMEIDA, Ronaldo de. Bolsonaro Presidente: conservadorismo, evangelismo e a crise brasileira. Novos estud. CEBRAP, São Paulo, v. 38, n. 1, p. 185-213, abr. 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-33002019000100010&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 27 jul. 2020.

ARAUJO, Jamile. Qual o impacto da saída dos médicos cubanos do Brasil para o povo baiano? Jornal Carta Maior, 09 de dezembro de 2018. Disponível em: https://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Saude/Qual-o-impacto-da-saida-dos-medicos-cubanos-do-Brasil-para-o-povo-baiano-/43/42719. Acesso em: 03 jun. 2019.

AQUINO, Yara. Temer diz que confiança permite retomada do crescimento da economia. Agência Brasil, 11 de abril de 2018. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2018-04/temer-diz-que-confianca-permite-retomada-do-crescimento-da-economia. Acesso em: 20 jul. 2020.

BARRETO, Vicente de Paulo; WASEN, Franciele. Entre duas escrituras: multiculturalismo e direitos humanos. Revista do Instituto de Direito Brasileiro, Lisboa, a.1, n.12, p. 7181-7214, 2012.

BARROSO, Luís Roberto. Neoconstitucionalismo e Constitucionalização do Direito (O Triunfo Tardio do Direito Constitucional no Brasil). Revista Eletrônica sobre a Reforma do Estado (RERE), Salvador, Instituto Brasileiro de Direito Público, n. 9, mar./maio, 2005. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rda/article/view/43618. Acesso em: 05 mar. 2019.

BOLSONARO DIZ QUE vai usar revalida para “expulsar” médicos cubanos do Brasil. G1, 28 de agosto de 2018. Disponível em: https://g1.globo.com/sp/presidente-prudente-regiao/noticia/2018/08/22/bolsonaro-diz-que-vai-usar-revalida-para-expulsar-medicos-cubanos-do-brasil.ghtml. Acesso em: 21 maio 2019.

BOLSONARO distorce documento e diz que OMS incentiva masturbação e homossexualidade de crianças. Brasil Notícia, 30 de abril de 2020. Disponível em:http://www.brasilnoticia.com.br/decisoes/bolsonaro-distorce-documento-e-diz-que-oms-incentiva-masturbacao-e-homossexualidade-de-criancas/13565. Acesso em: 20 jul. 2020.

BONAVIDES, Paulo. Curso de Direito Constitucional. 19. ed. São Paulo: Malheiros, 2006.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, de 5 de outubro de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 20 jul. 2020.

BRASIL. Emenda Constitucional n. 95, de 15 de dezembro de 2016. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o Novo Regime Fiscal, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc95.htm. Acesso em: 20 jul. 2020.

BRASIL. Lei n. 12.550, de 15 de dezembro de 2011. Autoriza o Poder Executivo a criar a empresa pública denominada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares ”“ EBSERH; acrescenta dispositivos ao Decreto-Lei n. 2.848, de 7 de dezembro de 1940 ”“ Código Penal; e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/lei/l12550.htm. Acesso em: 20 jul. 2020.

BRASIL. Lei n. 12.871, de 22 de outubro de 2013. Institui o Programa Mais Médicos, altera as Leis nº 8.745, de 9 de dezembro de 1993, e nº 6.932, de 7 de julho de 1981, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2013/Lei/L12871.htm. Acesso em: 20 jul. 2020.

BRASIL. Lei n. 13.958 de 18 de dezembro de 2019. Institui o Programa Médicos pelo Brasil, no âmbito da atenção primária à saúde no Sistema Único de Saúde (SUS), e autoriza o Poder Executivo federal a instituir serviço social autônomo denominado Agência para o Desenvolvimento da Atenção Primária à Saúde (ADAPS). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2019/lei/L13958.htm. Acesso em: 20 jul. 2020.

BRASIL. Lei n. 14.019, de 2 de julho de 2020. Altera a Lei n. 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, para dispor sobre a obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção individual para circulação em espaços públicos e privados acessíveis ao público, em vias públicas e em transportes públicos, sobre a adoção de medidas de assepsia de locais de acesso público, inclusive transportes públicos, e sobre a disponibilização de produtos saneantes aos usuários durante a vigência das medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente da pandemia da Covid-19. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/lei/L14019.htm. Acesso em: 20 jul. 2020.

