O índio na imaginação nacional da América Latina

Autores

  • Cristhian Teófilo da Silva Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.26512/interethnica.v12i1.11884

Palavras-chave:

Imaginação Nacional. indigenismos. relações interétnicas.

Resumo

Esta comunicação enfatiza o indigenismo na qualidade de uma filosofia social do colonialismo, que se encontra diversamente disseminado em praticamente todos os países do continente americano. Nesse sentido, o objetivo da comunicação será propor uma abordagem aos indigenismos na região em perspectiva comparada. A principal motivação para esse exercício é elucidar a centralidade das ideias e políticas acerca do "índio" e seus territórios para a imaginação nacional dos países latino-americanos em seus respectivos processos de construção nacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristhian Teófilo da Silva, Universidade de Brasília

Antropólogo, professor e ex-diretor do Centro de Pesquisa e Pós-Graduação sobre as Américas (CEPPAC) da Universidade de Brasília (UnB). Bolsista de Produtividade em Pesquisa - Nível 2 do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Pesquisador associado do Centre interuniversitaire d'études et de recherches autochtones/Interuniversity Centre for Aboriginal Studies and Research (CIÉRA) da Université Laval (ULaval). Conselheiro da seção Etnicidade, Raça e Povos Indígenas (ERIP) da Associação de Estudos Latino-Americanos (LASA) e membro da Comissão de Assuntos Indígenas (CAI) da Associação Brasileira de Antropologia (ABA). Também é sócio da Canadian Anthropology Society/La société canadienne d'anthropologie (CASCA). É fundador e coordenador do Grupo de Pesquisa (CNPq) e do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Movimentos Indígenas, Políticas Indigenistas e Indigenismo (LAEPI) e editor da Interethnic@-Revista de estudos em relações interétnicas. Atualmente, desenvolve pesquisa, com recursos do CNPq, sobre reservas e terras indígenas, políticas indigenistas e regimes de indianidade no Brasil, no Canadá e no Québec.

Referências

BAINES, Stephen Grant. “Os Waimiri-Atroari e a Invenção Social da Etnicidade pelo Indigenismo Empresarial”. Anuário Antropológico 94. Rio de Janeiro/Brasília: DAN/UnB, 1995.

BAZÁN, M. C. Reforma del Estado: política social e indigenismo em México (1988-1996). México: UNAM/IIA, 1999.

BELTRÁN, Gonzalo Aguirre. El Pensar y el Quehacer Antropológico en México. Puebla:UAP, 1994.

CARDOSO DE OLIVEIRA, Roberto. A Crise do Indigenismo. Campinas: Unicamp, 1988.

FERNANDES, Florestan. A Função Social da Guerra na Sociedade Tupinambá. São Paulo: Ed. da USP, 1970.

FREYRE, Gilberto. Sobrados e mocambos. Rio de Janeiro: Record, 1996 [1936].

GAMIO, Manoel. Forjando Pátria. México: Porúa, 1982.

LEITÃO, Rosani Moreira. Escola, Identidade Étnica e Cidadania: comparando experiências e discursos de professores Terena (Brsil) e Purápecha (México). Brasília: CEPPAC/UnB (tese de doutorado), 2005.

LIMA, A. C. de S. Um Grande Cerco de Paz: poder tutelar, indianidade e formação do Estado no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1995.

OLIVEIRA, A N. Fragmentos da Etnografia de uma Rebelião do Objeto: indigenismo e antropologia em tempos de autonomia indígena. Anuário Antropológico 98. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro,2002.

Downloads

Publicado

2014-05-28

Como Citar

SILVA, C. T. da. O índio na imaginação nacional da América Latina. Revista de Estudos em Relações Interétnicas | Interethnica, [S. l.], v. 12, n. 1, p. 17–28, 2014. DOI: 10.26512/interethnica.v12i1.11884. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/interethnica/article/view/11884. Acesso em: 9 maio. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)