Rousseau e as Artes

Uma Leitura do Pigmaleão

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/rfmc.v8i3.31941

Palavras-chave:

Rousseau. Romantismo. Pigmaleão. Artes. Teatro.

Resumo

O presente texto apresenta uma tradução da peça Pygmalion, escrita pelo filósofo genebrino Jean-Jacques Rousseau (1712-1778). A tradução foi feita direta do original em francês, o qual está contida nos “Contes et Apologues” (Contos e Apólogos) das Œuvres Complètes (Obras Completas), publicada em cinco volumes, na França, pelas Edições Gallimard, da coleção Bibliothèque de la Pléiade, sob a direção de Bernard Gagnebin e Marcel Raymond. Após a tradução, o artigo procura discutir que enquanto Rousseau condenava as artes, dentre elas o teatro, como um dos elementos causadores da corrupção humana, escreveu diversas obras artísticas, entre elas poesias, romances, óperas e peças de teatro. Aliás, o autor pode ser considerado como um dos precursores do romantismo, tendo influenciado nomes como o do grande escritor alemão Goethe. Entretanto, a estética rousseauniana tem a perspectiva de se encontrar o remédio no próprio veneno, isto é, a utilização das artes como remédio para os males que elas causaram no coração humano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Wilson Alves de Paiva, Universidade Federal de Goiás, UFG

Doutor em Filosofia da Educação, pela USP, com pós-doutorado na University of Calgary (Canadá) e na Sorbonne Université (França). Mestre em Filosofia Ética e Política, pela UFG, especialista em Educação, pela FACINTER e graduado em Pedagogia pela UFPA. Professor da Faculdade de Educação da UFG e do PPGE - Programa de Pós-Graduação em Educação da UFG (stricto sensu). É especialista em Rousseau, como foco na obra "Emílio ou da Educação". É membro da Rousseau Association, da Societé Jean-Jacques Rousseau, da Sociedade Portuguesa de Filosofia, da ABES18 e além de outras associações e grupos de pesquisa no Brasil e no exterior. Foi editor da Revista Vita et Sanitas (FUG) e da Revista EducAtiva (PUC). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Fundamentos da Educação, Filosofia Educação, Ensino de filosofia, Filosofia para crianças e adolescentes, Teorias educacionais, cultura e educação, educação brasileira, jesuítas, colonização, filosofia política, democracia, Rousseau, descentralização educacional, municipalização do ensino, políticas públicas, política e escola. Professor visitante na Facultad de Filosofía da Universidad Autónoma de Madrid (Espanha), na Werklund School of Education da University of Calgary (Canada) e na Faculdade de Filosofia Universidade da Universidade Paris-Sorbonne (França).

Referências

BRANDÃO, Junito de Souza. Dicionário mítico-etimológico da mitologia grega. Petrópolis-RJ: Vozes, 2014.

LICHT, Hans. Sexual life in ancient Greece. USA: Read Books, 2018.

NAITO, Yoshihiro. Le Pygmalion de Rousseau et son esthétique de l'opéra. Ritsumeikan Studies in Langage and Culture, 25-2, 2014, p. 167-180. Disponível em: https://www.academia.edu/6300615/Le_Pygmalion_de_Rousseau_et_son_esthétique_de_lopéra. Acessado em 15/02/2020.

KERÉNYI, Karl. A mitologia dos gregos (3 volumes). Trad. Octavio Mendes Cajado. Petrópolis-RJ: Vozes, 2015.

MATTOS, Franklin. A querela do teatro no século XVIII: Voltaire, Diderot, Rousseau. São Paulo: Rev. O que nos faz pensar, no 25, agosto de 2009.

OVIDE. Tristes. Texte établi et traduit par Jacques André. Paris: Belles Lettres, 1987.

PAIVA, Wilson Alves de. O jardim de Rousseau e a virtude do jardineiro. Cadernos De Ética E Filosofia Política, 1(14), 147-178. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/cefp/article/view/83324.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Œuvres Complètes, 5v. Paris: Pleiade, 1959-1960.

______. Do contrato social e Ensaio sobre a origem das línguas. Tradução de Lourdes Santos Machado. Introduções e notas de Paul Arbousse-Bastide e Lourival Gomes Machado. S. Paulo: Nova Cultural, 1999a. (Coleção Os Pensadores; volume I)

______. Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens / Discurso sobre as ciências e as artes. Tradução de Lourdes Santos Machado. Introduções e notas de Paul Arbousse-Bastide e Lourival Gomes Machado. S. Paulo: Nova Cultural, 1999b. (Coleção Os Pensadores; volume II)

VEDRINI, Mireille. Les jardins secrets de Jean-Jacques Rousseau, préface de Bernard Gagnebin Chambery: Agraf, 1989.

STAROBINSKI, Jean. A transparência e o obstáculo: seguido de sete ensaios sobre Rousseau. Trad. Lúcia Maria Machado. São Paulo: Companhia das Letras, 1991.

Downloads

Publicado

2021-01-31

Como Citar

PAIVA, W. A. de. Rousseau e as Artes: Uma Leitura do Pigmaleão. Revista de Filosofia Moderna e Contemporânea, [S. l.], v. 8, n. 3, p. 225–246, 2021. DOI: 10.26512/rfmc.v8i3.31941. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/fmc/article/view/31941. Acesso em: 1 ago. 2021.