Na adoção de um nome, a delimitação de um eixo intelectual esboço da concepção de memória no CMD

Main Article Content

Resumo

Escrito em observância a critérios biográficos e memorialistas, quando faz um retorno à situação na qual se deu a troca da denominação em que se fixou o atual nome do grupo, a proposta deste texto consiste em articular o diálogo entabulado com a obra eliasiana com a definição do eixo-matriz da problematização sobre o qual se estabeleceu e desdobrou exames de temáticas que firmaram a silhuetas dos interesses de pesquisa, estudos e reflexão do CMD. E na mesma tocada analítica, argumenta o quanto a aplicação na execução sempre atualizada desses exames, legou um padrão operacional que, ao priorizar o acompanhamento de trajetórias sociobiográficas, como recurso de vigilância epistemológica, requisita a reflexividade da trajetória do/a próprio/a pesquisador/a.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Article Details

Como Citar
Farias, E., Nery, S., & Gusmão, M. S. (2023). Na adoção de um nome, a delimitação de um eixo intelectual: esboço da concepção de memória no CMD. Arquivos Do CMD, 10(1), 150–208. Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/CMD/article/view/51685
Seção
Memórias de Pesquisa
Biografia do Autor

Edson Farias, UnB

Pesquisador do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). Professor do PGSOL/UnB (Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade de Brasília) e do PPG em Memória: Sociedade e Linguagem da UESB (Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia). Líder do grupo de pesquisa Cultura, Memória e Desenvolvimento (CMD/UnB). Coordenador do Comitê de Pesquisa em Sociologia da Cultura da SBS. Membro do Comitê de Patrimônio e Cultura Brasileiro da ANPOCS. Editor da revista Arquivos do CMD

Salete Nery, UFRB

Possui doutorado em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia (2009). Possui pós-doutorado em Memória: Linguagem e Sociedade pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (2017). É professora associada da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). É credenciada como docente permanente junto ao Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e ao Programa de Pós-Graduação em Memória mória: Linguagem e Sociedade da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). É líder do Grupo de Pesquisa Corpo, Socialização e Expressões Culturais (ECCOS/UFRB) e pesquisadora do Grupo Cultura, Memória e Desenvolvimento (CMD/UnB). É membro do comitê editorial da revista Arquivos do CMD. Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia da Cultura e Teoria Social, atuando principalmente nos seguintes temas: economia simbólica, consumo e cultura.

Milene Silveira Gusmão, UESB

Doutora em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia. Professora Titular do Departamento de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). Docente do quadro permanente do Programa de Pós-graduação em Memória: Linguagem e Sociedade (PPGMLS) e do Bacharelado em Cinema e Audiovisual

Referências

ABREU, Capristano. Capítulos da História Colonial (1500-1800). Brasília (DF) : Senado Federal, 1998.

ALONSO, Ângela. Idéias em movimento: A geração 1870 na crise do Brasil-Império. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 2005.

ALVES, Elder Patrick Maia. Diversidade cultural, patrimônio cultural material e cultura popular: a Unesco e a construção de um universalismo global. Sociedade e estado, v. 25, p. 539-560, 2010.

ALVES, Elder P. Maia. A Economia Simbólica da Cultura Popular Sertanejo-Nordestina. Maceió: UFAL, 2011.

ALVES, Elder P. Maia. Cultura, mercado e desenvolvimento: a construção da agenda contemporânea para as políticas culturais. Ciências Sociais Unisinos, v. 50, n. 3, p. 184-193, 2014.

ALVES, Elder P. Maia. Diversidade cultural, território e tradição: a nova agenda do desenvolvimento local no Brasil. Contemporânea-Revista de Sociologia da UFSCar, v. 7, n. 1, p. 91-91, 2017.

ARAÚJO, Ricardo Benzaquém de. Guerra e pai : Casa-Grande & Senzala e a obra de Gilberto Freyre nos anos 30. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1994.

BAUMAN, Zymunt. Modernidade e Holocausto. Rio de Janeiro : JZE, 1998.

BAUMAN, Zymunt. Modernidade e Ambivalência. Rio de Janeiro : JZE, 1999.

BOURDIEU, Pierre. A Distinção: crítica social do julgamento. Porto Alegre: Zuk, 2011.

BOURDIEU, Pierre. O Senso Prático. Petrópolis: Vozes, 2009.

