Exposição curricular em tempos de pandemia e ensino remoto

a comunicação museológica frente aos desafios e potencialidades da cultura digital no ensino em Museologia

Autores

  • Júlia Nolasco Leitão de Moraes UNIRIO/ PPG-PMUS e Escola de Museologia

Palavras-chave:

Exposição curricular, Cibermuseologia, Participação dos públicos, Exposição digital

Resumo

No contexto da pandemia de COVID-19 e do ensino remoto, docentes e discentes da Escola de Museologia da UNIRIO foram desafiados a desenvolver proposta de exposição curricular perspectivada pelos desafios e potencialidades da cibercultura. A exposição digital “Pindorama: a natureza não está à venda” concretizou-se a partir das convergências e interfaces entre o sítio eletrônico, as mídias sociais e as interações com os públicos e colaboradores. Este artigo aborda as complexidades em torno da construção de propostas sobre três dimensões específicas da referida exposição: metodologia colaborativa, participação e interação dos públicos e idealização do conceito de exposição digital. Para tal, foram apresentados brevemente panorama sobre as exposições curriculares da UNIRIO e o tema de desenvolvimento da proposta. Na sequência, foram abordadas problemáticas relacionadas aos museus e a cultura digital e, finalmente, as soluções criativas adotadas para a exposição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

CURY, Marília Xavier. A pesquisa acadêmica de recepção de público em museus no Brasil: estudo preliminar. Anais do XVI Encontro Nacional de Pesquisa em Pós-Graduação em Ciência da Informação. João Pessoa, PB: Ancib e UFPB, 2015. v. GT 9. p. 1-20.

CURY, Marilia. Exposição ”“ concepção, montagem e avaliação. São Paulo: Annablume, 2005

CURY, Marilia. Metamuseologia ”“ reflexividade sobre a tríade musealia, musealidade e musealização, museus etnográficos e participação indígena. Museologia e Interdisciplinaridade. V. 9, n.17, 2020. p.129-146.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2008

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Esperança: reencontro com a Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: paz e Terra, 1992

LEMOS, André. CIBERCULTURA. Alguns pontos para compreender a nossa época. In: Lemos, André; Cunha, Paulo (orgs). Olhares sobre a Cibercultura. Sulina, Porto Alegre, 2003; pp. 11-23. Disponível em: https://facom.ufba.br/ciberpesquisa/andrelemos/cibercultura.pdf

LESHCHENKO, Anna. Digital Dimensions of the Museum: defining Cybermuseology's Subject of Study. In: MAIRESSE, François; DAVIS, Ann. (Org.). ICOFOM Study Series 43. 1ed.Paris: ICOFOM (ICOM/UNESCO), 2015, v. 1, p. 237-241

LÉVY, Pierre. Cibercultura. 3ª Ed”“ São Paulo: Editora 34, 2010.

LIMA, Diana Farjalla Correia. O que se pode designar como Museu Virtual segundo os museus que assim se apresentam... Anais do ENANCIB - Encontro Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação. João Pessoa: UFPB, ANCIB. 2009.

LISBOA, Pablo Fabião. Museu 4.0: um olhar museológico sobre as práticas museais tecnológicas contemporâneas. 2019. Tese (Doutorado em Arte e Cultura Visual) ”“ UFG, Goiânia/ GO.

MAGALDI, Monique B.; BRULON, Bruno; SANCHES, Marcela. Cibermuseologia: as diferentes definições de museus eletrônicos e a sua relação com o virtual. In: MAGALDI, Monique B.; BRIO, Clóvis Carvalho (Org.). Museus & museologia: desafios de um campo interdisciplinar. Brasília: FCIUnB, 2018. p. 135-155.

MARTI, Frieda; SANTOS, Edméa. Educação museal online: a Educação Museal na/com a Cibercultura. Revista Docência e Cibercultura, v.3, n.2, 2019.

NUNES, José Luiz da Silva. Exposição curricular enquanto experiência. 1999. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Museologia) ”“ UNIRIO, Rio de Janeiro

PRADO, Renato Silva. Museus nunca foram (tão) digitais. Revista V!rus. 2020.

SCHEINER, Tereza. Museologia, hiperculturalidade, hipertextualidade: reflexões sobre o Museu do Século 21. Revista Museologia e Interdisciplinaridade. V.9 nº 17, 2020.

SILVA, Diogo Nobre. “Curti, melhor museu!”: As avaliações dos “viajantes brasileiros” sobre os museus do Brasil no Tripadvisor. 2020. Dissertação (Mestrado em Museologia e Patrimônio) ”“ UNIRIO-MAST, Rio de Janeiro.

UNIVERSIDADE DEFERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Anteprojeto de exposição curricular “Quanto vale o progresso? Da exploração à luta”. 2019. Rio de Janeiro

UNIVERSIDADE DEFERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Relatório final da exposição curricular “Pindorama: a natureza não está Ã venda”. 2021. Rio de Janeiro

UZEDA, Helena. As Exposições Curriculares como parte do ensino de Museologia: adaptação de modelos europeus e as práticas acadêmicas experimentais na UNIRIO. Revista Museologia e Interdisciplinaridade. V.9 nº Especial, 2020.

SITES:

https://icom.museum/en/news/how-to-reach-and-engage-your-public-remotely/

http://expopindorama.com.br/

https://www.facebook.com/pindoramaexposicao

https://www.instagram.com/pindorama_exposicao/

Downloads

Publicado

2021-12-18

Como Citar

Moraes, J. N. L. de . . (2021). Exposição curricular em tempos de pandemia e ensino remoto: a comunicação museológica frente aos desafios e potencialidades da cultura digital no ensino em Museologia. Museologia & Interdisciplinaridade, 10(Especial), 295–316. Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/museologia/article/view/36356

Edição

Seção

Dossiê Museologia e Cultura Digital

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)