FUNCIONALIZAÇÃO DA CLÁUSULA DE NON COMPETE EM CONTRATOS EMPRESARIAIS E O POSSÍVEL RETROCESSO DA LEI DA LIBERDADE ECONÔMICA

Autores

  • Gabriel Felipe Nami Inácio UnB

Palavras-chave:

cláusula de não concorrência, concorrência, critérios de interpretação, contratos empresariais, lei da liberdade econômica

Resumo

O presente trabalho buscou investigar e demonstrar a função exercida pelas cláusulas de non compete nos contratos empresariais, o que inevitavelmente culminou na exploração de critérios de interpretação a serem utilizados em contratos com cláusulas dessa natureza. Para tanto, utilizou-se como recurso metodológico a pesquisa bibliográfica nacional e internacional, bem como a pesquisa jurisprudencial que contribuiu para a compreensão moderna da cláusula de não concorrência.  Assim, a partir dos fundamentos do direito concorrencial e de uma breve explicação do contexto histórico de surgimento das restrições concorrenciais, foi possível compreender os fundamentos, funções, limites e eficácia das cláusulas de não concorrência. Ao final, observou-se que as cláusulas de non compete implicam em renúncia a direito constitucional, exercendo funções como a de evitar a concorrência desleal, proteger a clientela e o fundo de comércio e satisfazer necessidades econômicas das partes. Isso resultou também em breve análise da ampla margem de discricionariedade concedida pela Lei da Liberdade Econômica, que pode travestir de legalidade operações com efeitos anticoncorrenciais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AREEDA, Phillip, KAPLOW, Louis. Antitrust Analysis: problems, text, cases. 5 ed. Boston: Aspen Law & Business, 1997. 1067 p.

BANCO MUNDIAL, OECD. A framework for the design and implemen- tation of competition law and policy. Washington-Paris, 1999. 150 p

BORK, Robert H. The Antitrust Paradox: a policy at war with itself. New York: The Free Press, 1978.

BRASIL. Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE). Proces- so Administrativo n.o 08012.006636/1997-43. Relator Conselheiro Luís Fer- nando Rigato Vasconcellos. Data de julgamento: 4 set. 2007. Disponível em: <https://sei.cade.gov.br/sei/modulos/pesquisa/md_pesq_processo_exibir. php?KOXi3eEqJC73dCc3G_MH5w73G76ivtXYDDG65Jr7vK4fhNNdR- nnFDgAfJTIfRn8_ywCudV1gCNGrQiNgXFAcnTAn-1H9eCcMIQ1yx- f9UE6mfuE2qvPz1A8Crc0RK4aEr>. Acesso em 27 mar. 2020

Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE). Proces- so Administrativo n.o 08012.002841/2001-13. Relator Conselheiro Roberto Augusto Castellanos Pfeiffer. Data de julgamento: 15 dez. 2004. Disponível em: <https://sei.cade.gov.br/sei/modulos/pesquisa/ md_pesq_processo_exibir.php?0c62g277GvPsZDAxAO1tMiVcL9Fc- FMR5UuJ6rLqPEJuTUu08mg6wxLt0JzWxCor9mNcMYP8UAjTVP- 9dxRfPBcZC3zCj7BpnbJWP5QKqelu8twfIXneBy0NS3knL3tsoS>. Acesso em 28 mar. 2020

Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE). Súmula n.o 5. Data de publicação: 9 dez. 2009. Disponível em: <http://www.cade.gov. br/assuntos/normas-e-legislacao/sumulas-do-cade/sumula-no-5-pu- blicada-no-d-o-u-de-09-12-2009/view> Acesso em 15 mar. 2020.

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao. htm>. Acesso em 5 mar. 2020.

Lei no. 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Institui o Código Civil. Dispo- nível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/consti- tuicao.htm>. Acesso em 5 mar. 2020.

