Termologia para Pessoas com Deficiência Auditiva Utilizando um Jogo Didático

Autores

  • Francisca Soares Instituto Federal do Maranhão
  • Mônica Castro Departamento de Física, Universidade Federal do Piauí
  • Renato Germano Universidade Federal do Pará

DOI:

https://doi.org/10.26512/rpf.v6i1.36793

Palavras-chave:

Ensino de Física. Deficiência Auditiva. Jogo Didático. Termodinâmica.

Resumo

Este trabalho trata do desenvolvimento e uso de um recurso educacional para o ensino de
Física no Ensino Médio para alunos com deficiência auditiva. Esses alunos têm a Língua Brasileira
de Sinais (Libras) como primeira língua e isso gera dificuldade na compreensão dos conteúdos,
apesar do auxílio do intérprete. Como esses alunos devem ser recebidos em escolas de ensino
regular os métodos de ensino utilizados precisam atender a todos. Poucos recursos didáticos
existentes atualmente consideram esse tipo de deficiência e, na Física, a compreensão é
dificultada por não existirem símbolos em Libras para muitos termos. Assim, objetivou-se a
produção de um recurso educacional na forma de jogo didático para estudo da Termologia,
fundamentado na compreensão da situação atual do ensino para alunos com deficiência auditiva
e dos processos de ensino-aprendizagem por meio dos quais esses alunos assimilam melhor os
conteúdos. Produzido e posteriormente aplicado em turmas do segundo ano do Ensino Médio,
verificou-se sua aceitação por parte dos alunos que demonstraram gostar da utilização do recurso
pelo seu caráter didático e, principalmente, por seu caráter lúdico, sendo, portanto, um recurso
que pode facilitar o ensino de Física para alunos com deficiência auditiva em turmas inclusivas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ABREU, E. S; FÊLIX, A. E. A. S. A avaliação do processo ensino-aprendizagem do aluno surdo na escola inclusiva. Caxias ”“ MA, 2012.

ALVES, F. S. Ensino de Física para pessoas surdas: O processo educacional do surdo no Ensino Médio e suas relações no ambiente escolar. Bauru ”“ SP. 164 f. [Dissertação (mestrado)]. Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências, 2012. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/90916.

AZZOLIN, T. F. P.; ÁVILA, D. S.; MACKENDANZ, L. F. O Lúdico através de jogos para aprender e ensinar Física. II Congresso Internacional de Educação Científica e Tecnológica, Santo Ângelo ”“ RG, 2012. Disponível em: http://san.uri.br/sites/anais/ciecitec/2012/resumos/REL_EXP_PLENARIA/ple_exp11.pdf.

BENITE, A. M. C.; OLIVEIRA, W. D. Aulas de ciências para surdos: estudos sobre a produção do discurso de intérpretes de LIBRAS e professores de ciência. Ciênc. Educ., Bauru ”“ SP, v. 21, n. 2, p. 457 (2015). Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v21n2/1516-7313-ciedu-21-02-0457.pdf.

BERNARDES, A. O. Um projeto para ensinar Física para deficientes auditivos no Colégio Estadual Canadá, 2014. Disponível em: https://educacaopublica.cecierj.edu.br/artigos/14/21/um-projeto-para-ensinar-fiacutesica-para-deficientes-auditivos-no-coleacutegio-estadual-canadaacute. Acesso em: 18 ago., 2016.

BESSA, V. H. Teorias da Aprendizagem. Curitiba, IESDE Brasil S.A., 2008.

BEYER, H. O. Inclusão e avaliação na escola: de alunos com necessidades educacionais especiais. Porto Alegre, Mediação, 2013.

BOTAN, E. Ensino de Física para surdos: três estudos de casos da implementação de uma ferramenta didática para o ensino de Cinemática. Cuiabá - MT, 256 f. [Dissertação (mestrado)]. Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Física. 2012. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/190822.

BRASIL. Constituição da República Federativa de Brasil, 1988. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/consti/1988/constituicao-1988-5-outubro-1988-322142-publicacaooriginal-1-pl.html. Acesso em: 29 jan., 2018.

BRASIL. Decreto N° 3.298 de 20 de Dezembro de 1999. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3298.htm. Acesso em: 29 jan., 2018.

BRASIL. Decreto N° 5.296 de 2 de Dezembro de 2004. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/decreto/d5296.htm. Acesso em: 30 jan., 2018.

BRASIL. Decreto N° 7.611 de 17 de Novembro de 2011. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/decreto/d7611.htm. Acesso em: 29 jan., 2018.

