Atividades experimentais semiabertas com brinquedos como forma de falseamento de modelos teóricos ideais: conservação de energia mecânica?

Autores

  • A.C.L. Moreira Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
  • G. C. Neto Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
  • D. R. Farias Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

DOI:

https://doi.org/10.26512/rpf.v6i1.37338

Palavras-chave:

Modelos teóricos. Conservação da energia. Laboratórios abertos.

Resumo

Neste trabalho, propomos um exemplar metodológico formado por um experimento de baixo custo e lúdico, para se estudar modelos teóricos envolvendo conservação de energia. O experimento, por não conservar energia, permite não apenas trazer à tona as limitações do modelo teórico estudado no início dos manuais didáticos, como também inserir os estudantes em práticas experimentais abertas e, portanto, mais próximas de uma prática científica. Uma vez que pretendemos inserir laboratórios abertos em situações problematizadoras análogas a práticas científicas, adotamos como referencial teórico os programas de pesquisa de Lakatos dado que este último preserva a teoria geral em um núcleo irredutível, levando toda e qualquer anomalia a ser questionada/discutida apenas no cinturão protetor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

A. A. Garcia , N. L.Speziali (2009). Física Experimental Básica na Universidade. Belo Horizonte, Editora UFMG.

Bunge, M. (1974). Teoria e Realidade. São Paulo, Perspectiva.

Carvalho, A. M. P. d. (2014). Calor e temperatura: um ensino por investigação. São Paulo, Editora Livraria da Física.

Chalmers, A. (1976). O que é ciência afinal? Brasília, Editora Brasiliense.

Feyerabend, P. (1977). Contra o Método. Rio de Janeiro, Francisco Alves.

Greiner, W. (2004). Classical Mechanics: point particles and relativity. New York, Springer Verlag.

Laburú, C. E. (2003). "Problemas abertos e seus problemas no laboratório de física: uma alternativa dialética que passa pelo discursivo multivocal e univocal." Investigações em Ensino de Ciências 8(3): 26.

Lakatos, I. (1979). O falseamento e a metodologia dos programas de pesquisa científica. São Paulo, Ed. Cultrix.

Lemos, N. A. (2007). Mecânica Analítica. São Paulo, Editora Livraria da Física.

Nussenzveig, H. M. (2002). Curso de Física Básica: Mecânica. São Paulo, Edgard Blucher.

Perrenoud, P. (2000). Dez Novas Competências para Ensinar. Porto Alegre Artmed Editora.

Peruzzo, J. (2012). Experimentos de Física Básica:mecânica. São Paulo, Editora Livraria da Física.

Pietrocola, M. (2001). Ensino de Física. Santa Catarina, Editora da UFSC.

Ricardo, E. C. (2003). A Problematização e a Contextualização no Ensino das Ciências: acerca das idéias de Paulo Freire e Gérard Fourez. IV ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS. Bauro - SP.

Sergio M. Arruda, M. R. S., Carlos E. Laburú (2001). "Laboratório didático de física a partir de uma perspectiva Kuhniana." Investigação em Ensino de Ciências 6(1): 10.

Silveira, F. L. d. (1996). "A Metodologia dos Programas de Pesquisa: a epistemologia de Imre Lakatos." Cad.Cat.Ens.Fis. 13(3): 12.

Stephen T. Thornton, J. B. M. (2008). Classical Dynamics of Particles and Systems. New York, Thomson.

Downloads

Publicado

2022-04-16

Como Citar

MOREIRA, A.; NETO, G. C.; FARIAS, D. R. Atividades experimentais semiabertas com brinquedos como forma de falseamento de modelos teóricos ideais: conservação de energia mecânica?. Revista do Professor de Física, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 78–95, 2022. DOI: 10.26512/rpf.v6i1.37338. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rpf/article/view/37338. Acesso em: 29 set. 2022.