BOURDIEU, Pierre. As condições sociais da circulação internacional das idéias. Enforques – Revista Eletrônica. Rio de Janeiro, v.1 n. 01, p. IV– 117, 2002.

BOURDIEU, Pierre. Esboço de uma Teoria da Prática. Oeiras: Celta, 2002

BOURDIEU, Pierre ; CHAMBOREDON, Jean-Claude & PASSERON, Jean-Claude. A Profissão do Sociólogo: preliminares epistemológicas. Petrópolis (RJ): Vozes, 1999.

BRITTO, Clovis Carvalho. Acervo pessoal e consumo do simbólico: estratégias de produção da crença em Hilda Hilst. Museologia e Patrimônio, v. 9, n. 1, 2016.

BRITTO, Clovis Carvalho. Ana Cristina César: a estética do fragmento ou “forma cifrada de falar da paixão”. Revista Cerrados, v. 21, n. 33, 2012.

CANCLINI, Nestor Garcia. Cidadão e Consumidores: Conflitos culturais da globalização. Rio de Janeiro: UFRJ, 1995.

CARVALHO, Moacir. Brincando com fogo: as transformações da guerra de espadas em Cruz das Almas In: Edson Farias (org.): Práticas Culturais nos Fluxos e Redes da Sociedade de Consumidores. Brasília (DF): Verbis – UnB, 2010.

CHARTIER, Roger. Despeje um uso gratuito e respeitoso de Norbert Elias. Vingtième siècle , n. 2, pág. 37-52, 2010.

COLLINS, Randall. Macrohistory: Essays in Long-Term Sociology. Stanford University Press, 1999.

CASTRO-GOMEZ, Santiago. Ciências sociais, violência epistêmica e o problema da invenção do “outro”. IN: LANDER, Edgardo (org.): Colonialidade do Saber: Eurocentrismo e ciências sociais. Pespectivas Latino-Americanas. Buenos Aires: CLACSO, 2005.

CLASTRE, Pierre. A Sociedade Contra o Estado. São Paulo: Ubu, 2017.

COSTA, Sergio. Dois Atlânticos: teoria social, anti-racismo e cosmopolitismo. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006.

CUNHA, Euclides. Os Sertões. Rio de Janeiro: Record, 2000.

DEJAN, Joan. Antigos contra modernos. As guerras culturais e a construção de um fin de siècle. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

DENNING, Michael. A cultura na era dos três mundos. São Paulo: Francis, 2006.

ELIAS, Norbert. Escritos sobre a gênese da profissão naval In: Escritos e Ensaios: Estado, processo e opinião pública. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2006.

ELIAS, Norbert. Teoria Simbólica. Oeiras: Ceuta, 2002.

ELIAS, Norbert. O que é Sociologia. Lisboa: Edições-70, 1999.

ELIAS, Norbert. A Sociedade dos Indivíduos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1994.

ELIAS, Norbert. Envolvimento e Alienação. RJ: Bertrand Brasil, 1998.

ELIAS, Norbert. Towards a theory of social processes: a translation. London, British Journal of Sociology, vol. 48 n.03, 1997.

ELIAS, Norbert. Os Alemães. RJ: Jorge Zahar Editor, 1997a.

ELIAS, Norbert. Conocimiento y Poder. Madrid: La Piqueta, 1994a.

ELIAS, Norbert. O Processo Civilizador (Parte Dois). RJ: Jorge Zahar Editor, 1993, 2 volumes.

ELIAS, Norbert. O Processo Civilizador (Parte Um). RJ: Jorge Zahar Editor, 1991, 2 volumes.

ELIAS, Norbert. On human beings and their emotions: a process-sociological essay. Theory, Culture & Society, n.04, 1987.

ELIAS, Norbert. Sociology of Knowledge: new perspective. Belmont, Sociology, n. 05,p. 14-168, 1971.

FAORO, Raimundo. Os Donos do Poder: formação do patronato brasileiro, Vol. 1. São Paulo: Globo, 1998, 2 vols.FARIAS, Edson; LINS, Artur André. Diversidade, agendas de cultura e desenvolvimento e mediações no campo de poder global. Contemporânea-Revista de Sociologia da UFSCar, v. 7, n. 1, p. 63-63, 2017.

FARIAS, Edson. Implicações na classificação/definição de um bem cultural: a perspectiva de um viajante In: Edson Farias; Dmitri Fernandes, e Bruno Gontyjo do Couto (orgs.): Arte/Cultura nas Ciências Sociais. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2019.