BRASIL.IBGE. Censo Demográfico, 2010. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/. Acesso em: 20 jun., 2016.

BRASIL. Lei N° 4.024 de 20 de Dezembro de 1961. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/l4024.htm. Acesso em: 29 jan., 2018.

BRASIL. Lei N° 5.692 de 11 de Agosto de 1971. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/l5692.htm. Acesso em: 29 jan., 2018.

BRASIL. Lei N° 10.048 de 8 de Novembro de 2000. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L10048.htm. Acesso em: 30 jan., 2018.

BRASIL. Lei N° 10.098 de 19 de Dezembro de 2000. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L10098.HTM. Acesso em: 30 jan., 2018.

BRASIL. Lei N° 12.796 de 4 de Abril de 2013. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato20112014/2013/lei/l12796.htm. Acesso em:fev., 2018.

BRASIL. Lei N° 7.853 de 24 de Outubro de 1989. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7853.htm. Acesso em: 25 fev., 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Lei N° 13.146, de 6 de julho de 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. LDB 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva Educação Inclusiva. Brasília, MEC/SECADI, 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=16690-politica-nacional-de-educacao-especial-na-perspectiva-da-educacao-inclusiva-05122014&Itemid=30192.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Decreto N°5.626,22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei N° 10.436, de 24 de abril de 2002. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Brasília: MEC/SEESP, 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/diretrizes.pdf.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Lei N° 10. 436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais ”“ LIBRAS e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm.

CENNE, A. H. H. Tecnologias computacionais como recurso complementar no Ensino de Física Térmica. Porto Alegre ”“ RS, 94 f. [Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Física)]. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Física. 2007.

Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/12716.

CONDE, J. B. M. O ensino de Física para alunos portadores de deficiência auditiva através de imagens: módulo conceitual sobre movimentos oscilatórios. Rio de Janeiro ”“ RJ, 106 f. [Dissertação (mestrado)]. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de

Física. 2011. Disponível em: www.if.ufrj.br/~pef/producao_academica/dissertacoes/2011_Jose_Bernardo/dissertacao_Jose_Bernardo.pdf.

COZENDEY, S. G.; PESSANHA, M. C. R.; COSTA, M. P. R. Vídeos didáticos bilíngues no ensino de leis de Newton. Revista Brasileira de Ensino de Física, São Carlos ”“ SP, v.35, n. 3, 3504 (2013). Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbef/v35n3/a23v35n3.pdf

FRIAS, E. M. A; MENEZES, M. C. B. Inclusão escolar do aluno com necessidades educativas especiais: contribuições ao professor do Ensino Regular. 2010. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/1462-8.pdf. Acesso em: 29 ago., 2016.

GASPARIN, C. Educação Inclusiva: Elementos a serem considerados no ensino de Física para surdos, Florianópolis ”“ SC, 54 f. [Trabalho de conclusão de curso]. Universidade Federal de Santa Maria, 2014.

GONÇALVES, H. B.; FESTA, P. S. Metodologia do professor no ensino de alunos surdos, Ensaios Pedagógicos, Revista Eletrônica do Curso de Pedagogia das Faculdades OPET, ISSN 2175-1773, (2013). Disponível em: http://www.opet.com.br/faculdade/revista-pedagogia/pdf/n6/ARTIGO-PRISCILA.pdf.Acesso em: 29 ago., 2016.

HECKLER, V.; SARAIVA, M. F. O.; FILHO, K. S. O. Uso de simuladores e imagens como ferramentas auxiliares no ensino/aprendizagem de ótica. Revista Brasileira de Ensino de Física, v.29, n.2, 267 (2007). Disponível em: http://www.sbfisica.org.br/rbef/pdf/060608.

LACERDA, C. B. F. Intérprete de Libras: atuação na educação infantil e no ensino fundamental. Porto Alegre ”“ RS, Editora Mediação, 2009.

LIMA, J. M. O jogo como recurso pedagógico no contexto educacional. São Paulo, Cultura Acadêmica, 2008.

MANENTE, M. V.; RODRIGUES, O. M. P. R.; PALAMIN, M. E. G; Deficientes auditivos e escolaridade: fatores diferenciais que possibilitam o acesso ao ensino superior. Rev. Bras. Ed. Esp., Marília ”“ SP, v.13, n.1, 27 (2007). Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbee/v13n1/a03v13n1.pdf.

