Em Busca do Stimmung

sobre um conceito fundamental na obra de Alois Riegl

Autores

  • Daniel Juracy Mellado Paz Faculdade der Arquitetura da Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.26512/museologia.v11i21.41486

Resumo

O livro Der moderne Denkmalkultus, sein Wesen und seine Entsehung (O Culto Moderno dos Monumentos: sua essência e sua gênese), do historiador da arte Alois Riegl (1858-1905), de 1903, tornou-se um clássico da Teoria da Conservação e Restauro, com uma abordagem extremamente original sobre o patrimônio, que atribui ao sujeito a sua apreciação por meio de distintos valores, internamente coerentes e identificáveis e com uma história própria de transformação. Do elenco de valores que reconhece, seria o valor de antiguidade (Alterswert) o ascendente, característico da sensibilidade moderna, ancorado em um sentimento que denominava “atmosfera” (Stimmung). Esse conceito se torna mais transparente apenas ao contemplar o conjunto da obra de Riegl, composta principalmente de livros de História da Arte, onde aparece como o estado mais recente de um processo milenar que pode ser descrito como uma transição do objetivo ao subjetivo, do modo de visão tátil ao óptico, e da sucessão das formas da luta com a natureza e da harmonia do homem no mundo. E que se revela, por fim, nos nuances do culto das ruínas, e nas transformações da historiografia e da história da arte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ALPERS, Svetlana. A Arte de Descrever. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1999.

GAY, Peter. The Naked Heart. The Bourgeois Experience – Victoria to Freud Vol.IV. New York/ London: W.W. Norton & Company, 1996.

GUBSER, Michael. Time´s Visible Surface: Alois Riegl and the discourse of history and temporality in fin-de-siècle Vienna. Detroit: Wayne State University Press, 2006.

MUGAYAR KÜHL, Beatriz. As ideias sobre preservação no início do século XX em países de língua alemã: algumas lições para o Brasil de hoje. Conversaciones con..., [S. l.], n. 5, p.219–234, 2018. Disponível em: https://revistas.inah.gob.mx/index.php/conversaciones/article/view/12643. Acesso em: 6 jul. 2021.

OLIN, Margaret. The Cult of Monuments as a State Religion in Late 19th Century Austria. Wiener Jahrbuch für Kunstgeschichte, Viena, v.38: 177-198, 1985. Bundesdenkmalamt Wien e Institut für Kunstgeschichte der Universität Wien. Colônia/ Viena/ Graz: Hermann Böhlaus Nachf, 1985.

RIEGL, Alois, Die Stimmung als Inhalt der modernen Kunst. In: Die graphischen Künste, no. 22 (1899): 47-56.

RIEGL, Alois. El Arte Industrial Tardorromano. Tradução de Ana Pérez López e Julio Linares Pérez. Madrid: Visor Dis., 1992a. [Originalmente Spätromische Kunstindustrie, 1901].

RIEGL, Alois. Historical Grammar of the Visual Arts. Tradução de Jacqueline E. Jung. New York: Zone Books, 2004. [Originalmente Historische Grammatik der bildenden Künste, 1966, manuscrito de 1897-98].

RIEGL, Alois. Nuevas corrientes en el cuidado de los monumentos. Tradução de Daniela Sauer. Conversaciones con..., [S. l.], n. 5, p.62–75, 2018. Disponível em: https://revistas.inah.gob.mx/index.php/conversaciones/article/view/12620. Acesso em: 6 jul. 2021.

RIEGL, Alois. O Culto Moderno dos Monumentos: sua essência e sua gênese. Tradução do francês de Elaine Ribeiro Peixoto e Albertina Vicentini. Goiânia: Ed. da UCG, 2006. [Originalmente Der moderne Denkmalkultus, 1903].

RIEGL, Alois. Objective Ästhetik. In: Journal of Art Historiography n.11, dez 2014. Traduzido e editado por Karl Johns. [Originalmente publicado em Neue Freie Presse n.13608, 13 julho 1902, ‘Literatur-Blatt', 34-35].

RIEGL, Alois. Obra da Natureza e Obra de Arte. I. Tradução de João Tiago Proença. In: RIEGL, Alois. O Culto Moderno dos Monumentos e Outros Ensaios Estéticos. Lisboa: Edições 70, 2016b. [Originalmente Naturwerk und Kunstwerk, publicado em 1901 no Allgemeine Zeitung, Munique, no suplemento 13].

RIEGL, Alois. Problems of Style: foundations for a history of ornament. Tradução de Evelyn M. Kain. Princeton, New Jersey: Princeton University Press, 1992b [Originalmente Stilfragen: Grundlegungen zu einer Geschichte der Ornamentik, 1893].

RIEGL, Alois. The Giant’s Door of St. Stephen’s. Tradução de Lucia Allais e Andrei Pop. Grey Room 80, Verão 2020, pp.38-49. Grey Room Inc./ Massachusetts Institute of Technology. [Originalmente publicado como “Das Riesenthor zu St. Stephan,” Neue Freie Presse, no. 13, 1902].

RIEGL, Alois. The Group Portraiture of Holland. Tradução de Evelyn M. Kain e David Britt. Los Angeles: The Getty Research Institute Publications and Exhibitions Program, 1999. [Originalmente Das holländische Gruppenporträt, 1902].

RIEGL, Alois. The Origins of Baroque Art in Rome. Tradução de Andrew Hopkins e Arnold Witte. Los Angeles: Getty Research Institute, 2010. [Originalmente, Die Einstehung der Barockkunst in Rom, 1908].

RIEGL, Riegl. Über antike und moderne Kunstfreunde Vortrag gehalten in der Gesellschaft der Wiener Kunstfreunde. Journal of Art Historiography n.9, dez 2013. Tradução e edição de Karl Johns. [Originalmente apresentado como uma conferência e postumamente publicado em Kunstgeschichtliches Jahrbuch der K. K. Zentral-Kommission zur Erforschung und Erhaltung der kunst- und historischen Denkmale, Volume 1, 1907, Beiblatt für Denkmalpflege, column 1-14].

SILVA, Arlenice Almeida da. As Noções de Stimmung em uma Série Histórica: entre Disposição e Atmosfera. Trans/Form/Ação, Marília, v. 39: 53-74, 2016, Edição Especial. Disponível em: https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/issue/view/402. Acesso em: 6 jul. 2021.

Downloads

Publicado

2022-05-17

Como Citar

Paz, D. J. M. (2022). Em Busca do Stimmung: sobre um conceito fundamental na obra de Alois Riegl. Museologia & Interdisciplinaridade, 11(21), 334–359. https://doi.org/10.26512/museologia.v11i21.41486