Sou consumidor

percepção de consumidores cegos em restaurantes de um shopping de Brasília (DF)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/revistacenario.v8i15.28979

Resumo

O presente artigo pretende demonstrar como as pessoas com deficiência visual enfrentam diversas dificuldades para exercer o seu papel enquanto consumidores, em um sistema que parece desprezar o seu potencial de consumo. A análise da situação é feita sob a luz da Lei Federal 13.146/2015, e das Leis Distritais 3.634/2005 e 4.317/2009. O seu objetivo é analisar a importância da percepção das pessoas cegas quanto ao ambiente de consumo e sobre a qualidade do atendimento oferecido nos restaurantes do shopping Conjunto Nacional, em Brasília. A investigação é de natureza qualitativa, foram realizadas entrevistas com consumidores cegos seguida da análise de discurso. Os resultados mostram a insatisfação dos consumidores com deficiência visual com a falta de preparo dos atendentes e a inadequação dos estabelecimentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raquel Rodrigues Gonçalves Curado, Instituto Federal de Brasília

Tecnóloga em Eventos (Instituto Federal de Brasília). ORCID https://orcid.org/0000-0001-8462-1661

E-mail: raquelrodriguescurado@gmail.com

André Luiz Mendes Araújo, Instituto Federal de Brasília

Tecnólogo em Eventos (Instituto Federal de Brasília) ORCID Id https://orcid.org/0000-0003-0777-3623. E-mail: luizmendez@gmail.com

Referências

Ad code (2019). Ferramenta AD Code Universidade de Brasília - UNB Edifício do CDT - Sala 36/37- Asa Norte - Brasília-DF. Recuperado de https://www.adcode.com.br/?pag=1000

Almeida, I. B. M. S. S., Lucian, R. & Abreu, N. (2018). Sensorial merchandising: um eTemperimento no varejo de moda para inclusão de consumidores cegos. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, v. 8, n.1, p. 126-148. Recuperado de https://www.regepe.org.br/regepe/article/view/983

Bardin, L. (2011) L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Baker, S., Stephens, D., and Hill, R. (2002), “How can retailers enhance accessibility: giving

consumers with visual impairments a voice in the marketplace”, Journal of Retailing and

Consumer Services, Vol. 9, pp.227-239.

Brasil (2015). Abnt/Nbr 9050. Associação Brasileira de Normas técnicas. Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro.

Brasil (2015). Lei 13.145/2015. Lei brasileira de Inclusão da pessoa com deficiência. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015- 2018/2015/Lei/L13146.htm.

Cavalcante, R. B., Calixto, P., & Pinheiro, M. M. K. (2014). Análise de Conteúdo: considerações gerais, relações com a pergunta de pesquisa, possibilidades e limitações do método. Informação & Sociedade: Estudos, 24 (1), p. 13-18. Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/index.php/ies/article/view/10000

Codeplan (2018). Companhia de planejamento do Distrito Federal. Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios - PDAD 2018. Recuperado de http://www.codeplan.df.gov.br/wp-content/uploads/2019/03/PDAD_DF-Grupo-de-Renda-compactado.pdf

Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (2011). Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência: Protocolo Facultativo à Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência: decreto legislativo nº 186, de 09 de julho de 2008: decreto nº 6.949, de 25 de agosto de 2009. -- 4. ed., rev. e atual. – Brasília: Secretaria de Direitos Humanos, Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

Distrito Federal (2005). Lei Distrital 3.634/2005. Dispõe sobre a adequação dos cardápios de restaurantes e similares à linguagem braile. Recuperado de http://www.sinj.df.gov.br/sinj/Norma/51561/Lei_3634_28_07_2005.html

Distrito Federal (2005).Lei Distrital 4.317/2009. Institui a Política Distrital para Integração da Pessoa com Deficiência, consolida as normas de proteção e dá outras providências. Recuperado de http://www.sinj.df.gov.br/sinj/Norma/60186/Lei_4317.html

Domingos, A. F. F. (2018). A utilização de equipamentos e sistemas por pessoas com deficiência visual. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Belas Arte, Universidade de Lisboa). Recuperado de https://repositorio.ul.pt/handle/10451/35017

Duarte, D.C. & Pereira, J. C. R. (2017). Acessibilidade para Pessoas com Deficiência Visual: um Levantamento Preliminar nos Setores Hoteleiros Sul e Norte de Brasília. Revista Cenário, Brasília, v.5, n.9, p. 64 – 82.

Faria, M D.& Motta, P. C. (2012) Pessoas com Deficiência Visual: Barreiras para o lazer turístico. Brasil, Revista Turismo em Análise, v. 23, n. 3, p. 691-717.

Faria, M. D., Ferreira da Silva, J. and Brantes Ferreira, J. (2012), "The visually impaired and consumption in restaurants", International Journal of Contemporary Hospitality Management, Vol. 24 No. 5, pp. 721-734. Recuperado de https://doi.org/10.1108/09596111211237264

Jung, T. M. A. (2009). Deficiência visual e o mundo do trabalho: mitos e verdades. São Paulo: Fundação Dorina Nowill para Cegos, p.13-14.

Lima, L.B.B M.; Santos, D. S.; Lima, A. da C.(2016). City tour for visual disabilities in Aracaju, Sergipe, Brazil. Spring Symposium on Challenges in Sustainable Tourism Development, Gran Canaria Island, Spain.

Santos, I. E. dos (2013) Manual de métodos e técnicas de pesquisa científica. Niterói, RJ: Impetus.

Schneider, J., Ramirez, A. R. G. & Célio O, T. (2017). Etiquetas têxteis em braile: uma tecnologia assistiva a serviço da interação dos deficientes visuais com a moda e o vestuário. Revista Estudos em Design, v.25, n. 1, p.68-85. Recuperado de https://estudosemdesign.emnuvens.com.br/design/article/view/435

Silva, I. C. & Leal, S. R. (2011) Acessibilidade: visita técnica a três dos melhores restaurantes de Natal, Rio Grande do Norte, Brasil. Revista Turismo & Sociedade. Curitiba, v. 4, n. 2, p. 343-362. Recuperado de https://revistas.ufpr.br/turismo/article/viewFile/24767/16605

Publicado

2020-10-27

Como Citar

Lima, L., Rodrigues Gonçalves Curado, R. ., & Mendes Araújo, . A. L. . (2020). Sou consumidor: percepção de consumidores cegos em restaurantes de um shopping de Brasília (DF). Cenário: Revista Interdisciplinar Em Turismo E Território, 8(15), 64 - 77. https://doi.org/10.26512/revistacenario.v8i15.28979

Edição

Seção

Artigos

Most read articles by the same author(s)