Alteração, atualização e versão

a performatividade de Paulista/97

Autores

  • Anna Paula da Silva
  • Fernanda Werneck Côrtes

DOI:

https://doi.org/10.26512/museologia.v9i18.34967

Resumo

O presente artigo proporciona uma reflexão sobre a trajetória de uma obra de arte desde sua criação e incorporação a uma coleção, abordando suas subsequentes exibições, até a atualidade. Para tanto, analisa o processo de assimilação de Paulista/97 (1997), de Cildo Meireles, pelo acervo do Instituto Itaú Cultural, a partir da performatividade da obra ao longo dos anos. O objetivo é discutir o processo de musealização da arte contemporânea, dando destaque ao papel desempenhado pelas estratégias de aquisição na forma como a obra será salvaguardada e exposta. Desse modo, a análise está atrelada mais à transformação da obra do que à sua exibição em 1997.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

BRULON, Bruno. Pesquisa em museus e pesquisa em museologia: desafios políticos do presente. In: MAGALDI, Monique B.; BRITTO, Clóvis Carvalho (Org.). Museus & Museologia: desafios de um campo interdisciplinar. Brasília: FCI-UnB, 2018, p. 19-36.

CÔRTES, Fernanda Werneck. Diversidade da escultura contemporânea: musealização e preservação da arte. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação). Brasília: Universidade de Brasília, 2019.

FREIRE, Cristina. Do perene ao transitório na arte contemporânea: impasses. Porto Arte, Porto Alegre, v. 11, p. 51-65, mai 2000.

FARMER, John Alan. Through the labyrinth: An Interview with Cildo Meireles. Art journal. vol. 59, nº3, 2000. p. 34-43.

GROYS, Boris. A solidão do projeto. Periódico Permanente. v. 2, n. 3, 2013. Disponível em:<http://www.forumpermanente.org/rede/temporada-de-projetos-na-temporada-de-projetos/textos/a-solidao-do-projeto>. Acesso em: 25 maio 2020.

HANG, Bárbara; MUÑOZ, Agustina (Org.). El tiempo es lo único que tenemos: actualidade de las artes performativas. Buenos Aires/ Argentina: Caja Negra, 2019.

HEIN, Hilde. O que é arte pública?: tempo, lugar e significado. Tradução de Tiago Mendes. Viso: Cadernos de estética aplicada, v. 12, nº 22 (jan-jun/2018), p. 1-14. Disponível em: <http://revistaviso.com.br/pdf/Viso_22_HildeHein.pdf>. Acesso em: 20 out. 2018.

HERKENHOFF, Paulo. Cildo Meireles, geografia do Brasil. Catálogo de exposição. Rio de Janeiro: Artiviva Produção Cultural, 2001.

JAUKKYRI, Maaretta. Variações sobre o tempo. In: MATOS, Diego; WISNIK, Guilherme (Org.). Cildo: estudos, espaços, tempo. São Paulo: Ubu Editora, 2017, p. 180-185.

MATOS, Diego; WISNIK, Guilherme (Orgs.). Cildo: estudos, espaços, tempo. São Paulo: Ubu Editora, 2017.

MEIRELES, Cildo. Criação de valor: Cildo Meireles, entrevistado por Angélica de Moraes. In: O valor da obra de arte. São Paulo: Metalivros, 2014, p. 100-135.
NORONHA, Elisa. Discursos e reflexividade: um estudo sobre a musealização da arte contemporânea. Porto/Portugal: Centro de Investigação Transdisciplinar <Cultura, Espaço e Memória> / Edições Afrontamento, 2015.

REBENTISCH, Juliane. Estética de la Instalación. Buenos Aires: Caja Negra, 2018.

RIBENBOIM, Ricardo. Diversidade da escultura contemporânea brasileira. In: Diversidade da escultura contemporânea brasileira. Fôlder de exposição. São Paulo: Instituto Itaú Cultural, 1997.

PAVIS, Patrice. Dicionário da Performance e do Teatro Contemporâneo. São Paulo: Perspectiva, 2017.

PHILLIPS, Patricia. Out of order: the public art machine. In: MILES, Malcom; HALL, Tim (Orgs.). The city cultures reader. 2 ed. Londres: Routledge, 2000.

VERGARA, Luiz Guilherme; HUGUENEY, Beatriz Jabor. Inserções no circuito museológico. In: Cildo Meireles, Geografia do Brasil: material de apoio para uma mediação educativa. Rio de Janeiro: Artviva Produção Cultural, 2002.

Downloads

Publicado

2020-11-03 — Atualizado em 2020-11-22

Versões

Como Citar

da Silva, A. P., & Werneck Côrtes, F. (2020). Alteração, atualização e versão: a performatividade de Paulista/97. Museologia & Interdisciplinaridade, 9(18), 265–280. https://doi.org/10.26512/museologia.v9i18.34967 (Original work published 3º de novembro de 2020)

Edição

Seção

Dossiê Musealização da Performatividade em Coleções Públicas e Privadas