BRASIL. Presidência da República. Medida Provisória n. 621, de 8 de julho de 2013. Institui o Programa Mais Médicos e dá outras providências. Convertida na Lei n. 12.871, de 2013. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2013/Mpv/mpv621.htm. Acesso em: 20 jul. 2020.

BRASIL. Presidência da República. Medida Provisória n. 890, de 1 de agosto de 2019. Institui o Programa Médicos pelo Brasil e dá outras providências. Convertida na Lei n. 13.958, de 2019. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2019-2022/2019/Mpv/mpv890.htm. Acesso em: 20 jul. 2020.

BRASIL. Presidência da República. Decreto n. 8.040, de 8 de julho de 2013. Institui o Comitê Gestor e o Grupo Executivo do Programa Mais Médicos e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2011-2014/2013/Decreto/D8040.htm. Acesso em: 20 jul. 2020.

BRASIL. Presidência da República. Decreto n. 8.081, de 23 de agosto de 2013. Altera o Decreto nº 8.040, de 8 de julho de 2013, que institui o Comitê Gestor e o Grupo Executivo do Programa Mais Médicos, para dispor sobre o pedido de inscrição do registro provisório de médico intercambista, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2011-2014/2013/Decreto/D8081.htm. Acesso em: 20 jul. 2020.

BRASIL. Presidência da República. Decreto n. 8.126, de 22 de outubro de 2013. Altera dispositivos do Regulamento da Previdência Social, aprovado pelo Decreto n. 3.048, de 6 de maio de 1999, no que se refere à aposentadoria especial. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2013/Decreto/D8126.htm. Acesso em: 20 jul. 2020.

BRASIL. Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Sistema de Indicadores de Percepção Social (SIPS): saúde. Brasília: Ipea, 2011. Disponível em: https://goo.gl/eUApWw. Acesso em: 20 abr. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Ação Direita de Inconstitucionalidade n. 5035-DF. Relator: Ministro Marco Aurélio. Brasília, 31 de agosto de 2013. Disponível em: www.stj.gov.br. Acesso em: 21 maio 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Ação Direita de Inconstitucionalidade n. 5037-DF. Relator: Ministro Marco Aurélio. Brasília, 31 de agosto de 2013. Disponível em: www.stj.gov.br. Acesso em: 21 maio 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental n. 672-DF. Relator: Ministro Alexandre de Moraes. Brasília, 8 de abril de 2020. Disponível em: www.stj.gov.br. Acesso em: 20 jul. 2020.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental n. 690-DF. Relator: Ministro Alexandre de Moraes. Brasília, 08 de junho de 2020. Disponível em: www.stj.gov.br. Acesso em: 20 jul. 2020.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Mandado de Segurança n. 32224-DF. Relator: Ministro Marco Aurélio. Brasília, 24 de agosto de 2013. Disponível em: www.stj.gov.br. Acesso em: 20 maio. 2019.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Discursos e notas taquigráficas. Sessão n. 222.3.54, de 08 de agosto de 2013. Disponível em: https://www.camara.leg.br. Acesso em: 29 maio 2019.

BORGES, André; VIDIGAL, Robert. Do lulismo ao antipetismo? Polarização, partidarismo e voto nas eleições presidenciais brasileiras. Opinião Pública, Campinas, v. 24, n. 1, p. 53-89, abr. 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-62762018000100053&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 27 jul. 2020.

BUCCI, Maria Paula Dallari (Org.). Políticas públicas ”“ reflexões sobre o conceito jurídico. São Paulo: Saraiva, 2006.

BUCCI, Maria Paula Dallari. Direito Administrativo e políticas públicas. São Paulo: Saraiva, 2002.

BUCCI, Maria Paula Dallari. Quadro de referência de uma política pública: primeiras linhas de uma visão jurídico-institucional. O direito na fronteira das políticas públicas. São Paulo: Páginas & Letras, 2015.

CANOTILHO, J. J. Gomes. Estado de Direito. Lisboa, Portugal: Gradiva Pub, 1999. Disponível em: http://www.egov.ufsc.br/portal/sites/default/files/anexos/32571-39731-1-PB.pdf. Acesso em: 23 abr. 2019.

COMPARATO, Fábio Konder. Ensaio sobre o juízo de constitucionalidade de políticas públicas. Revista dos Tribunais, São Paulo, ano 86, n. 737, mar. 1997.

