Good for whom? Dendeiculture reactions by contract in Amazon paraense

Autores

  • Paula Egyto Tavares Universidade Federal do Pará, Belém, PA, Brasil
  • Dalva Maria da Mota Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Embrapa Amazônia Oriental, Belém,PA, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.18472/SustDeb.v11n3.2020.31664

Resumo

This article analyzes the acceptance or resistance of contract oil palm cultivation in Irituia. Research was based on an analysis of documents and secondary data sources, and included 30 interviews with oil palm farmers, a famers’ union member and representatives of the municipal institutions. Research findings show that initial differences regarding the activity remain until today. Those who defend the activity cite the possibilities of improving the quality of life for regional residents; defenders include a group of farmers and state government agents. Critics, those from municipal institutions, argue that oil palm cultivation is not fitting to the local reality and a separate group of farmers absorbed these criticisms and are apprehensive regarding the new activity.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paula Egyto Tavares, Universidade Federal do Pará, Belém, PA, Brasil

Mestrado em Agriculturas Familiares e Desenvolvimento Sustentável, pela Universidade Federal Do Pará. Possui experiência na área de Sociologia Rural e Redes Sociais Locais. Também em Educação e Percepção Ambiental e Agrometeorologia, atuando principalmente nos seguintes temas: meio ambiente, conservação da natureza, florestamento e reflorestamento e agricultores produtores de dendê na Amazônia.

Dalva Maria da Mota, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Embrapa Amazônia Oriental, Belém,PA, Brasil

Doutora em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco/Sam Houston State University (2003), cuja tese ganhou o Prêmio SOBER de melhor tese de sociologia em 2003. Pesquisadora da Embrapa Amazônia Oriental onde coordena estudos sobre trabalho no espaço rural, políticas públicas para mulheres extrativistas e inclusão social de agricultores produtores de dendê na Amazônia. Pertence ao corpo permanente de Programa de Pós Graduação - Mestrado e Doutorado em Agriculturas Familiares da Universidade Federal do Pará - do qual é vice-coordenadora e ministra disciplinas e orienta. . Publicou quatro livros, é coautora de dois, organizou cinco livros e publicou mais de 80 artigos em periódicos indexados, capítulos de livros e artigos em anais de congresso. Tem diferentes experiências internacionais em formação, pesquisa e desenvolvimento na França, Gabão, Argentina, Israel, Estados Unidos e Inglaterra. Fez pós doutoramento em Antropologia Social na Universidade de Londres em 2011. É parecerista de várias revistas científicas e Vice Presidente Norte da SOBER.

Referências

ABRAPALMA. Associação Brasileira de Produtores de Óleo de Palma. Retrospecto e projeções da palma de óleo no Brasil 2018 – 2019. Abrapalma: Belém, 2018. Disponível em: <http://www.abrapalma.org/pt/wp-content/uploads/2018/12/Resumo_Relatorio_2018-2.pdf.>. Acesso em: 10 mai. 2019.

ADM. Archer Daniels Midland Company (Brasil). Negócios. 2018. Disponível em: <https://www.adm.com/adm-worldwide/brazil-pr/produtos-e-servi%C3%A7os>. Acesso em: 14 out. 2018.

AGÊNCIA PARÁ DE NOTÍCIAS (Brasil). Polo de plantação de dendê será implantado no nordeste paraense. Acessoria Contábil, 28 mar. 2012. Disponível em: <http://www.ctassessoriacontabil.com.br/2012/03/polo-de-plantacao-de-dende-sera-implantado-no-nordeste-paraense/>. Acesso em: 15 dez. 2018.

ALMEIDA, J. de P. Programa nacional de produção e uso do biodiesel. In: ALMEIDA, J. de P. Biodiesel o “óleo filosofal”: desafios para a educação ambiental no caldeirão do “desenvolvimento sustentável”. 1. ed. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2010. p. 18-45.

ALVES, S. A. O. Sustentabilidade da agroindústria da palma no Pará. 2011. 161 f. Tese (Doutorado em Recursos Florestais) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2011.