MARTINS, L. M. B.; TACCA, M. C. V. R.; KELMAN, C. A. Vigotsky: A inclusão e a educação bilíngue dos surdos, V congresso brasileiro multidisciplinar de educação especial, Londrina - PR, 2009. Disponível em: http://www.uel.br/eventos/congressomultidisciplinar/pages/arquivos/anais/2009/347.pdf.

MELO, M. G. A. A Física no ensino fundamental: Utilizando o jogo educativo “Viajando pelo Universo”. Lageado ”“ RS, 16 f. [Artigo (mestrado)]. Universidade do Vale do Taquari, 2011. Disponível em: https://www.univates.br/ppgece/media/pdf/a_fisica_no_ensino_fundamental.pdf. Acesso

em: 06 set., 2016.

MOREIRA, M. A. Teorias de Aprendizagem. São Paulo, EPU, 1999.

NADAL, P. Programas e materiais que ajudam na inclusão de surdos, dez. 2010. Disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/1859/programas-e-materiais-que-ajudam-na-inclusao-de-surdos. Acesso em: 27 nov., 2015.

NOGUEIRA, L. S.; REIS, L. R.; RICARDO, Elio Carlos. Ensino de Física para portadores de Deficiência auditiva: O problema dos livros didáticos, 2005. Disponível em: https://sec.sbfisica.org.br/eventos/snef/xvi/cd/resumos/T0744-1.pdf. Acesso em: 27 nov., 2015.

OLIVEIRA, F. I. W; CARDOSO, L. S. Recursos didáticos adaptados para alunos com surdez: Sugestões compartilhadas por uma bolsista Pibid. Polyphonia, v. 22/1,jan./jun., 211 (2011). Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/sv/article/view/21218/12446. Acesso em: 08 jun., 2016.

PEREIRA, R. F.; FUSINATO, P. A.; NEVES. M. C. D. Desenvolvendo um jogo de tabuleiro para o ensino de física. VIIEnpec (Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências) 2009.

PESSANHA, M.; COZENDEY, S. ROCHA, D. M. O compartilhamento de significado na aula de Física e a atuação do interlocutor de Língua Brasileira de Sinais. Ciênc. Educ., Bauru ”“ SP, v. 21, n. 2, 435, (2015). Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ciedu/v21n2/1516-7313-ciedu-21-02-0435.pdf.

REDONDO, M. C. F.; CARVALHO, J. M. Deficiência auditiva. Brasília, MEC.Secretaria de Educação a Distância, 2000. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/deficienciaauditiva.pdf.

RESENDE, L. M. A. Inclusão de deficientes auditivos no ensino médio: Inserção de atividades demonstrativas no ensino de física. Campo Grande ”“ MT [Dissertação (mestrado)], Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, 2014.

STROBEL, K. História da educação de surdos. Texto-base de curso de Licenciatura de Letras/Libras, UFSC, Florianópolis ”“ SC, 2009. Disponível em: https://www.libras.ufsc.br/colecaoLetrasLibras/eixoFormacaoEspecifica/historiaDaEducacaoDeSurdos/assets/258/TextoBase_HistoriaEducacaoSurdos.pdf.

TESSARO, N. S. Inclusão Escolar: Concepções de Professores e Alunos da Educação Regular e Especial, São Paulo, Casa do Psicólogo, 2005.

VYGOTSKY, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo, Martins Fontes, 2001.

VYGOTSKY, L. S. A defectologia e o estudo do desenvolvimento e da educação da criança anormal. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 4, 861 (2011). Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ep/v37n4/a12v37n4.pdf.

ZAMBON, L. B.; TERRAZZAN, E. A. Recursos didáticos diversos no ensino de Física: Uma proposta para o ensino do conceito de corrente elétrica. VIIEnpec (Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências) 2009. Disponível em: http://gpeqsc.com.br/guaipira/artigos/2009_7_ENPEC.33.pdf. Acesso em: 24 fev., 2018.

ZENARI, C. P. Aspectos psicológicos de indivíduos portadores de surdez profunda bilateral candidatos ao implante coclear, 2004. Disponível em: http://www.arquivosdeorl.org.br/conteudo/acervo_port_print.asp?id=274. Acesso em: 06 set., 2016.

Downloads

Publicado

2022-04-16

Como Citar

SOARES, F.; CASTRO, M.; RENATO GERMANO. Termologia para Pessoas com Deficiência Auditiva Utilizando um Jogo Didático. Revista do Professor de Física, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 1–32, 2022. DOI: 10.26512/rpf.v6i1.36793. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rpf/article/view/36793. Acesso em: 29 set. 2022.