Tempo e tradição

Interpretando a antropologia

Autores

  • Roberto Cardoso de Oliveira

Palavras-chave:

Conferência

Resumo

Há quase trinta anos atrás, em 1955, quando, numa reunião como esta, nossa Associação elegia sua primeira diretoria, no mesmo ano e na Europa, numa pequena cidade da Normandia, o filósofo alemão Martin Heidegger se questionava sobre o SER da filosofia em sua conferência de abertura de um coloquio internacional.2 A importância da reflexão heideggeriana estava no fato de exprimir ”” ao formular aquela questão ”” uma nova tendência de seu pensamento (que a história registraria como o segundo Heidegger) pautada no esmiuçamento da tradição e da linguagem, submetidas ambas a um infindável exercício hermenêutico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

JBOAS, Franz. “The Methods of Ethnology”. In Race, Language & Culture. Nova Iorque: MacMillan, 1955.
CARDOSO DE OLIVEIRA, Roberto. As “Categorias do Entendimento” na Formação da Antropologia. Anuário Antropológico/81. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro/UFC: 125-46, 1983.
GEERTZ, Clifford. “The Cerebral Savage; On the Work of Claude Lévi- Strauss". In The Interpretation of Cultures. Londres: Hutchinson, 1975.
------------. A Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.
----------- . Local Knowledge. Further Essays in Interpretive Anthropology. Nova Iorque: Basic Books, 1982.
GRANGER, Gilles-Gaston. Essai d’une Philosophic du Style. Paris: Librairie Armand Colin, 1968. (Traduzido como Filosofia do Estilo pela Editora Perspectiva).
RICOEUR, Paul. “Herméneutique et Critique des Ideologies”. In Démythisation et Idéologie. Paris: Aubier, 1973.

Downloads

Publicado

2018-01-24

Como Citar

de Oliveira, R. C. (2018). Tempo e tradição: Interpretando a antropologia. Anuário Antropológico, 9(1), 191–203. Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/anuarioantropologico/article/view/6333

Edição

Seção

Conferência