CUBA DECIDE DEIXAR programa Mais Médicos no Brasil e cita declarações “ameaçadoras” de Bolsonaro. G1, 14 de novembro de 2018. Disponível em: https://g1.globo.com/mundo/noticia/2018/11/14/cuba-decide-deixar-programa-mais-medicos-no-brasil.ghtml. Acesso em: 21 maio 2019.

FENAFISCO. Webnar COVID-19 e Economia: como enfrentar o impacto da pandemia nas finanças dos estados. Disponível em: http://www.fenafisco.org.br/agenda/item/8052-webinar-covid-19-e-economia. Acesso em: 20 jul. 2020.

FIM DO MAIS MÉDICOS pode provocar 100 mil mortes precoces no país. Revista Fórum, 28 de abril de 2019. Disponível em: https://www.revistaforum.com.br/fim-do-mais-medicos-pode-provocar-100-mil-mortes-precoces-no-pais. Acesso em: 02 jun. 2019.

FUCS, José. 25 pérolas de Bolsonaro sobre a pandemia e contando. Estadão, 23 de abril de 2020. Disponível em: https://politica.estadao.com.br/blogs/blog-do-fucs/27-perolas-de-bolsonaro-sobre-a-pandemia-e-contando. Acesso em: 20 jul. 2020.

GUENDEL, Ludwig. La política pública y la ciudadanía desde el enfoque de los derechos humanos: La búsqueda de una nueva utopia. Revista Ciencias Sociales, n. 97, Universidade da Costa Rica, San José, 2002, p. 105-125.

HIRSCHMAN, Albert O. A retórica da intransigência: perversidade, futilidade, ameaça. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

MACEDO, A. S.; et. al. O papel dos atores na formulação e implementação de políticas públicas: dinâmicas, conflitos e interesses no Programa Mais Médicos. Cadernos EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 14, p. 593-618, 2016. Número especial.

MAIS MÉDICOS: deputados do DEM atacam programa. Notícias STF, 25 de novembro de 2013. Disponível em: http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=254360. Acesso em: 20 jul. 2020.

MESSENBERG, Débora. A direita que saiu do armário: a cosmovisão dos formadores de opinião dos manifestantes de direita brasileiros. Soc. estado, Brasília, v. 32, n. 3, p. 621-648, dez./2017. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922017000300621&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 27 de julho de 2020.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Programa Mais Médicos. Disponível em: Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/cidadao/acoes-e-programas/mais-medicos/mais-sobre-mais-medicos/5952-diagnostico-da-saude-no-brasil. Acesso em: 20 de abr. 2019.

MURAKAWA, Fábio; MARTINS, Luisa; OTTA, Lu A. Bolsonaro leva ministros e empresários para pressionar STF a acabar com o isolamento. Valor Econômico, 07 de maio de 2020. Disponível em: https://valor.globo.com/politica/noticia/2020/05/07/bolsonaro-leva-empresarios-ao-stf-com-guedes-e-militares.ghtml. Acesso em: 20 jul. 2020.

NEDEL, Fulvio B. O Programa Mais Médicos e internações evitáveis pela Atenção Primária. Disponível em: maismedicos.bvsalud.org/wpcontent/uploads/2017/11/Vale_este_SUMULA-ICSAP-_elisa-ok-1_revFulvioCristina.pdf. Acesso em: 20 abr. 2019.

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DE SAÚDE (OPAS). Folha informativa ”“ Programa Mais Médicos. 2018. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5662:folha-informativa-programa-mais-medicos&Itemid=347. Acesso em: 06 jun. 2019.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS). Serie de publicaciones sobre salud y derechos humanos. Veinticinco preguntas y respuestas sobre salud y derechos humanos. n.1, jul. 2002.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS). Declaração de Alma-Alta. Conferência Internacional sobre Cuidados Primários de Saúde. Alma-Ata, URSS, 6-12 de setembro de 1978. Disponível em: http://www.opas.org.br/coletiva/uploadArq/Alma-Ata.pdf. Acesso em: 21 mar. 2019.

PADIN, Camila Ferrara; OLIVEIRA, José do Carmo Veiga de. Análise do Programa Mais Médicos sob o viés constitucional de Política Pública. Revista de Direito Brasileira. São Paulo, v. 20, n. 8, maio/ago. 2018, p.429-447.

