Tecnologia e mediação interativa

uma perspectiva museológica contemporânea sistematizada na psicologia da educação

Autores

  • Marcelo Hugo Freitas Silva Universidade Federal de Ouro Preto
  • Priscilla Arigoni Coelho

Palavras-chave:

Museologia, Comunicação, Mediação Interativa, Tecnologia, Psicologia da Educação

Resumo

Resumo

O artigo tem o objetivo de refletir o uso de mecanismos tecnológicos mediadores nos espaços expositivos e a sua contribuição nos processos de aprendizagem, tomando como base o dispositivo utilizado no Projeto “A Voz da Arte”, ocorrido em 2017, na Pinacoteca do Estado de São Paulo. Pensar em tecnologia e mediação é proporcionar ao público uma autonomia e uma inter-relação com o espaço, expandindo as possibilidades e ampliando a comunicação, o que não é possível apenas com uso de recursos textuais. Talvez seja o momento de pensarmos uma Museologia contemporânea que articule com a tradicional, pactuada nos elementos, tornando-se propícia a avivar seu papel social e educacional. Por meio de levantamento bibliográfico e entrevista, foi possível concluir que o público entusiasmou-se pelo recurso tecnológico ao possibilitar uma interação e uma comunicação dinâmica, sendo assim, visa-se refletir ações estratégias de difusão e incentivo das tendências tecnológicas interativas e cognitivas nas exposições.

Palavras-chave: Museologia; Comunicação; Mediação Interativa; Tecnologia; Psicologia da Educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

BENCHETRIT, Sarah Fassa. Os museus e a comunicação. In: BENCHETRIT, Sarah Fassa; BEZERRA, Rafael Zamorano; MAGALHÃES, Aline Montenegro (org.). Museus e comunicação: exposições como objetos de estudo. Rio de Janeiro: Museu Histórico Nacional, 2-10. p. 11-15.

BITTENCOURT, José Neves. Mediação, curadoria, museu. In: JULIÃO, Letícia (coord.); BITTENCOURT, José Neves (org.). Caderno de diretrizes museológicas 2: mediação em museus: curadorias, exposições, ação educativa. Belo Horizonte: Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais, Superintendência de Museus, 2008. p. 2–33.

BRUNO, Maria Cristina Oliveira. Museus e Comunidades no Brasil: realidades e perspectivas (1995). In: ______ (Org.). O ICOM/Brasil e o pensamento museológico brasileiro: documentos selecionados. São Paulo: Pinacoteca do Estado: Secretaria de Estado da Cultura: Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus, v. 1, 2010. p. 95-115.

CHIOVATTO, Milene. Watson, uso de Inteligência Artificial (IA) e processos educativos em museus. In: Revista Docência e Cibercultura. Rio de Janeiro. v. 3, n. 2, p. 217-230, maio/ago. 2019. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/re-doc/article/view/40293>. Acesso em: 21 nov. 2019.

CURY, Marília Xavier. Exposição: concepção, montagem e avaliação. São Paulo: Annablume, 2005.

DESVALLÉES, André; MAIRESSE, François. Conceitos-chave de Museologia. São Paulo: Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus: Pinacoteca do Estado de São Paulo: Secretaria de Estado da Cultura, 2013.

FERREIRA, Inês. Objetos mediadores em museus. Midas: Museus e estudos interdisciplinares, n. 4, 2014, Disponível em: < http://journals.openedition.org/midas/676 >. Acesso em: 10 nov. 2019.

GONÇALVES, Lisbeth Rebollo. Entre Cenografias: O Museu e a Exposição de Arte no Século XX. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo/Fapesp, 2004.

HANNS, Daniela Kutschat. Visualização de dados e tangibilização da informação: uma questão cognitiva. In: MAGALHÃES, Ana Gonçalves; BEIGUELMAN, Giselle. Futuros Possíveis: arte, museus e arquivos digitais. Editora Peirópolis LTDA, 2014. p. 226-276.

ISRAEL, Karina Pinheiro. Informação e tecnologia nos museus interativos do contemporâneo. 2011. 18f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização) – CELACC/ECA-USP, São Paulo, 2011. Disponível em: http://celacc.eca.usp.br/sites/default/files/media/tcc/285-968-1-PB.pdf. Acesso em: 21 nov. 2019.

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. 1ª ed. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. 1ª ed. São Paulo, SP: Editora 34, 1999.

LÉVY, Pierre. O que é o virtual? 1ª São Paulo: Editora 34, 1996. 160 p.

