A MÚSICA COMO INTERVENÇÃO E CUIDADOS EM SAÚDE:

REVISÃO INTEGRATIVA

Autores

  • Iara Marina da Cruz Universidade Estadual de Montes Claros, Montes Claros, Minas Gerais – Brasil.
  • Matheus Pereira dos Santos Faculdades de Saúde e Desenvolvimento Humano Santo Agostinho, Montes Claros, Minas Gerais – Brasil.
  • Iran Ricardo Dias Souza Faculdades de Saúde e Desenvolvimento Humano Santo Agostinho, Montes Claros, Minas Gerais – Brasil.
  • Antônia Gonçalves de Souza Faculdades Integradas Pitágoras de Montes Claros, Minas Gerais – Brasil.
  • Jordana Rabelo Soares Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais – Brasil.
  • Luís Paulo Souza e Souza Universidade Federal de Minas Gerais
  • Renata Cristina Ribeiro Gonçalves Faculdades de Saúde e Desenvolvimento Humano Santo Agostinho, Montes Claros, Minas Gerais – Brasil.
  • Carla Silvana Oliveira e Silva Universidade Estadual de Montes Claros, Montes Claros, Minas Gerais – Brasil.

Palavras-chave:

Saúde Coletiva

Resumo

Este estudo objetivou sintetizar os resultados encontrados em estudos científicos sobre a musicoterapia como intervenção de cuidados em saúde, assim como descrever as áreas de maior utilização dessa terapia.  Revisão integrativa utilizando artigos indexados na base de dados da Literatura Latino-Americana em Ciências da Saúde (LILACS), no período de Janeiro de 2006 a Dezembro de 2011. Para realização da busca, utilizou-se a combinação dos descritores música, enfermagem, atenção integral à saúde. Foram selecionados 34 artigos, sendo que destes, somente oito fizeram parte do estudo por atenderem os critérios estabelecidos. Em relação ao método da pesquisa, 75% eram de natureza qualitativa e 25% bibliográfica. Os resultados ressaltam a importância da utilização da música como terapia complementar, como intervenção voltada ao profissional e estudante de enfermagem e como recurso em tratamentos e intervenções hospitalares. Além disso, foi observada a necessidade de associar a música ao cuidado de enfermagem levando em conta o relacionamento interpessoal, a expressividade emocional e afetiva e os aspectos histórico-culturais dos indivíduos, refletindo assim diretamente na qualidade do atendimento. Esta prática pode ser utilizada como intervenção no espaço hospitalar, pois é um recurso de baixo custo, não farmacológico e que ajuda a promover a melhora no quadro dos pacientes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Iara Marina da Cruz, Universidade Estadual de Montes Claros, Montes Claros, Minas Gerais – Brasil.

Acadêmica de Enfermagem da Universidade Estadual de Montes Claros, Montes Claros, Minas Gerais – Brasil.

Matheus Pereira dos Santos, Faculdades de Saúde e Desenvolvimento Humano Santo Agostinho, Montes Claros, Minas Gerais – Brasil.

Enfermeiro pelas Faculdades de Saúde e Desenvolvimento Humano Santo Agostinho, Montes Claros, Minas Gerais – Brasil.

Iran Ricardo Dias Souza, Faculdades de Saúde e Desenvolvimento Humano Santo Agostinho, Montes Claros, Minas Gerais – Brasil.

Enfermeiro pelas Faculdades de Saúde e Desenvolvimento Humano Santo Agostinho, Montes Claros, Minas Gerais – Brasil.

Antônia Gonçalves de Souza, Faculdades Integradas Pitágoras de Montes Claros, Minas Gerais – Brasil.

Acadêmica de Psicologia das Faculdades Integradas Pitágoras de Montes Claros, Minas Gerais – Brasil.

Jordana Rabelo Soares, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais – Brasil.

Bibliotecária da Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais – Brasil.

Luís Paulo Souza e Souza, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestrando pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais

Renata Cristina Ribeiro Gonçalves, Faculdades de Saúde e Desenvolvimento Humano Santo Agostinho, Montes Claros, Minas Gerais – Brasil.

Docente do Departamento de Enfermagem das Faculdades de Saúde e Desenvolvimento Humano Santo Agostinho, Montes Claros, Minas Gerais – Brasil.

Carla Silvana Oliveira e Silva, Universidade Estadual de Montes Claros, Montes Claros, Minas Gerais – Brasil.

Doutora em Ciências. Docente do Departamento de Enfermagem da Universidade Estadual de Montes Claros, Montes Claros, Minas Gerais – Brasil.

Como Citar

1.
Cruz IM da, Santos MP dos, Souza IRD, Souza AG de, Soares JR, Souza e Souza LP, Gonçalves RCR, Silva CSO e. A MÚSICA COMO INTERVENÇÃO E CUIDADOS EM SAÚDE:: REVISÃO INTEGRATIVA. Rev. G&S [Internet]. 1 [citado 6º de março de 2021];6(1):pag. 549-564. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/2581

Edição

Seção

Artigos de Revisão

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##