Totens e Xamãs na Pós-graduação

Autores

  • Claudia Fonseca

Palavras-chave:

Antropologia

Resumo

Sendo esta mesa sobre o ensino de antropologia na pós-graduação1, falarei sobre a formação de antropólogos profissionais ”” futuros professores e pesquisadores. Com o risco de soar elitista, insisto que a pós-graduação é o lugar apropriado para criar antropólogos. E quero, em primeiro lugar, explicar esta postura. Falamos muito, durante este seminário, sobre a formação do antropólogo enquanto processo de conversão religiosa. Que essa noção explique muita coisa, não tenho dúvidas. (Na UFRGS, a nova turma do Mestrado mandou fazer camisetas estampadas na frente com: "Falange Antropológica"). Mas, se o espírito religioso tem suas vantagens, também tem seus problemas. Acredito, por exemplo, que a natureza passionnelle de nosso engajamento explica porque é difícil para nós definir com nitidez as diferentes etapas da formação acadêmica: graduação, mestrado, doutorado... Queremos adiantar o processo iniciático agora para produzir antropólogos na graduação e, quem sabe, até incluir antropologia no lugar das aulas de religião no nível secundário2... E não duvido que certos centros consigam abrir excelentes cursos de graduação. Mas, como política geral, eu assumiria uma atitude mais protestante em face da conversão à antropologia ”” um batismo, não do recém-nascido, mas do indivíduo mais maduro e que enfatiza a importância do livre arbítrio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BOAS, Franz. 1968. Race, Language and Culture. New York: The Free Press [Collier-Macinillan, 1940],
CHAGNON, Napoleon A. 1968. Yanonuitno: The Fierce People. New York: Holt, Rinehart Winston.
COMAROFF, John & Jean. 1992. Ethnography and the Historical Imagination. Boulder: Westview Press (Studies in the Ethnographic Imagination).
CORREA, Mariza. 1995. "Damas e Cavalheiros de Fina Estampa, Dragões e Dinossauros, Heróis e Vilões". In O Ensino da Antropologia no Brasil: Temas para uma Discussão (ABA [Mariza Peirano], org.). Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Antropologia.
DUARTE, Luiz Fernando Dias. 1995. "Formação e Ensino na Antropologia Social: Os Dilemas da Universalização Romântica". In O Ensino da Antropologia no Brasil: Temas para uma Discussão (ABA [Mariza Peirano], org.). Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Antropologia.
DUARTE, Luiz Fernando Dias et alii. 1993. Vicissitudes e Limites da Conversão à Cidadania nas Classes Populares Brasileiras. Re vis Ia Brasileira de Ciências Sociais 22 (8): 5-19.
EVANS-PR1TCHARD, E.E. 1962. "Social Anthropology: Past and Present". In Social Anthropology and Other Essays. MacMillan paperback. (The Marett Lecture, 1950)
FRY, Peter. 1995. "Formação ou Educação: Os Dilemas dos Antropólogos perante a Grade Curricular". In O Ensino da Antropologia no Brasil: Temas para unm Discussão (ABA [Mariza Peirano], org.). Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Antropologia.
GEERTZ, Clifford. 1973. The interpretation of Cultures. New York: Basic Books.
______ . 1983. Local Knowledge and Further Essays in Interpretative Anthropology. New York: Basic Books.
______ . 1989. El antropólogo como Autor. Barcelona: Paidos.
GOUGH, Kathleen. 1968. Anthropology: Child of Imperialism. Monthly Review 19(11): 12-27.
HARRIS, Marvin. 1968. The Rise o f Anthropological Theory. New York: Harper and Row.
LEACH, Edmund. 1974. Repensando a Antropologia. São Paulo: Perspectiva.
MONTERO, Paula. 1995. "Tendencias da Pesquisa Antropológica no Brasil". In O Ensino da Antropologia no Brasil: Ternas para uma Discussão (ABA [Mariza Peirano], org.). Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Antropologia.
OLIVEN, Ruben George. 1992. A Parte e o Todo: A Diversidade Cultural no Brasil-Nação. Petrópolis: Vozes.
PEIRANO, Mariza. 1995. "Um Ponto de Vista sobre o Ensino da Antropologia". In O Ensino da Antropologia no Brasil: Temas para uma Discussão (ABA [Mariza Peirano], org.). Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Antropologia.
SAHLINS, Marshall. 1976. Culture and Practical Reason. Chicago: The University of Chicago Press.
______ . 1990. Ilhas de História. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.
SANCHIS, Pierre. 1995. "Uma Leitura dos Textos da Mesa Redonda sobre O Ensino das Ciências Sociais em Questão: A Antropologia’". In O Ensino da Antropologia no Brasil: Temas para uma Discussão (ABA [Mariza Peirano], org.). Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Antropologia.
VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. 1995. "Sobre a Antropologia Hoje: Te(i)ma para Discussão. In O Ensino da Antropologia no Brasil: Temas para uma Discussão (ABA [Mariza Peirano], org.). Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Antropologia.
ZALUAR, Alba. 1995. Cidadãos não Vão ao Paraíso. Campinas: Editora da UNICAMP.

Downloads

Publicado

2018-02-06

Como Citar

Fonseca, Claudia. 2018. “Totens E Xamãs Na Pós-graduação”. Anuário Antropológico 21 (1):33-48. https://periodicos.unb.br/index.php/anuarioantropologico/article/view/6629.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.