Feminismo Comunitário do Sul

Lutas, territórios e res-existências das catadoras de lixo no município de Mossoró/RN/Brasil

Autores

  • karlla Souza UERN
  • Luan Gomes UFCG
  • Betânia Torres

DOI:

https://doi.org/10.21057/10.21057/repamv15n1.2021.38280

Palavras-chave:

Mulheres Catadoras; Epistemologias do Sul; Liderança Feminina; Socioeconomia da vida.

Resumo

Este artigo discorre sobre as principais lutas das catadoras de materiais recicláveis no âmbito da cidade de Mossoró/RN, expondo desde uma base teórico-epistemológica de ordem feminista negra e comunitária, ecofeminismo, feminismo decolonial, no contexto das rupturas paradigmáticas do pensamento do Sul. A ancoragem metodológica partiu do ponto de vista da injustiça cognitiva e social (Santos, 2010), e da voz das subalternas (Spivack, 2012), de onde realizamos pesquisa de campo e entrevistas em profundidade por um longo e intermitente período de tempo que se estendeu do ano de 2009 até o ano de 2021. O diálogo na pesquisa está centrado no protagonismo de Josefa Avelino, fundadora e atual presidenta da Associação Comunitária Reciclando para a Vida (ACREVI), mas contempla as catadoras de material reciclável da associação, que são em sua maioria mulheres negras, pobres, periféricas, mães, desempregadas, donas da economia do lar, que resistem diariamente nas ruas, vivendo das sobras, às sombras do modo de produção capitalista. Ao final, entendemos como a ação subjetiva de mulheres pode engendrar novas estratégias políticas em que a questão da produtividade está relacionada à outra lógica de economia da vida, uma economia das solidariedades

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Luan Gomes , UFCG

Luan Gomes dos Santos de Oliveira. Formado em ciências sociais (UFRN). Mestre em Meio ambiente e desenvolvimento (UFRN), Doutor em Educação (UFRN). Professor da Unidade Academica de Direito da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).

Betânia Torres

Licenciada em Ciências Sociais pela Faculdade Frassinetti do Recife (1989), mestra em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (2003), doutora em ciências sociais pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Professora adjunta IV da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Faculdade de Ciências Econômicas/Departamento de Gestão Ambiental. Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais e Humanas (PPGCISH/UERN)

Referências

BURSTYN, Marcel (org.). No meio da rua: nômades, excluídos e viradores. Rio de Janeiro: Garamond, 2002.

BURSTYN, Marcel. Da utopia à exclusão: vivendo nas ruas em Brasília. Rio de Janeiro: Garamond, 1997.

CAVALCANTE, Laiana Monaliza Santos. Caracterização do processo de coleta seletiva realizada pelas associações de catadores de materiais recicláveis, Mossoró-RN. Monografia (Bacharelado em Gestão Ambiental) – Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Mossoró, 2014.

COSTA, Maria da Graça; DIMENSTEIN, Magda; LEITE, Jáder Ferreira. “Feminismos e agroecologia: lutas contemporâneas na cidade”. In: BOSI, Maria Lúcia Magalhães; PRADO, Shirley Donizete; AMPARO-SANTOS, Ligia (org.). Cidade, corpo e alimentação: aproximações interdisciplinares [online]. Salvador: EDUFBA, 2019, pp. 69-97. Disponível em: https://doi.org/10.7476/9786556300108.0005. Acesso em: 25 set. 2021.

CUNHA, Teresa. “Todo o trabalho é produtivo: economias de abundância e da sobriedade”. In: GONZÁLES, Xoán Hermida (coord.). [Re] Pensar a Democracia. Compostela: Obencomún, 2017, pp. 101-134.

CUNHA, Teresa; LAURIS, Élida. “À procura de um outro constitucionalismo económico: construindo a cidadania a partir de iniciativas de economia solidária e popular lideradas por mulheres do Sul”. Sociologias, Porto Alegre, ano 18, n. 43, pp. 150-175, set/dez. 2016.

COLLINS, Patrícia Hill. “Pensamento feminista negro: o poder da autodefinição”. In: Pensamento feminista: conceitos fundamentais. Organização Heloisa Buarque de Holanda. Rio de Janeiro: Bazar do Tempo, 2019.

FEDERICI, Silvia. Calibã e a Bruxa: mulheres, corpo e acumulação primitiva. Tradução: Coletivo Sycoráx, São Paulo: Elefante, 2004.