PAIM, Jairnilson Silva (Coord.). Análise de políticas de saúde no Brasil (2003-2017): Relatório Final, 2018. Disponível em: https://analisepoliticaemsaude.org/oaps/documentos/boletim/relatorio-do-cnpq2018. Acesso em: 21 mar. 2019.

“PARA MELHORAR A SAÚDE do Brasil, lutar é o melhor remédio”, diz integrante da Rede de Médicas e Médicos Populares. Observatório de Análise Política em Saúde (OAPS). Disponível em: https://analisepoliticaemsaude.org/oaps/noticias/7ce418443350b4464c4f5e663666931f. Acesso em: 21 maio 2019.

PIERUCCI, Antônio Flávio. Ciladas da diferença. Tempo Social, v. 2, n. 2, p. 7-37, 1990.

PINTO, H. A. et al. O Programa Mais Médicos e o fortalecimento da atenção básica. Divulgação em Saúde para Debate. Rio de Janeiro, n. 51, p. 105-120, out. 2014.

POR QUE É POLÊMICO comparar as contas do governo com o orçamento doméstico? BBC. 23 de fevereiro de 2020. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/02/23/por-que-e-polemico-comparar-as-contas-do-governo-com-o-orcamento-domestico.ghtml. Acesso em: 20 jul. 2020.

PROFISSIONAIS DA SAÚDE perdem atrativos para ingressar no Programa Mais Médicos. Jornal Brasil de Fato, 16 de julho de 2018. Disponível em: https://jornalggn.com.br/crise/profissionais-da-saude-perdem-atrativos-para-ingressar-no-programa-mais-medicos/. Acesso em: 21 maio 2019.

QUAL O IMPACTO DA saída dos médicos cubanos do Brasil para o povo baiano? Portal Carta Maior, 09 de dezembro de 2018. Disponível em: https://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Saude/Qual-o-impacto-da-saida-dos-medicos-cubanos-do-Brasil-para-o-povo-baiano-/43/42719. Acesso em: 21 maio 2019.

REDE DE MÉDICOS POPULARES denuncia as contradições do programa federal. Disponível em https://www.brasildefato.com.br/2019/08/05/rede-de-medicos-populares-denuncia-as-contradicoes-do-programa-federal. Brasil de Fato, 05 de agosto de 2019. Acesso em: 21 maio 2020.

REPRESENTANTES DA CLASSE MÉDICA criticam Mais Médicos; leia frases. Folha de São Paulo: 2019. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/08/1331312-representantes-da-classe-medica-criticam-mais-medicos-leia-frases.shtml. Acesso em: 29 mai. 2019.

ROSSI, Pedro; et. al. AUSTERIDADE FISCAL E O FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL. Educ. Soc., Campinas, v. 40, e0223456, 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302019000100328&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 20 jul. 2020.

SANARMED. Linha do tempo do Coronavírus no Brasil. Disponível em: https://www.sanarmed.com/linha-do-tempo-do-coronavirus-no-brasil. Acesso em: 20 jul. 2020.

SANTOS, Isabela Soares; VIEIRA, Fabiola Sulpino. Direito à saúde e austeridade fiscal: o caso brasileiro em perspectiva internacional. Ciênc. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 23, n. 7, p. 2303-2314, jul. 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232018000702303&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 20 jul. 2020.

SILVEIRA, Daniel. Paulo Guedes compara funcionário público a “parasita” ao defender reforma administrativa. G1, 07 de fevereiro de 2020. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/02/07/paulo-guedes-compara-funcionario-publico-a-parasita-ao-defender-reforma-administrativa.ghtml. Acesso em: 20 jul. 2020.

SIMIONATTO, I. Caminhos e descaminhos da política de saúde no Brasil. Revista Inscrita, Brasília: CFESS, n. 1, p. 15-20, 1997.

SCHEFFER, M. (Coord.). Demografia médica no Brasil: cenários e indicadores de distribuição. São Paulo: Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo - Conselho Federal de Medicina, 2013. v. 2. Disponível em: https://goo.gl/UqRdX. Acesso em: 22 mar. 2019.

TCU APONTA QUE Mais Médicos é eficaz mas precisa corrigir falhas financeiras. TCU, 2017. Disponível em: https://portal.tcu.gov.br/imprensa/noticias/tcu-aponta-que-mais-medicos-e-eficaz-mas-precisa-corrigir-falhas-financeiras.htm. Acesso em: 05 jun. 2019.