"É muito duro esse trabalho": Notas sobre um projeto de extensão em Antropologia

Autores

  • Soraya Resende Fleischer Universidade de Brasília
  • Luiza Rabello Universidade de Brasília
  • Marcos Alvarenga Universidade de Brasília
  • Monique Batista Universidade de Brasília
  • Natharry Almeida Universidade de Brasília
  • Polliana Esmeralda Universidade de Brasília

Palavras-chave:

Extensão. Antropologia. Ceilândia. Saúde pública.

Resumo

Este artigo tem por objetivo sistematizar uma experiência recente de extensão na área da saúde pública e da Antropologia na cidade da Ceilândia/DF. Reflexões sobre a relação entre a equipe de funcionários de um centro de saúde, seus problemas de saúde e de trabalho e a metodologia da Antropologia são a tônica do texto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Soraya Resende Fleischer, Universidade de Brasília

Professora doutora do Departamento de Antropologia da UnB (DAN/UnB), pesquisadora da área de antropologia política da saúde e coordenadora do projeto.

Luiza Rabello, Universidade de Brasília

Graduandos de Ciências Sociais da UnB e bolsistas do projeto.

Marcos Alvarenga, Universidade de Brasília

Graduando de Ciências Sociais da UnB e bolsista do projeto.

Monique Batista, Universidade de Brasília

Graduando de Ciências Sociais da UnB e bolsista do projeto.

Natharry Almeida, Universidade de Brasília

Graduanda de Ciências Sociais da UnB e bolsista do projeto.

Polliana Esmeralda, Universidade de Brasília

Graduando de Ciências Sociais da UnB e bolsista do projeto.

Referências

AGUIAR, A. D. F.; BARRETO, E. O.; AGUIAR, K. S.; BIAZZINI, M. G.; SILVA, P. M. Saúde do trabalhador de enfermagem que atua em
Centro de saúde. Rev Inst Ciênc Saúde vol 27, n 2, 2009, p. 103-108.
BIANCHESSI, D. L. C.; TITTONI, J. Trabalho, saúde e subjetividade sob o olhar dos trabalhadores administrativo-operacionais de
um hospital geral, público e universitário. Physis Revista de Saúde Coletiva, vol 19, n 4, 2009, p. 969-988.
BONELLI, M. G. Estudos sobre profissões no Brasil. In: MICELI, S. (Org.). O que ler na Ciência Social Brasileira (1970-1995), Sociologia, v. 2. São Paulo: Idesp/Sumaré/Anpocs/Capes, 1999, p. 287-330.
CARVALHO, J. J. A prática da extensão como resistência ao eurocentrismo, ao racismo e à mercantilizição da universidade. SALÃO DE EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL, 5. Porto Alegre, 2004.
DALMOLIN, G. L; LUNARDI, V. L.; FILHO, W. D. L. O sofrimento moral dos profissionais de enfermagem no exercício da profissão.
Rev. Enferm., vol 17, n 1, p. 25-30, Rio de Janeiro, jan/mar 2009.
FLEISCHER, S. A cronicidade e o controle: notas etnográficas sobre pessoas com hipertensão e diabetes num bairro da Ceilândia
Sul, DF. REUNIÃO DE ANTROPOLOGIA E POLÍTICAS DE SAÚDE,1 (Comunicação). Universidade de São Carlos, 2010.
______. O mundo dos mal e bem passares: Vivendo com hipertensão na Guariroba, Ceilândia/DF. SEMINÁRIO DE ANTROPOLOGIA DA SAÚDE DA UNESP/Marília, 2 (Comunicação). Marília-SP, 16/11/2011.
FLEISCHER, S.; CARNEIRO, F. Um relato do projeto de extensão ‘construindo ambientes saudáveis’: entendendo as diferentes
casas que nos abrigam. Tempus Actas em Saúde Coletiva, 2009, vol 4, n 4, p. 149-157.
LOPES, J. S. L.; ALVIM, R. Uma autobiografia operária: a memória entre a entrevista e o romance. Estudos Avançados, vol 16, n
37, 1999, p. 105-124.
LOPES, M. J. M.; LEAL, S. M. C. A feminização persistente na qualificação profissional da enfermagem brasileira. Cadernos Pagu,
número 24, 2005, p. 105-125.
MACHADO, M. H. La mujer y el mercado de trabajo en el sector de la salud in las Americas: hegemonia feminina? In: GÓMEZ GÓMEZ, E. Género, mujer y salud en las Americas. Washington: Opas, (Caderno Opas 541 p) , 1993, p. 277-285.
NASCIMENTO, G. M.; DAVID, H. M. S. L. Avaliação de riscos no trabalho dos agentes comunitários de saúde: um processo participativo. Rev. enferm. vol 16, n 4 Rio de Janeiro, 2008, p. 550-556.
POLLAK, M. Memória, esquecimento e silêncio. Estudos Históricos. Rio de Janeiro, vol 2, n 3, 989, p. 3-15.
REINHARDT, E. L.; FISCHER, F. M. Barreiras às intervenções relacionadas à saúde do trabalhador do setor saúde no Brasil. Rev
Panam Salud Publica, vol 25, n 2009, p. 411-417.
SIGAUD, L. M.; L’ESTOILE, B. (Orgs.). Ocupações de terra e transformações sociais: uma experiência de etnografia coletiva. Rio de
Janeiro: FGV, 2006.

Downloads

Publicado

2012-09-26

Como Citar

FLEISCHER, Soraya Resende; RABELLO, Luiza; ALVARENGA, Marcos; BATISTA, Monique; ALMEIDA, Natharry; ESMERALDA, Polliana. "É muito duro esse trabalho": Notas sobre um projeto de extensão em Antropologia. Participação, [S. l.], n. 21, 2012. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/participacao/article/view/23957. Acesso em: 27 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos de desenvolvimento teórico

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.