AQUINO, S. L. de. Contrapondo interpretações de agricultores e pesquisadores sobre possíveis problemas ambientais causados pelo cultivo de eucalipto. Desenvolvimento e Meio Ambiente, Curitiba, v. 28, p. 127-143, jul./dez. 2013.

AZEVEDO, A. M. M. Análise top-down e bottom-up de um programa de inovação tecnológica na área de energia: o Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB). 2010. 331f. Tese (Doutorado em Política Científica e Tecnológica) Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2010.

ANDRADE, R. M. T.; MICCOLIS, A. Policies and institutional legal frameworks in the expansion of Brazilian biofuels. WorkingPaper 71. CIFOR, Bogor, Indonésia. 2011.

BACKHOUSE, M. A desapropriação sustentável da Amazônia. O caso de investimentos em dendê no Pará. Fair Fuels? WorkingPaper 6, Berlin, v. 1, n. 6, p. 1-32, jun. 2013.

BALIEIRO, M. L.. A ação coletiva sob influência da dendeicultura: um estudo de caso sobre a Central das Organizações Sociais entre os rios Guamá e Capim (CONSERGC). 2019. 112 f. Dissertação (Mestrado em Agriculturas Familiares e Desenvolvimento Sustentável) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2019.

BECKER, H. Observação social e estudos de caso sociais. Métodos de pesquisa em ciências Sociais. São Paulo: Hucitec, 1994. 117-135.

BECKER, B. K. Recuperação de áreas desflorestadas da Amazônia: será pertinente o cultivo da palma de óleo (Dendê)? Confins, Paris, n. 10, [s.p.], 2010

BIODIESELBR (Brasil). ADM inicia plantio de palma no Pará. Biodieselbr, 10 mai. 2012. Disponível em: <https://www.biodieselbr.com/noticias/materia-prima/dende/adm-inicia-plantio-palma-para-040512>. Acesso em: 15 dez. 2018.

BORGES, A. J.; COLLICCHIO, E.; CAMPOS, G. A. A cultura da palma de óleo (Elaeis guineenses Jacq.) no Brasil e no mundo: aspectos agronômicos e tecnológicos - uma revisão. Revista Liberato, Novo Hamburgo, v. 17, n. 17, p. 65-77, 2016.

BRANDÃO, F.; SCHONEVELD, G.; PACHECO, P. Integração da agricultura familiar à cadeia da palma de óleo na Amazônia brasileira: analyses e recomendações. Infobrief n. 207, Março. CIFOR. 2018.

BRASIL. Programa nacional de produção e uso de biodiesel - Inclusão Social e Desenvolvimento Territorial. Brasília: Qualidade Gráfica, 2010. 48 p.

CAPANEMA. Ministério do Desenvolvimento Agrário. Diagnóstico e planejamento de desenvolvimento do território rural do Nordeste paraense. Capanema: Fanep, 2006.

CARDOSO, A. S.; TOLEDO, P. M. de; VIEIRA, I. C. G. Dimensão institucional da sustentabilidade e gestão ambiental no município de Moju, Pará: uma aplicação do Barômetro da Sustentabilidade. Sustentabilidade em Debate, Brasília, v. 5, n. 1, p. 117-135, jan. 2014.

CASTRO, R. A.; CASTRO, E. M. R. As monoculturas e a sustentabilidade: análises de três regiões do Brasil. Sustentabilidade em Debate, Brasília, v. 6, n. 2, p. 228-248, jun. 2015.

DELGADO, G. C; CONCEIÇÃO, J. C. P. R. Políticas de preços agrícolas e de estoques de alimentos. In: Revista de política agrícola. Ano XIV – Nº 3 – Jul./Ago./Set. 2005.p, 98-103

FAPESPA. Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas. Emater assina convênio para a produção de dendê em São Domingos do Capim. Fapespa, 24 jan. 2011. Disponível em: <http://fapespa.pa.gov.br/noticia/466>. Acesso em: 15 dez. 2018.

