O eu, suas identidades e o mundo moral

Autores

  • Roberto Cardoso de Oliveira

Palavras-chave:

Antropologia, Homenagem

Resumo

Desde já - como sugere o próprio título - estou distinguindo ambos os conceitos: o de Eu (Ego ou, ainda, Self) e o de Identidade, uma distinção que em minha disciplina, a antropologia, nem sempre tem tido lugar! Como encaminhar essa discussão? Pareceu-me que a epígrafe acima poderia ser um bom mote para iniciar algum as considerações sobre esse Eu e suas múltiplas identidades que é levado a administrar na vida cotidiana de uma pessoa. Mas quando em um texto antropológico ou sociológico se fala de uma pessoa, naturalmente se está enfatizando o indivíduo socializado, membro de uma comunidade de indivíduos, igualmente pessoas ou personae - para ficarmos com o termo latino - , carregado de sentido sócio-cultural. Porém, a epígrafe aponta para um outro aspecto que em pleno período da Ilustração tinha especial significado: a essência do ser humano, ou o que faz a humanidade do gênero humano. Continuemos com a epígrafe: “e graças à unidade da consciência em todas as mudanças que lhe pode acontecer, ele é uma única e mesma pessoa [...]” (Kant, 1984: 17). Kant aduz ainda o caráter racional desse Eu, o que o toma diferente “dos animais sem razão”, destituídos da faculdade de pensar que é o entendimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

APEL, K-O. 1980. “The a priori o f the communication community and the foundations of Ethics: The problem of a rational foundation o f ethics in the scientific age”. In Towards a Transformation o f Philosophy. Londres: Routledge & Kegan Paul. pp. 225-300.
CARDOSO DE OLIVEIRA, R. 1960. O Processo de Assimilação dos Terêna. Rio de Janeiro: Museu Nacional (2? ed., 1976).
------ . 1964. O índio e o Mundo dos Brancos: a situação dos Tükúna do alto Solimões. São Paulo: Difusão Européia do Livro (4? ed., 1996).
------ - 1968. Urbanização e Tribalismo: a integração dos índios Terêna numa sociedade de classes. Rio de Janeiro: Zahar (Coleção Etnologia Brasileira).
___ 1976. Identidade, Etnia e Estrutura Social. São Paulo: Livraria Pioneira Editora.
____ 1996. “Antropologia e Moralidade: Etnicidade e as possibilidades de uma ética planetária”. In Roberto CARDOSO DE OLIVEIRA & Luís R. CARDOSO DE OLIVEIRA, Ensaios Antropológicos sobre Moral e Ética. Rio de Janeiro: Edições Tempo Brasileiro, pp. 51-72.
____Os Diários e suas Margens: Viagem aos territórios Terêna e Tükúna (a sair pela Editora da UnB).
COHEN, A. P. 1994. Self-consciousness: An alternative Anthropology o f Identity. Londres: Routledged.
ERIKSON, E. 1968. Identity, Youth and Crisis. Nova Iorque: W. W. Norton & Co. Inc.
FOUCAULT, M. 1984. The ethics of the concem of the self as a practice of freedom. Philosophy and Social Criticism, 12(2-3): 112-131.
GIDDENS, A. 1989. A Constituição da Sociedade. São Paulo: Livraria Martins Fontes Editora.
____1991. Modernity and Self-identity: Self and Society in the Late Modern Age. Cambridge: Polity Press.
HALLOWELL, A. I. 1955. Culture and Experience. Philadelphia: University of Pennsylvania Press.
HORTON, R. 1984 [1967]. “African Traditional Thought and Western Science”. In Rationality (Bryan R. Wilson, org.). Grã Bretanha: Basil Blackwell. pp. 131-171.
KANT, E. 1984 [1798]. Antropologie du point de vue pragmatique. Tradução de Michel Foucault. Paris: Vrin.
KLUCKHOHN, C. 1953. “Universal Category o f Culture”. In Anthropology Today: An Encyclopedic Inventory (Alfred Kroeber,,' org.). Chicago: University of Chicago Press. pp. 507-523.
LAIDLAW, J. 2002. For an Anthropology o f Ethics and Freedon. The Journal o f the Royal Anthropological Institute 8(2): 311-332.
LARAIA, R. B. & Roberto DaMATTA. 1967. índios e Castanheiros: A empresa extrativa e os índios no médio Tocantins. São Paulo: Difusão Européia do Livro.
MALiSS, M. 1938. Une categorie de 1'esprit humain: la notion de personne, celle de ‘moi’, um plan de travail (Huxley Memorial Lecture, 1938). Journal o f the Royal Anthropological Institute 68: 263-281.
MELATT1, J. C. 1967. Índios e Criadores: a situação dos Krahó na área pastoril do Tocantins. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro (Monografia do I.C.S., vol. 3).
RICHARDS, A. 1970. “Socialization and Contemporary British Anthropology”. In Socialization: The approach from social anthropology (Philip Mayer, org.). Londres: Tavistock Publications. pp. 01-32.
SÕKEFELD, M. 1999. Debating Self, Identity, and Culture in Anthropology. Current Anthropology 40(4): 417-447.
TUGENDHAT, E. 1988. Problemas de la Ética. Barcelona: Editorial Crítica.

Downloads

Publicado

2018-02-08

Como Citar

de Oliveira, Roberto Cardoso. 2018. “O Eu, Suas Identidades E O Mundo Moral”. Anuário Antropológico 25 (1):11-25. https://periodicos.unb.br/index.php/anuarioantropologico/article/view/6760.
Share |

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.