FARIAS, Edson. Sociologia e a esfera cultural contemporânea1. Ciências Sociais Unisinos, v. 53, n. 1, p. 3-14, 2017a.

FARIAS, Edson. Cultura e desenvolvimento: figuras histórico-cognitivas de uma dinâmica geopolítica. Latitude, v. 6, n. 2, 2012.

FARIAS, Edson. Ócio e Negócio: festas populares e entretenimento-turismo no Brasil. Curitiba: Appris, 2011.

FARIAS, Edson. Reflexões acerca do consumo a partir de notas de pesquisa sobre o comércio informal-popular de bens digitais no Distrito Federal In: Edson Farias (org.): Práticas Culturais nos Fluxos e Redes da Sociedade de Consumidores. Brasília (DF): Verbis – UnB, 2010.

FARIAS, Edson. Memória, saber incorporado e linguagem no esquema de Norbert Elias. Estudos de Sociologia, v. 1, n. 15, p. 167-215, 2009.

FARIAS, Edson. A cultura popular na fisionomia da economia simbólica no Brasil. Teoria & Pesquisa: Revista de Ciência Política, v. 16, n. 1, 2007.

FARIAS, Edson; LINS, Artur André. Diversidade, agendas de cultura e desenvolvimento e mediações no campo de poder global. Contemporânea-Revista de Sociologia da UFSCar, v. 7, n. 1, p. 63-63, 2017.

FARIAS, Edson; COUTO, Bruno Gontyjo do; RODRIGUES, Tiago. A Sociologia da Cultura no Brasil em artigos (2008–2018). BIB-Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais, n. 92, p. 1-36, 2020.

FARIAS, Edson; FERNANDES, Dmitri e COUTO, Bruno Gontyjo do. Introdução In: Edson Farias; Dmitri Fernandes, e Bruno Gontyjo do Couto (orgs.): Arte/Cultura nas Ciências Sociais. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2019.

FERNANDES, Florestan. A Integração do Negro à Sociedade de Classes: ensaio de intepretação sociológica. São Paulo: Globo, 2008.

FERNANDES, Florestan. A Revolução Burguesa no Brasil: ensaio de intepretação sociológica. São Paulo: Globo, 2006.

FREYRE, Gilberto. Casa Grande & Senzala. Rio de Janeiro: Record, 1997.

FURTADO, Celso, A Economia Latino-Americana: (formação histórica e problemas contemporâneos). São Paulo, Cia das Letras, 2007.

GREGG, Melissa e SEIGWORTH, Gregory (editors). The Affect Theory Reader. Duhmam: Duke University Press, 2010.

GUSMÃO, Milene Silveira; SANTOS, Raquel Costa. O gosto pelo cinema e o encontro de duas histórias. Revista Contemporânea de Educação, v. 5, n. 10, 2010.

GUSMÃO, Milene Silveira. O desenvolvimento do cinema: algumas considerações sobre o papel dos cineclubes para formação cultural. Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, v. 4, 2008.

HABERMAS, Jürgen. Consciência Moral e Agir Comunicativo. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2003.

HEILBRON, J., & WILTERDINK, N. Studying long-term processes in human history. Historical Social Research, 48(1), 2023, 7-34

HESMONDHALGH ,D; PRATT, A. Cultural industries and cultural policy. International Journal of Cultural Policy .v 11, n 1, March 2005.

HEINICH, Nathalie. Dans la Pensée de Norbert Elias. Paris: CNRS, 2015.

HERDER, Johann Gottfried. Ensaio sobre a Origem da Linguagem. Lisboa: Antígona, 1987.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Caminhos e Fronteiras. São Paulo: Cia das Letras, 1995.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. São Paulo: Cia das Letras, 1998.

KUPER, Adam. Antropologia y Antropologos: la escuela britânica (1922-1972). Barcelona: Anagrama, 1973.

LEVY-STRAUSS, Claude. A análise estrutural em lingüística e antropologia In: Antropologia Estrutural. RJ: Tempo Brasileiro, 2003.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Estruturas Elementares do Parentesco. RJ: Tempo Brasileiro, 1995.

LÉVI-STRAUSS, Claude. O Pensamento Selvagem. SP: Cia Nacional, 1976.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Antropologia Estrutural. RJ: Tempo Brasileiro, 1975.

MAIA, João Marcelo Ehlert. A Rússia americana. Sociedade e Estado, v. 20, p. 427-450, 2005.