FERREIRA, V. A. et al. Os fatores de repercussão da cadeia produtiva do dendê no desenvolvimento local do Baixo Tocantins. Desenvolvimento e Meio Ambiente, Curitiba, v. 39, n. 1, p.173-188, dez. 2016.

FOSTER, W. A. et al. Establishing the evidence base for maintaining biodiversity and ecosystem function in the oil palm landscapes of South East Asia. Philosophical Transactions Of The Royal Society B: Biological Sciences, [s.l.], v. 366, n. 1582, p. 3277-3291, out. 2011.

GOMES, D. L; SILVA, F. C; MACEDO, C. O. “EXPANSÃO TERRITORIAL DO DENDÊ E RESISTÊNCIA CAMPONESA NO NORDESTE PARAENSE” CAMINHOS DE GEOGRAFIA - Uberlândia v. 17, n. 57 Mar/2016 p. 191–200

GOMES, L. S.; MAGALHÃES, S. B. Agricultores integrados do dendê e questões relativas ao sistema de produção no PA. Terra Nova, Mangaratiba, 2016. Disponível em: <https://www.ecodebate.com.br/2016/05/30/agricultores-integrados-do-dende-e-questoes-relativas-ao-sistema-de-producao-no-pa-terra-nova-por-lucinaldo-soares-gomes-e-sonia-barbosa-magalhaes/>. Acesso em: 14 dez. 2018.

GUEDES, A. C. F. Adesão das famílias camponesas à produção da palma de óleo nos municípios de Moju e Concórdia do Pará: estratégias de parceria das empresas Agropalma e Biopalma. 2014. 131 f. Dissertação (Mestrado em Serviço Social) – Instituto de Ciências Sociais Aplicada, Universidade Federal do Pará, Belém, 2014.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Lavouras permanentes. IBGE: Rio de Janeiro, 2018a. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pa/pesquisa/15/11863>. Acesso em: 12 out. 2018.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Panorama das cidades. IBGE: Rio de Janeiro, 2018b. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pa/irituia/panorama>. Acesso em: 17 out. 2018.

KOHLHEPP, G. Análise da situação da produção de etanol e biodiesel no Brasil. Estudos Avançados, São Paulo, v. 24, n. 68, p. 223-253, 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010340142010000100017&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 28 ago. 2019.

LEES, A. C. et al. Poor prospects for avian biodiversity in Amazonian oil palm. Plos One, v. 10, n. 5, 2015. Acesso em: Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4425670/>. Acesso em: 15 nov. 2018.

LEVERMANN; R. A.; SOUZA, J. P. M. Óleo de palma: o crescimento da indústria global. Agroanalysis, Brasília, v. 34. n. 2, p. 13-15, 2014. Disponível em: <http://www.agroanalysis.com.br/storage/2014/2/index_20.html#page=14>. Acesso em: 1 mar. 2019.

MDA. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo. O que é o Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel (PNPB)? Brasília: MDA, 2014. Disponível em: <http://www.mda.gov.br/sitemda/secretaria/saf-biodiesel/o-que-%C3%A9-o-programa-nacional-de-produ%C3%A7%C3%A3o-e-uso-do-biodiesel-pnpb>. Acesso em: 12 jun. 2019.

MORAES, M. H. C. S. Agrobiodiversidade dos quintais e socioeconomia dos agroecossistemas familiares da cooperativa d’lrituia. 2017. 189 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais - Manejo de Ecossistemas Florestais) – Universidade Federal Rural da Amazônia, Belém, PA, 2017.

MOTA, D. M. da; SCHMITZ, H.; GOMES, D. L.; SILVA, G. O. da. Does oil palm contract farming improve the quality of life for family farmers in the Brazilian Amazon? In: JEZEER, R.; PASIECZNIK, N. (ed.). Exploring inclusive palm oil production. Tropenbos International: Wageningen, the Netherlands, 2019. p. 78-84.

NAHUM, J. S.; SANTOS, C. B. dos. Impactos socioambientais da dendeicultura em comunidades Tradicionais na Amazônia Paraense. Acta Geográfica, Boa Vista, Ed. Esp. Geografia Agrária, p. 63-80, 2013.