Lei no. 13.874, de 20 de setembro de 2019. Institui a Declaração de Di- reitos de Liberdade Econômica; estabelece garantias de livre mercado; altera as Leis nos 10.406, de 10 de janeiro de 2002 (Código Civil), 6.404, de 15 de dezembro de 1976, 11.598, de 3 de dezembro de 2007, 12.682, de 9 de julho de 2012, 6.015, de 31 de dezembro de 1973, 10.522, de 19 de julho de 2002, 8.934, de 18 de novembro 1994, o Decreto-Lei no 9.760, de 5 de setembro de 1946 e a Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943; revoga a Lei Delegada no 4, de 26 de setembro de 1962, a Lei no 11.887, de 24 de dezembro de 2008, e dispositivos do Decreto-Lei no 73, de 21 de novembro de 1966; e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em 5 mar. 2020.

BRUNA, Sérgio Varella. O poder econômico e a conceituação do abuso em seu exercício. Revista dos Tribunais: São Paulo, 1997.

CHIOVENDA, Giuseppe. Instituzioni di diritto processuale civile. Napo- li: Jovene, 1933.

CUNHA, Ricardo Thomazinho da. Direito de defesa da concorrência: Mercosul e União Européia. Barueri: Manole, 2003. p. 24

DELVOLVÉ, Pierre. Droit public de l’économie. Paris: Dalloz, 1998. FORGIONI, Paula. Contratos Empresariais: teoria geral e aplicação. 4 ed.

São Paulo: Revista do Tribunais, 2019.

FRAZÃO, Ana. Direito da Concorrência: pressupostos e perspectivas. São Paulo: Saraiva Jur, 2017.

JUDITH MARTINS-COSTA. O Direito Privado como um “sistema em construção”: As cláusulas gerais no Projeto do Código Civil brasileiro.Revista de Informação Legislativa, n. 193, p. 5–22, 1998.

KHAN, Lina M. Amazon’s Antitrust Paradox. The Yale Law Journal, 2017. Disponível em: <http://www.internetretailer.com/2016/ol/28/ amazon-sales-climb-22>.

KONDER, Carlos Nelson de Paula. A constitucionalização do processo de qualificação dos contratos no ordenamento jurídico brasileiro. 237p. Tese (Doutorado em Direito Civil). Faculdade de Direito. Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro. 2009.

LACHMANN, W. The development dimension of competition law and policy. UNCATD Series on issues in competition law and policy. UN, New York and Geneva, 1999.

SALOMÃO FILHO, Calixto. Direito concorrencial. São Paulo: Malheiros, 2013.

SILVA, José Afonso da. Curso de direito constitucional positivo. 16 ed. São Paulo: Malheiros, 1999, pp. 767-768.

SILVA, Michael César. Direito à informação qualificada na relação mé- dico-paciente: Estudo das implicações da diferença entre Certificado de Pós-Graduação Lato Sensu e Título de Especialista em Dermatologia. Revista de Informação Legislativa, Brasília, v. 48, n. 189, p.253, 2011. Trimestral.

PONTES DE MIRANDA. Tratado de Direito Privado. 4a ed. São Paulo: RT, 1983. t. XVII.

PROUDHON, Pierre-joseph. Système des contradictions économiques ou Philosophie de la misère. Miami: Hardpress, 2017.

RENTZSCH, Rodrigo; BARATA, Sarmento; RAUPP, Daniel Marques. As cláusula de não competição nos contratos empresariais de longa dura- ção. Revista Brasileira de Direito Empresarial, v. 4, n. 2, p. 20–38, 2018.

Publicado

2020-07-24

Como Citar

Inácio, G. F. N. (2020). FUNCIONALIZAÇÃO DA CLÁUSULA DE NON COMPETE EM CONTRATOS EMPRESARIAIS E O POSSÍVEL RETROCESSO DA LEI DA LIBERDADE ECONÔMICA. Revista Dos Estudantes De Direito Da Universidade De Brasília, 1(17). Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/redunb/article/view/30747