MAIO, Marcos Chor. O Projeto Unesco e agenda das ciências sociais no Brasil dos anos 40 e 50”. RBCS, n.41 outubro, 1999.

MALINOWSKI, Bronislaw. Os Argonautas do Pacífico. SP: Abril Cultural, 1976 (Os Pensadores).

MALINOWSKI, Bronislaw. Uma Teoria Científica da Cultura. RJ: Zahar Editores, 1962.

MANN, Michael. The Sources of Social Power. Volume I: A History of Power from the , 1986.

MARCUSE, Hebert. Eros e Civilização: uma interpretação filosófica do Pensamento de Freud. Rio de Janeiro, 1981.

MARINHO, Thais Alves. Territorialidade e Cultura entre os Kalunga: para além do culturalismo. Caderno CRH, v. 30, p. 353-370, 2017.

MARINHO, Thais Alves. A economia criativa e o campo étnico-quilombola: o caso Kalunga. Ciências Sociais Unisinos, v. 49, n. 3, p. 237-252, 2013.

MARINHO, Thais Alves. Cultura e economia: a busca de uma teoria do consumo. Sociedade e Estado, v. 23, p. 761-766, 2008.

MATTA, Roberto da. Carnavais, Malandros e Heróis: o dilema do espaço público brasileiro. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

MIGNOLO, Walter. A colonialidade de cabo a rabo: o hemisfério ocidental no horizonte conceitual da modernidade. IN: LANDER, Edgardo (org.): Colonialidade do Saber: Eurocentrismo e ciências sociais. Pespectivas Latino-Americanas. Buenos Aires: CLACSO, 2005.

MOLLIER, Jean-Yves. História cultural e história literária. Sociedade e Estado, número 03, Setembro/Dezembro p. 615-630, 2016.

MONTAIGNE, Michel. Ensaios In: Montaigne, Vol. 1. São Paulo: Nova Cultural, 1987 (Pensadores).

MOREIRA, Núbia Regina. Samba de Autoria Feminina. Arquivos do CMD, v. 2, n. 2, 2014.

MOURA, Milton. Carnaval e baianidade: arestas e curvas na coreografia de identidades do carnaval de Salvador. Tese de Doutorado em Comunicação Social. Salvador, Universidade Federal da Bahia, 2001.

NERY, Salete. O gosto e o cheiro: práticas de consumo e diferenças regionais no Brasil. Estudos de Sociologia, v. 24, n. 46, 2019.

NERY, Salete. Interdependências e interpenetrações civilizatórias: os aromas e sua magia. Sociedade e Estado, v. 31, p. 693-716, 2016.

NERY, Salete. O Perfume e o perfumista: um" olhar" sobre os aromas para uso pessoal no século XVIII a partir da história de um assassino. Alceu: Revista de Comunicação, Cultura e Política, v. 15, n. 30, 2015.

NERY, Salete. Memória, processos sociais e símbolos: uma interpretação a partir da configuração-moda no Brasil In: Edson Farias (org.): Práticas Culturais nos Fluxos e Redes da Sociedade de Consumidores. Brasília (DF): Verbis – UnB, 2010.

NERY, Salete. Pontes: proximidades e distanciamentos entre as propostas de sociologia de Georg Simmel, Pierre Bourdieu e Norbert Elias. Teoria & Pesquisa: Revista de Ciência Política, v. 16, n. 2, 2007.

NIETZSCHE, Friedrich. Genealogia da Moral. São Paulo: Cia das Letras, 1998.

NABUCO, Joaquim. O Abolicionista. Rio de Janeiro: Nova Fronteira – São Paulo: PubliFolha, 2000 (Grandes Nomes do Pensamento Brasileiro)

OLIVEIRA, Lúcia Lippi. As ciências sociais no Rio de Janeiro In: Sérgio Miceli (org.): História das Ciências Sociais no Brasil (Vol. 2). São Paulo: Sumaré: FAPESP, 1995.

ORTIZ, Renato. A problemática cultural no mundo contemporâneo. Política & Sociedade, v. 16, n. 35, p. 17, 2017.

ORTIZ, Renato. Um Outro Território. São Paulo: Olho d´Água, 1999.

ORTIZ, Renato. Românticos e Folcloristas. São Paulo: Olho d ́Água, 1992.

PARSONS, Talcott. Sociedades: perspectivas evolutivas e comparativas. São Paulo: Pioneira, 1969.