NIEDERLE, P. A.; WESZ JUNIOR, V. J. As novas ordens alimentares. 1. ed. Porto Alegre: UFRGS, v. 1, 2018.

OLIVEIRA, A. U. Agricultura e indústria no Brasil. Boletim Paulista de Geografia, São Paulo, n. 58, p. 5-64, 1980.

OLIVEIRA, J. S. R. Uso do território, experiências inovadoras e sustentabilidade: um estudo em unidades de produção familiares de agricultores/as na área de abrangência do programa PROAMBIENTE, Nordeste Paraense. 2006. 116 f. Dissertação (Mestrado em Agriculturas Familiares e Desenvolvimento Sustentável) – Programa de Pós-Graduação em Agriculturas Amazônicas, Centro de Ciências Agrárias, Núcleo de Estudos em Agricultura Familiar, Universidade Federal do Pará, Belém, 2006.

OLIVEIRA, K. E. H. de. A ação coletiva de agricultores familiares integrados à dendeicultura: um estudo de caso na Associação dos Moradores e Agricultores Familiares da Região do Igarapé-Açu de Baixo, em Irituia- Pará. 2020. 120 f. Dissertação (Mestrado em Agriculturas Familiares e Desenvolvimento Sustentável) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2020.

PAULILO, M. I. S. Produtor e agroindústria: consensos e dissensos. O caso de Santa Catarina. Florianópolis: Ed. da UFSC, 1990. 184 p.

PAYÉS, M. A. M. O empresário familiar rural: integração à agroindústria de fumo e diferenciação. 1993. 255 f. Tese (Doutorado em Economia) – Instituto de Economia, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1993.

RAMALHO FILHO, A. et al. Zoneamento agroecológico, produção e manejo para a cultura da palma de óleo na Amazônia. Rio de Janeiro: Embrapa Solos, 2010. 216 p.

REBELLO, F. K. Da lenha ao óleo de palma a transformação da agricultura no nordeste paraense. 2012. 321 f. Tese (Doutorado em Ciências Agrárias) – Universidade Federal Rural da Amazônia, Belém, 2012.

REIS, M. B. Arengas & Picicas: reações populares à Reserva de Desenvolvimento Sustentável no Estado do Amazonas. Belém: Sociedade Civil Mamirauá; Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, 2005. (Estudos do Mamirauá, v. 6).

RIST, L.; FEINTRENIE, L.; LEVANG, P. The livelihood impacts of oil palm: smallholders in Indonesia. Biodiversity and Conservation, v. 19, n. 4, p. 1009-1024, 2010.

SCOTT, J. C. Formas cotidianas da resistência camponesa. Raízes, Campina Grande, v. 21, n. 1, p. 10-31, jan./jun. 2002.

SILVA, E. M.; NAVEGANTES-ALVES, L. de F. Transformações nos sistemas de produção familiares diante a implantação do cultivo de dendê na Amazônia Oriental. Desenvolvimento e Meio Ambiente, Curitiba, v. 1, n. 40, p. 345-364, abr. 2017.

VIEIRA, A. C. C. “A integração camponesa ao monocultivo de dendê: subordinação e transformação do campesinato amazônico”. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Núcleo de Ciências Agrárias e Desenvolvimento Rural, Programa de Pós-Graduação em Agriculturas Amazônicas, Belém, 2015

ZIEBERT, R. A.; SHIKIDA, P. F. A. Avicultura e produção integrada em Santa Helena, Estado do Paraná: uma abordagem a partir da nova economia institucional. Rev. Agricultura, São Paulo, v. 51, n. 1, p. 71-86, jan./jun. 2004

Publicado

2020-12-31

Como Citar

Tavares, P. E., & Mota, D. . M. da. (2020). Good for whom? Dendeiculture reactions by contract in Amazon paraense. Sustentabilidade Em Debate, 11(3), 518 - 545. https://doi.org/10.18472/SustDeb.v11n3.2020.31664