Conflito, violência e autoridade nas escolas

uma observação empírica

Autores

Palavras-chave:

Administração de conflitos, Violência, escola, mediação, disciplina

Resumo

Tendo como base a teoria de George Simmel, de que o conflito é mantenedor das relações sociais, este trabalho, por meio de entrevistas e observações, busca apresentar relações de conflito e violência (fortalecendo que conflito é diferente de violência) observadas em escolas de diferentes regiões do Distrito Federal (na região da Fercal, Plano Piloto e no Guará). Vale destacar que a representação social do que seria conflito ou violência é contextualizada nas falas dos entrevistados e nas utilizadas para administrarem conflitos para que estes não se tornem hostis. Punições cabíveis, casos de conflitos vistos como sem solução, a questão da autoridade, a relação da família na administração e agravamento dos conflitos são abordados neste trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo César Martins Stumpf, Universidade de Brasília

Doutorando em Sociologia pela Universidade de Brasília; mestre em Sociologia e Antropologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro; Licenciatura em Ciências Sociais e bacharel em Sociologia pela Universidade de Brasília. Professor efetivo de Sociologia no Ensino médio pela Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal.

Referências

ABRAMOVAY, Mirian; RUA, M. das Graças. Violências nas escolas. Brasília: UNESCO. Instituto Ayrton Senna. UNAIDS. Banco Mundial. USAID. Fundação Ford. CONSED, UNDIME, 2004.

BECKER, Howard S. 2008 [1963]. Outsiders. Estudos de sociologia do desvio. Rio de Janeiro: Zahar.

BOURDIEU, Pierre. A violência simbólica. In: A Dominação Masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

COLLINS, Randall. Violence. A Micro-Sociological Theory. New Jersey, Princeton, 2008.

DAYRELL Juarez, CARRANO Paulo. Juventude e ensino médio: quem é este aluno que chega à escola. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014.

GOFFMAN, Erving. Estigma: Notas sobre a Manipulação da Identidade Deteriorada. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1980.

KANT DE LIMA, Roberto. Direitos Civis e Direitos Humanos: uma tradição judiciária pré-republicana? São Paulo em perspectiva, SP, v.18, p.49-59, 2004.

LARRAURI, Elena. La Herencia De La Criminologia Crítica. Madri: Siglo Veintiuno de España, 2000.

MISSE, Michel. “Violência, crime e corrupção: conceitos exíguos, objeto pleno”, in José Vicente Tavares dos Santos e Alex Niche Teixeira, orgs. Conflitos Sociais e Perspectivas da Paz, Porto Alegre, Tomo Editorial, 2012.

MIRANDA, Ana Paula Mendes de. A busca por direitos: possibilidades e limites da participação social na democratização do Estado. In: Caruso, H; Muniz, J, Carballo Blanco, A.C. (Orgs.). Polícia, Estado e Sociedade: práticas e saberes latino-americanos. Rio de Janeiro: Publit, 2007, p. 407-434.

MORAES FILHO, Evaristo. Simmel. São Paulo: Ática, 1983.

OLIVEIRA, Eliane Rocha. Dez anos do Estatuto da Criança e do Adolescente: Observações sobre a política de atendimento a jovens em conflito com a lei no estado do Rio de Janeiro. In: BRITO, Leila Maria Torraca de (coord). Jovens em conflito com a lei, Rio de Janeiro: editora UERJ, 2000.

OLIVEIRA, Luís Roberto Cardoso. Existe violência sem agressão moral? Revista Brasileira de Ciências Sociais. 2008, vol.23, n.67, pp.135-146.

PINTO, Nalayne Mendonça. Percepções de jovens sobre conflitos e violências na escola. Revista Dilemas, 2015.

PORTO, Maria Stela Grossi. Violência e meios de comunicação de massa na sociedade contemporânea. Sociologias, Porto Alegre, ano 4, no. 8, jul/dez 2002, p. 152-171.

ROSA, S. S.; FRANÇA, M. T. A.; FRIO, G.S. fatores associados ao atraso escolar: uma análise sob a ótica da violência. Revista Brasileira de Segurança Pública. V. 12, n.2 p. 188-209, 2018.

SIMMEL, Georg. Filosofia da Moda: e outros escritos. Lisboa: Edições Texto e gráfica, 2008.

_____________. Sociologia. Coleção Grandes Cientistas Sociais. São Paulo: Editora Ática, 1983.

STUMPF, Paulo C. M. Análise da administração de conflitos em duas escolas de diferentes regiões administrativas do Distrito Federal. Orientador: Michel Misse. 2020. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia, Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro,2020. Disponível em http://necvu.com.br/2020-analise-da-administracao-de-conflitos-em-duas-escolas-de-diferentes-regioes-administrativas-do-distrito-federal/. Acesso em: 10 ago. 2023.

WAISELFISZ, J. & MACIEL, M. (2003). Revertendo violências, semeando futuros: avaliação do Programa Abrindo Espaços no Rio de Janeiro e em Pernambuco. Brasília: Unesco.

ZALUAR, Alba. A máquina e a revolta: As organizações populares e o significado da pobreza. São Paulo: Brasiliense, 1985.

Downloads

Publicado

30.12.2023

Como Citar

STUMPF, Paulo César Martins. Conflito, violência e autoridade nas escolas: uma observação empírica. Revista Latino-Americana de Criminologia, [S. l.], v. 3, n. 2, p. 242–268, 2023. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/relac/article/view/47471. Acesso em: 25 abr. 2024.