Cura como resistência

Autores

  • Guilherme Dantas Nogueira Universidade de Harvard
  • Nilo Sérgio Nogueira Nzo Kuna Nkos’i
  • Ricardo de Moura Associação de Resistência Cultural Afro-brasileira Casa de Caridade Pai Jacob do Oriente

DOI:

https://doi.org/10.26512/revistacalundu.v6i2.46610

Palavras-chave:

Tradição calunduzeira, Medicina tradicional calunduzeira, Terreiros e saúde

Resumo

Busca-se com o presente ensaio mostrar como práticas de cura, por meio da medicina tradicional calunduzeira, foram empregadas ao longo da história da resistência negra no Brasil, apoiando a construção de comunidades de terreiro e sua heterogênea tradição calunduzeira. Isso é feito, no que tange à metodologia do trabalho, por meio de revisão bibliográfica em textos clássicos e atuais, que englobam e referenciam o debate, como um todo; e por meio do diálogo com os casos de dois terreiros, de Candomblé e Umbanda, de Belo Horizonte/MG, que focam a pandemia e foram apresentados por suas lideranças - co-autoras deste texto - durante o evento "Encontros Afrorreligiosos VI: o povo de santo e a sobrevivência em meio à pandemia". Especificamente sobre os casos debatidos, mostra-se, como parte dos resultados, que a medicina tradicional calunduzeira, durante a pandemia da COVID-19, em sinédoque de sua fundante história, embasa o trabalho dos terreiros, que não abandonaram suas comunidades e vizinhanças, tendo buscado apoiar pessoas a enfrentarem as dificuldades trazidas pelo contexto sanitário, não apenas com ervas e conselhos, mas com solidariedade e orientação, que o próprio Estado brasileiro falhou em dar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Dantas Nogueira, Universidade de Harvard

Pós-doutor em Sociologia. Integrante do Calundu – Grupo de Estudos sobre Religiões Afro-Brasileiras, da Universidade de Brasília. Pesquisador associado (Associate) do Instituto de Pesquisas Afro-Latino-Americanas (ALARI), da Universidade de Harvard. Tata Kambondo da Cabana Senhora da Glória – Nzo Kuna Nkos’i.

Nilo Sérgio Nogueira, Nzo Kuna Nkos’i

Tata Kivonda Kis’ange, da Cabana Senhora da Glória – Nzo Kuna Nkos’i, terreiro de Candomblé e Umbanda de que é dirigente

Ricardo de Moura, Associação de Resistência Cultural Afro-brasileira Casa de Caridade Pai Jacob do Oriente

Pai Ricardo, líder religioso umbandista e dirigente da Associação de Resistência Cultural Afro-brasileira Casa de Caridade Pai Jacob do Oriente

Referências

BARROS, Sulivan. Sociabilidades míticas na Umbanda: identidade étnica e consciência subalterna. Série Antropologia, 433, 2010.

BASTIDE, Roger. As Religiões Africanas no Brasil: Contribuição a uma Sociologia da Interpenetração de Civilizações. São Paulo: Livraria Pioneira Editora, 1971.

BROWN, Diana. Umbanda: Religion and politics in urban Brazil. Nova York: Columbia University Press, 1994.

FLOR DO NASCIMENTO, Wanderson. Sobre os Candomblés como modos de vida. Ensaios Filosóficos. Rio de Janeiro, Volume XIII, p. 153-170, agosto, 2016.

MARIANO, R. “Laicidade à brasileira: Católicos, pentecostais e laicos em disputa na esfera pública”. Revista Civitas. Porto Alegre, v. 11, n. 2, p. 238-258, mai-ago, 2011.

NOGUEIRA, Guilherme Dantas. Na Minha Casa Mando Eu: mães de santo, comunidades de terreiro e Estado. Tese (Doutorado em Sociologia) – Departamento de Sociologia, Universidade de Brasília, Brasília, p.289. 2019.

NOGUEIRA, Guilherme Dantas. Tradição Calunduzeira: um conceito diaspórico. Arquivos do CMD, v.7, n.2, 78-90, 2020. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/CMD/article/view/31145

SANTOS, Edmar. O poder dos candomblés: perseguição e resistência no Recôncavo da Bahia. Salvador: EDUFBA, 2009.

SEGATO, Rita Laura. Santos e Daimones. Brasília: Editora UnB, 2005. Republicação de livro de 1986.

SILVEIRA, Renato. O Candomblé da Barroquinha: processo de constituição do primeiro terreiro baiano de Keto. Salvador: Edições Maianga, 2006.

Downloads

Publicado

2023-01-26

Como Citar

Nogueira, G. D., Nogueira, N. S., & Moura, R. de. (2023). Cura como resistência. Revista Calundu, 6(2), 36–48. https://doi.org/10.26512/revistacalundu.v6i2.46610

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)