CONSTRUINDO UM MOTOR ELETRICO DE CORRENTE CONTINUA COMO APRENDIZAGEM ATIVA DA LEI DE FARADAY

Autores

  • Arnaldo J. Santiago IF-Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Alan F. Machado IF-UERJ
  • Claudio E. Silva IF-UERJ
  • Luis C. Pinheiro IF-UERJ
  • Armando D. Tavares Jr IF-UERJ

DOI:

https://doi.org/10.26512/rpf.v2i2.12075

Resumo

Apresentamos uma proposta de ensino na área de eletromagnetismo (motor de corrente continua - cc) com foco nas atividades práticas segundo a conceituação de Piaget, aqui extrapolada para incluir os objetos em ambientes virtuais. Montamos em sala de aula um motor elétrico de cc, para discutir conceitos da teoria eletromagnética. Realiza-se a modelagem física e sua simulação em computador utilizando o software educacional Modellus. Em ambas as situações, no laboratório didático com o objeto de estudo real, e no laboratório virtual com a simulação do objeto, os participantes mostram intenso interesse, ilustrando as potencialidades da aprendizagem ativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Arnaldo J. Santiago, IF-Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Possui graduação em Física pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1985) , mestrado em Física pelo Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (1989) e doutorado em Física pelo Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (1995) . Atualmente é Professor Associado da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Revisor de periódico da Journal of Physics. G, Nuclear and Particle Physics, Revisor de periódico da Journal of Physics. A, Mathematical and General, Revisor de periódico da Computer Physics Communications, Revisor de periódico da Revista de Ciências Exatas e Naturais, Revisor de periódico da Journal of Physics. B, Atomic, Molecular and Optical Physics, Revisor de periódico da Physica Scripta (Print), Revisor de projeto de fomento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Revisor de projeto de fomento do Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, Revisor de projeto de fomento do Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Revisor de projeto de fomento do Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ e Revisor de periódico da Journal of Global Research in Education and Social Science. Tem experiência na área de Física , com ênfase em Física Nuclear. Atuando principalmente nos seguintes temas: Fragmentacao Nuclear, Fenomenos Criticos, Transicao de Fase.

Alan F. Machado, IF-UERJ

Possui graduação em Física pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1980), graduação em Licenciatura em Física pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1986), mestrado em Engenharia Nuclear pelo Instituto Militar de Engenharia (1998) e doutorado em Geofísica pelo Observatório Nacional (2003). Atualmente é professor Associado da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Física, com ênfase em Física, atuando principalmente nos seguintes temas: tectonica, simulações computacionais, groundwater, modellus e ensino de física.

Claudio E. Silva, IF-UERJ

Professor e Pesquisador do Instituto de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro-UERJ por concurso público desde 1989. Bacharel em Física pela UERJ (1986), Mestre em Geofísica pelo Observatório Nacional-ON (1991) e Doutor em Geofísica pelo Observatório Nacional (1997) com doutorado sanduíche no Centro de Pesquisas Espaciais Goddard Space Flight Center da NASA em Greenbelt, Maryland-Estados Unidos em 1994. Promovido à categoria de Professor Associado da Universidade do Estado do Rio de Janeiro em 2011. Exerceu a função de Secretário de Educação - Secretaria Municipal de Educação do Município de São João de Meriti-RJ no período de 2005 a 2008. Desde março de 2016 está cedido a Comissão Nacional de Energia Nuclear - CNEN exercendo a função de Coordenador Geral de Radiação Ionizantes na Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento. Tem experiência na área de Física, com ênfase em Física de Plasmas e Descargas Elétricas, atuando principalmente nos seguintes temas: Ondas de Alfven, Interação Sol-Terra, região Auroral da Terra e Física do Meio Ambiente. Também tem experiência na área de Educação e desenvolve pesquisa no desenvolvimento de Materiais Didáticos para aulas demonstrativas em Ciências no Ensino Fundamental e Física para o Ensino Médio e Graduação.

Luis C. Pinheiro, IF-UERJ

Bacharel em Física pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro e Doutor em Ciências pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Possui experiência em Física nas áreas de Óptica, Eletricidade e Eletrônica . Atua e desenvolve trabalhos nas seguintes áreas: Óptica, Fibras Ópticas, Instrumentação Eletrônica, Interferometria de Luz Branca, Medidas de Altas tensões, Sensores Ópticos de Tensão e Corrente Elétricas e Transformadores Ópticos de Potencial. Atualmente é professor adjunto no Departamento de Eletrônica Quântica do Instituto de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Armando D. Tavares Jr, IF-UERJ

