Os ciganos entre perseguição e emancipação

Autores

  • Serge Moscovici

Palavras-chave:

Preconceito, Ciganos, Representações sociais, Psicologia social

Resumo

Toda sociedade que classifica os homens e separa os grupos autóctones dos grupos “estrangeiros” inclui um sistema de crenças, religiosas ou outras. Suas representações obedecem a uma norma que dá a seus atos um sentido ético. Esses atos não são cometidos por criminosos ou loucos, mas por pessoas que sabem o que é permitido ou proibido, qual é a diferença entre o bem e o mal. O ponto de partida das reflexões apresentadas é que estereótipos ”“ categorias discriminando grupos em brancos e negros, cristãos e judeus, franceses e alemães, indígenas e espanhóis, ciganos e romenos, etc. ”“ constituem, em suma, um modo de conhecimento com a função de opor os “semelhantes” preferidos aos “diferentes” desprezíveis, de distinguir aqueles que não são como nós.     

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Serge Moscovici

Maison des Sciences de l’Homme (Paris, França). Criou e dirigiu o Laboratoire de Psycologie Sociale e da École des Hautes Études en Sciences Sociales (Paris, França). Criou o Laboratoire Européen de Psycologie Sociale na Maison des Sciences de l’Homme.

Downloads

Publicado

11-04-2011

Como Citar

Moscovici, S. (2011). Os ciganos entre perseguição e emancipação. Sociedade E Estado, 24(3), 653–678. Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/sociedade/article/view/5487

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.