FEDERICI, Silvia. O Ponto Zero da Revolução: trabalho doméstico, reprodução e luta feminista. São Paulo: Elefante, 2019.

FREIRE, Paulo. Educação como Prática da Liberdade. São Paulo: Paz e Terra, 1967.

GRAF, Roberta. Política Ambiental Transversal: uma experiência Amazônia brasileira. Tese (Doutorado em Política Científica e Tecnológica) – Universidade Estadual de Campinas. São Paulo, 2005.

GIDDENS, Anthony. Modernidade e identidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

HOOKS, Bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática de liberdade. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E MEIO AMBIENTE. Perfil do Município: Ano 2008. Disponível em: http://adcon.rn.gov.br/ACERVO/idema/DOC/DOC000000000013950.PDF. Acesso em: 28 set. 2021.

LAYRARGUES, Phhilippe Pomier. A natureza da ideologia e a ideologia da natureza: elementos para uma sociologia da educação ambiental. Tese (Doutorado em Sociologia) –Universidade de Campinas. Campinas, 2003.

LAYRARGUES, Phhilippe Pomier. “O cinismo da reciclagem: o significado ideológico da lata de alumínio e suas implicações para a educação ambiental”. In: LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo et al. Educação Ambiental: repensando o espaço da cidadania. 2 ed. São Paulo: Cortez, pp. 1-23, 2002.

LUGONES, María. Colonialidad y Genero. Revista Tabula Rasa, Bogotá, n. 9, pp. 57-73, jul/dez. 2008.

NASCIMENTO, Maria Beatriz. “O conceito de quilombo e a resistência cultural negra”. Afrodiáspora: Revista do mundo negro, ano 3, n. 6-7, pp. 273-294, abr/dez. 1985.

NÓBREGA, Maria Luciana da Silva. Catadores: uma análise filosófica sobre a construção da identidade social. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente) – Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Mossoró, 2006.

OLIVEIRA, Luan Gomes dos Santos de. A educação ambiental popular na associação comunitária reciclando para a vida (ACREVI). Monografia (Bacharel em Serviço Social) – Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Mossoró, 2009.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Semear Outras Soluções: os caminhos da biodiversidade e dos conhecimentos rivais. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

SANTOS, Boaventura de Sousa. “Para além do Pensamento Abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes”. Revista Crítica de Ciências Sociais, pp. 3-46, out. 2007.

SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (org.). Epistemologias do Sul. São. Paulo: Editora Cortez, 2010.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o Subalterno Falar? Belo Horizonte: Editora IFMG, 2012.

SAUVÉ, Lucie. Uma cartografia das correntes em educação ambiental. Porto alegre: Artmed, 2005.

SVAMPA, Maristella. As fronteiras do neoextrativismo na América Latina: conflitos socioambientais, giro ecoterritorial e novas dependências. Tradução de Lígia Azevedo. São Paulo: Elefante, 2019.

SHIVA, Vandana. As mulheres e a construção do novo mundo. Filme. Fronteiras do pensamento, 2013. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=XcKx-uE4xrw. Acesso em: 26 set. 2021.

TORRES, Maria Betânia Ribeiro. As cidades, os rios e as escolas: um estudo das práticas de educação ambiental nas cidades de Natal e Mossoró-RN. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, 2013.

YUDERKYS, Espinosa-Miñoso. “Una crítica descolonial a la epistemología feminista crítica”. El Cotidiano, n. 184, pp. 7-12, marzo/abril, 2014.

ZANETI, Izabel Cristina Bruno Bacelar. Além do Lixo-Reciclar: um processo de transformação. Brasília: Terra Una, 1997.

ZANETI, Izabel Cristina Bruno Bacelar. Educação Ambiental, Resíduos Sólidos Urbanos e Sustentabilidade: um estudo de caso sobre o sistema de gestão de Porto Alegre-RS. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Sustentável) – Universidade de Brasília. Brasília, 2003.

ZANETI, Izabel Cristina Bruno Bacelar. As sobras da modernidade. Porto Alegre: Corag, 2006.

Downloads

Publicado

2021-11-09

Como Citar

Souza, karlla, dos Santos de Oliveira, L. G. ., & Ribeiro Torres, M. B. (2021). Feminismo Comunitário do Sul : Lutas, territórios e res-existências das catadoras de lixo no município de Mossoró/RN/Brasil. Revista De Estudos E Pesquisas Sobre As Américas, 15(1), 105–127. https://doi.org/10.21057/10.21057/repamv15n1.2021.38280