MONTARROIOS, Fabio. Watson: uma voz para a arte ou uma cara para a tecnologia?. 2017. Disponível em: <https://manualdousuario.net/watson-uma-voz-para-arte-ou-uma-cara-para-tecnologia/>. Acesso em: 01 dez. 2019.

MORAES, Roque; BERTOLETTI, Jeter Jorge; BERTOLETTI, Ana Clair; ALMEIDA, Lucas Sgorla de. O caso do Museu de Ciências e Tecnologia da PUCRS. In: MASSARANI, Luisa; MERZAGORA, Matteo; RODARI, Paola (org.). Diálogos & Ciência: Mediação em museus e centros de ciência. Rio de Janeiro: Museu da Vida/Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz, 2007, p. 56-67. Disponível em: http://www.museudavida.fiocruz.br/images/Publicacoes_Educacao/PDFs/MediacaoemMuseuseCentrosdeCiencia.pdf. Acesso em: 22 nov. 2019.

OLIVEIRA, Marta Kohl de. VYGOTSKY: Aprendizado e desenvolvimento – um processo sócio-histórico. Editora Scipione, 1995.

OLIVEIRA, Marta Kohl de. VYGOTSKY: A Mediação Simbólica. São Paulo: Scipione, 2009. p. 28-41.

POULOT, Dominique. Museu e museologia. Tradução Guilherme João de Freitas Teixeira, Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

RICCA, Diego. MAZZILLI, Clice de Toledo Sanjar (orien.). Artefatos tecnológicos digitais interativos: estratégias projetuais para fomento da mediação de conteúdo em museus. 2018. 194f. Dissertação (Mestrado em Design) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo/Diego Enéas Peres Ricca; orientadora Clice de Toledo Sanjar Mazzilli. – São Paulo, 2019. 194f. (Mestrado). Disponível em: <https://teses.usp.br/teses/disponiveis/16/16140/tde-03092019-103947/es.php>. Acesso em: 22 nov. 2019.

ROQUE, Maria Isabel Rocha. Comunicação no museu. In: BENCHETRIT, Sarah Fassa; BEZERRA, Rafael Zamorano; MAGALHÃES, Aline Montenegro (org.). Museus e comunicação: exposições como objetos de estudo. Rio de Janeiro: Museu Histórico Nacional, 2010. p. 47-68.

SILVEIRA, Guaracy Carlos da. O pensamento de Pierre Lévy: comunicação e tecnologia. 1ª Ed. Curitiba: Appris, 2019.

STUDART, Denise C. O Comitê de Educação e Ação Cultural (Ceca) e a promoção da educação em museus no Brasil (1996-2009). In: O ICOM/Brasil e o pensamento museológico brasileiro: documentos selecionados. BRUNO, Maria Cristina Oliveira (org.). São Paulo: Pinacoteca do Estado: Secretaria de Estado da Cultura: Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus, v. 1, 2010. p. 139-147.

SVABO, Connie. Portable Objects at the Museum. PhD thesis, Center for Experience Reserch, Roskilde University, 2010.

TOSTES, Vera Lúcia Bottrel. Museus e comunicação. As exposições como objeto de estudo, In: BENCHETRIT, Sarah Fassa; BEZERRA, Rafael Zamorano; MAGALHÃES, Aline Montenegro (org.). Museus e comunicação: exposições como objetos de estudo. Rio de Janeiro: Museu Histórico Nacional, 2010. p. 7-8.

VIGNERON, Jacques. Comunicação interpessoal e formação permanente. 1ª Ed. São Paulo, SP: Angellara, 1997.

VILAÇA, Márcio Luiz Corrêa; ARAÚJO, Elaine Vasquez Ferreira. Tecnologia, sociedade e educação na era digital [livro eletrônico]. Duque de Caxias, RJ: UNIGRANRIO, 2016. Disponível em <http://www.pgcl.uenf.br/arquivos/tecnologia,sociedadeeeducacaonaeradigital_011120181554.pdf>. Acesso em: 21 nov. 2019.

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

Downloads

Publicado

2021-12-18

Como Citar

Freitas Silva, M. H., & Arigoni Coelho, P. (2021). Tecnologia e mediação interativa: uma perspectiva museológica contemporânea sistematizada na psicologia da educação. Museologia & Interdisciplinaridade, 10(Especial), 68–92. Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/museologia/article/view/37323

Edição

Seção

Dossiê Museologia e Cultura Digital