Concluiu o doutorado em Física pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1988. Desenvolveu trabalho de pós-doutorado na Scuola Normale Superiore em Pisa/Itália, no período 1991/93. Em 2000, desenvolveu trabalho de pós-doutorado na Universidade de Pisa. Atualmente é professor associado da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Publicou 32 artigos em periódicos especializados e 82 trabalhos em anais de eventos. Possui quatro produtos tecnológicos registrados e outros três itens de produção técnica. Participou de 11 eventos no exterior e 15 no Brasil. Orientou nove trabalhos de iniciação científica e três trabalhos de conclusão de curso nas áreas de Física e Engenharia Elétrica. Dirigiu o Instituto de Física da UERJ no quadriênio 2000/2004. Entre 2000 e 2003 participou de cinco projetos de pesquisa, sendo que coordenou um destes. De 2003 a 2006 coordenou três projetos de pesquisa. Tem atuado na área de Física, com ênfase em Espectroscopia Óptica de Sólidos, em Física do Meio Ambiente associada a Plasmas e Descargas Elétricas, em Lasers e Óptica, em Ensino de Física e agora atua na área de espectrometria de massas para caracterização isotópica e datação de materiais de interesse arqueológico ou geológico. Em suas atividades profissionais interagiu com 69 colaboradores em co-autorias de trabalhos científicos. Em 2008 iniciou a montagem do Lab. de Análise de Materiais, agora operante e denominado MultiLab no Dep. de Eletrônica Quântica do Instituto de Física/UERJ. Participa de projetos Infraest. FINEP/ 2009, 2011, 2013 e 2014, todos contemplados. Em seu currículo Lattes os termos mais freqüentes na contextualização da produção científica, tecnológica e artístico-cultural são: Alta potência; Fluorescência; Óptica; Ensino; Fluoretos; Laser; Laser de N2; Pulsos curtos e Espectroscopia óptica. Foi bolsista na modalidade Cientista do Nosso Estado/FAPERJ com projeto de inovação tecnológica. Atualmente, trabalha na consolidação definitiva do Laboratório supracitado em colaboração com a Faculdade de Geologia/UERJ. O laboratório conta um LA ICP/MS e diversos outros equipamentos de última geração para análise de materiais, operando o laboratório no formato multiusuário. Além disso, coordena a participação da UERJ no mestrado em Arqueometria de consórcio de universidades européias (Roma La Sapienza, Évora e Tessalonika).

Referências

ALVEZ, L.; NOVA, C. Educação a Distância: uma nova concepção de aprendizagem e epistemologia. Futura, (2003).

BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental, Parâmetros Curriculares Nacionais: Ciências Naturais, 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A, (2000).

COQUIDÉ, M. Ensaio, 10, 1 (2008).

DA SILVA, C.E., SANTIAGO, A.J., MACHADO, A.F.; DE ASSIS, A.S, Eletromagnetismo ”“ Fundamentos e Simulações, Pearson Education do Brasil, (2014).

ERN, E.; AIRES, J.A. Contribuições da história das disciplinas escolares para a história do ensino de ciências. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2014.

DE ANDRADE, M.L.F.; MASSABNI, V.G. Ciênc.educ, 17, 835 (2011).

FERREIRA, Y. P. U. M.; MACHADO A., SILVA, C., SILVA, L.P.C. O Uso do Software Educacional Modellus como Instrumento Complementar no Ensino de Física: Analisando um Gerador de Corrente Contínua. Revista Interagir: pensando a extensão ”“ UERJ (2017):130-148.

GASPAR, A. Cad. Bras. Ens. Fís., v.21, 188 (2004).

HENRIQUES, V.B., PRADO, C.P.C. e VIEIRA, A.P. Revista Brasileira de Ensino de Física, 36, 4001 (2014).

KRASILCHIK, M. Prática de ensino de biologia, 4. ed. São Paulo: EDUSP, (2004).

MACHADO, A.F., SANTIAGO, A.J., SILVA C.E., e SIMÕES, D. em Simões D. & García, F. (org.), A pesquisa científica como linguagem e práxis. Publicações Dialogarts, RJ, (2014).

PIAGET, J. Psicologia e pedagogia, Rio de Janeiro: Forense, (1972). ______, Psicologia e epistemologia por uma teoria do conhecimento, 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, (1978).

PINO, P. V.; OSTERMANN, F.; MOREIRA, M.A., Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v5, 5-14, (2005).

SANTIAGO, A.J., SILVA, C.E.; MACHADO, A.F.; WASHINGTON, M.G. Jour. of Soc. Science, 03, 8 (2015).

SKINNER, B. F. Tecnologia do Ensino. Capítulo II ”“ A Ciência da aprendizagem e a arte de ensinar. Herdere e Edusp. p 22 (1972).

VALENTE, J. A. Computadores e Conhecimento: representando a educação. Gráfica Centra UNICAMP (1998).

WENTWORTH, S.M. Eletromagnetismo Aplicado, Bookman (2009).

ZANON, D.A.V. e FREITAS, D.A. Ciências & Cognição, Rio de Janeiro, 10, 93 (2007).

Downloads

Publicado

2018-07-26

Como Citar

SANTIAGO, A. J.; MACHADO, A. F.; SILVA, C. E.; PINHEIRO, L. C.; TAVARES JR, A. D. CONSTRUINDO UM MOTOR ELETRICO DE CORRENTE CONTINUA COMO APRENDIZAGEM ATIVA DA LEI DE FARADAY. Revista do Professor de Física, [S. l.], v. 2, n. 2, 2018. DOI: 10.26512/rpf.v2i2.12075. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rpf/article/view/12075. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos