O Efeito-Althusser sobre Foucault: Da “Sociedade Punitiva” à Teoria da Reprodução

Palavras-chave: Foucault. Althusser. Poder. Estado.

Resumo

A proposta deste trabalho é estudar o impacto de “Ideologia e aparelhos ideológicos de Estado”, artigo de Althusser publicado em junho de 1970, sobre o curso de Michel Foucault no Collège de France em 1973, A sociedade punitiva. Procura-se, mais precisamente, mostrar como Foucault propõe, face ao marxismo althusseriano, uma espécie de “contra-marxismo”. O artigo de Althusser, que propõe a hipótese original dos Aparelhos ideológicos de Estado (AIE), é um esboço da teoria da reprodução das relações de produção da sociedade capitalista. O Curso de Foucault, longe de ser uma simples análise do nascimento de uma penalidade centrada sobre a prisão, é uma verdadeira genealogia das relações de poder necessárias à construção da sociedade capitalista: para isso, ele estuda como a força de trabalho foi produzida através uma série de entrelaçamentos institucionais que Foucault chama de “instituições de sequestro”, resposta evidente às AIE althusserianas. O artigo encerra sua análise do confronto entre Foucault e Althusser trazendo à luz suas divergências fundamentais sobre a concepção das lutas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julien Pallotta, Université de Toulouse 2 - Jean Jaurès, França

Doutor em Filosofia pela Université de Toulouse II - Jean Jaurès. Possui Mestrado em Filosofia pela Université Paris I - Pantheon-Sorbonne (2004), e Mestrado em Cinema pela Université Paris III - Sorbonne Nouvelle. Agregé de Filosofia e professor do Lycée Molière - Rio de Janeiro, concentra seus estudos em História da Filosofia Francesa Contemporânea, Filosofia Política, Filosofia da Educação e Estética a partir das obras de Louis Althusser, Michel Foucault, Etienne Balibar, Jacques Rancière, Pierre Bourdieu e Jean-Luc Godard. Atualmente é Pesquisador convidado do laboratorio de Filosofia Contemporânea da UFRJ, pesquisador associado à L'Ecole Doctorale ERRAPHIS de l'Université de Toulouse II além de trabalhar na organização e tradução da obra do antropólogo brasileiro Eduardo Viveiros de Castro para o francês e do Filósofo francês Etienne Balibar para o português.

Referências

ALTHUSSER, Louis. Aparelhos ideológicos de Estado. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1992. Tradução de Maria Laura Viveiros de Castro.

ALTHUSSER, Louis. Ecrits philosophiques et politiques. Paris: Stock/IMEC, 1994.

ALTHUSSER, Louis. Sur la reproduction. Paris: PUF, 2011.

BALIBAR, Etienne. Cinq études du matérialisme historique. Paris: Maspero, 1974.

BATAILLE, Georges. La Part maudite. Paris: Minuit (coleção “Critique”), 1967.

BATAILLE, Georges. La Structure psychologique du fascisme. Paris: Nouvelles Editions Lignes, 2009.

DELEUZE, Gilles. Foucault. Paris: Minuit (coleção “Critique”), 1986.

FOUCAULT, Michel. Dits et écrits II. 1976-1988. Paris: Gallimard (coleção “Quarto”), 2001.

FOUCAULT, Michel. A Verdade e as formas jurídicas. Rio de Janeiro: Nau, 2005.

FOUCAULT, Michel. La Société punitive. Cours au Collège de France 1972-1973. Paris: Seuil/Gallimard (coleção “Hautes Etudes”), 2013.

Publicado
2019-05-13
Como Citar
PALLOTTA, J. O Efeito-Althusser sobre Foucault: Da “Sociedade Punitiva” à Teoria da Reprodução. Revista de Filosofia Moderna e Contemporânea, v. 7, n. 1, p. 15-29, 13 maio 2019.