Maquiavel e os Riscos da Corrupção Política na República

Palavras-chave: República. Liberdade. Corrupção Política.

Resumo

Entre os expoentes da tradição republicana, Maquiavel ocupa um lugar de prestígio inquestionável. A sua posição nessa tradição teórica contribuiu indubitavelmente para o resgate da importância e gravidade do problema da corrupção política na república. Em suas obras, Discursos sobre a primeira década de Tito Lívio e História de Florença, é possível verificar uma interessante reflexão do secretário florentino sobre o referido problema. Ambicionando refletir sobre os perigos da corrupção para a república, nesse artigo analisaremos: primeiro, a definição de república apresentada por Maquiavel e sua íntima ligação com a noção de liberdade política e, depois, buscando valorizar e entender, examinaremos os riscos da corrupção política no regime republicano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vital Francisco Celestino Alves, Secretaria de Educação do Distrito Federal, SEED-DF

Mestre (2010) e doutor (2017) em Filosofia na linha de ética e filosofia política pela UFG. Realizou entre 2015-2016 estágio doutorado sanduíche na Université Montpellier III, e participou dos encontros promovidos pelo Centre Rousseau da Université Sorbonne, Paris III. Membro do grupo interdisciplinar de pesquisa Jean-Jacques Rousseau e do GT Rousseau e o Iluminismo - ANPOF. Entre 2013-2015 foi professor assistente (substituto) vinculado ao Departamento de Filosofia na UFG, e em 2018 foi professor substituto no Departamento de Filosofia na UnB”. Atualmente é professor da Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEED-DF).

Referências

ADVERSE, H. Maquiavel. In: Corrupção – Ensaios e Críticas. Org. Avritzer, L., Bignotto, N., Guimarães, J. , Starling, M.M. H. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2012.

ADVERSE, H. A matriz italiana. In: Matrizes do republicanismo. Org. Bignotto, N. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2013.

ADVERSE, H. Maquiavel, a república e o desejo de liberdade. Trans/Form/Ação. Marília – SP: Ed. UNESP, v. 30, 2007.

ARANHA, M.L.A. Maquiavel: a lógica da força. São Paulo: Moderna, 2006.

BARON, Hans. The crisis of the early italian renaissance. New Jersey: Princeton University Press, 1966.

BIGNOTTO, Newton. Maquiavel republicano. São Paulo: Edições Loyola, 1991.

BIGNOTTO, Newton. Maquiavel. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

GIBBON, Edward. Declínio e queda do império romano. São Paulo: Companhia de Bolso, 2014.

LEFORT, Claude. Le travail de l’oeuvre Machiavel. Paris: Gallimard, 1972.

MAQUIAVEL, N. Discurso sobre a primeira década de Tito Lívio. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

MAQUIAVEL, N. História de Florença. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

MAQUIAVEL, N. O Príncipe. São Paulo: Nova Cultural, 1997. (Os Pensadores).

MOSCATELI, Renato. Maquiavel versus Rousseau: as divisões sociais e seu papel em uma república bem ordenada. Trans/Form/Ação. Marília: Ed. UNESP, Marília, V.. 38, 2015.

PLATÃO. A república. São Paulo: Nova Cultural, 1997. (Os Pensadores).

POCOCK, J.G.A. The Machiavellian moment. New Jersey: Princeton University Press, 1975.

POLÍBIO. História. Brasília: UnB, 1985.

SANTOS, Rui B. de Carvalho. Para compreender Maquiavel. Campinas-SP: PHI Ltda., 2013.

SKINNER, Quentin. As fundações do pensamento político moderno. São Paulo: Companhia das letras, 1996.

SKINNER, Quentin.. Maquiavel. São Paulo: Brasiliense, 1988.

Publicado
2019-05-13
Como Citar
AlvesV. F. C. Maquiavel e os Riscos da Corrupção Política na República. Revista de Filosofia Moderna e Contemporânea, v. 7, n. 1, p. 293-307, 13 maio 2019.