PEIRANO, Mariza GS. A antropologia como ciência social no Brasil. Etnográfica. Revista do Centro em Rede de Investigação em Antropologia, v. 4, n. 2), p. 219-232, 2000.

PELÚCIO, Larissa. Subalterno quem, cara pálida? Apontamentos às margens sobre pós-colonialismos, feminismos e estudos queer. Contemporânea – Revista de Sociologia da UFSCar. São Carlos, v. 2, n. 2, jul/dez 2012, pp. 395-418.

PRADO JR., Caio. Formação do Brasil Contemporâneo. São Paulo: Brasiliense, 1999.

PRADO JR., Caio. Evolução Política do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1972.

PRADO JR., Caio. História Econômica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1970.

PUFENDORF, Samuel. Os Deveres do Homem e do Cidadão de Acordo com as Leis do Direito Natural. Rio de Janeiro: TopBooks, 2014.

RISÉRIO, Antonio. A via Vico. Revista USP, n. 23, p. 34-47, 1994.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder e classificação social. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (orgs.): Epistemologias do Sul. Coimbra: Edições Almedina, 2009.

RADCLIFFE-BROWN, Alfred Reginald. Estrutura e Função na Sociedade Primitiva. Petrópolis (RJ): Vozes, 1973.

RODRIGUES, Fernando. Os afoxés e o curso do desenvolvimento da linguagem do divertimento em Salvador, Bahia In: Edson Farias (org.): Práticas Culturais nos Fluxos e Redes da Sociedade de Consumidores. Brasília (DF): Verbis – UnB, 2010.

ROBERTSON, Roland. Globalization: social theory and global culture. London: Sage, 1992.

ROUSSEAU, Jean-Jaqcues. Do contrato Social In: Rousseau. São Paulo: Abril Cultural, 1978 (Pensadores)

SOUZA, Jessé. A Construção Social da Sub-Cidadania: para uma sociologia política da modernização periférica. Belo Horizonte, Editora da UFMG, 2003.

SOUZA, Jessé. A Modernização Seletiva: uma reinterpretação do dilema brasileiro. Brasília, Editora da UnB, 2000.

TAYLOR, CHARLES. As Fontes do Self. São Paulo: Loyola, 1997.

VELHO, Octávio. A pictografia da tristesse: uma antropologia da construção da nação nos trópicos e seus resultados In: Gustavo Lins Ribeiro e Arturo Escobar (orgs.): Antropologias Mundiais: transformações da disciplina em sistemas de poder. Brasília (DF): UnB, 2012.

VIANA, Oliveira. Populações Meridionais do Brasil. Brasília (DF): Senado Federal, 2005.

VICO, Gianbatista. Ciência Nova. São Paulo: Ícone, 2017.

VIEIRA, Mariella P.; BARBOSA, Frederico. Linguagem da paixão: intelectuais e políticas culturais no Brasil. 2019.

VIEIRA, Mariella Pitombo. A diferença como bem universal: a noção de diversidade cultural no discurso da UNESCO In: ALVES, Elder Maia (org.): Políticas Culturais para as Culturas Populares no Brasil Contemporâneo. Alagoas: Edufal, 2011.

VIEIRA, Mariella Pitombo. Reinventando Sentidos para a Cultura: uma leitura do papel normativo da Unesco através da análise da convenção para a promoção e a proteção para a diversidade das expressões culturais. Tese de Doutorado em Ciências Sociais, UFBA, 2009.

VIEIRA, Mariella Pitombo. Enlaces entre cultura e turismo: uma abordagem sobre concepções e modos de intervenção do Estado na área da cultura (Bahia-1995-2002). Interações (Campo Grande), 2006.

VIEIRA, Mariella Pitombo. Política cultural na Bahia: uma abordagem sobre concepções e modos de intervenção do Estado no campo da cultura (1995-2002). Revista Interações–Revista Internacional de Desenvolvimento Local, v. 7, n. 12, p. 111, 2006.

WALLERSTEIN, Immanuel. O Fim do Mundo como o Concebemos. Ciência Social para o Século XXI. RJ: Revan, 2002.

WEVERS, Lydia Joyce. Globalizing Indigenes: Postcolonial Fiction from Australia, New Zealand and the Pacific. Journal of the Association for the Study of Australian Literature, v. 5, 2006.

WILLIAMS, Raymond. Cultura e Sociedade. São Paulo: Cia Nacional do Livro, 1969.

WOLF, Eric R. A Europa e os Povos sem História. São Paulo: Edusp, 2005.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>