Medal of Honor: a história monumental em narrativas lúdicas

Autores

  • Rafael Zamorano Bezerra
  • Christiano Britto Monteiro

DOI:

https://doi.org/10.26512/museologia.v8i15.24671

Palavras-chave:

Monumentos Games. Memória. História. Segunda Guerra Mundial.

Resumo

Este texto apresenta algumas relações entre Games, História e Monumentos. Parte-se do princípio que o uso de referências e discursos vinculados a temas históricos na produção de games é uma forma de monumentalização de eventos passados, marcada, em alguns jogos, pela adoção de uma narrativa histórica de característica monumental, centrada na figura do herói. O argumento central da análise destaca que jogos como a franquia Medal of Honor são formas de monumentos digitais, dadas as similitudes de suas narrativas com as práticas que mobilizam a criação e a preservação dos monumentos. Analisaremos a franquia de Medal of Honor (1999) inspirada e derivada do filme O resgate do soldado Ryan (1998), ambos produzidos pelo diretor Steven Spielberg.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ADORNO, Theodor W.; HORKHEIMER, Max. A indústria cultural: o esclareci-mento como mistificação das massas. Dialética do esclarecimento, v. 2, p. 113-156, 1985.

AMBROSE, Stephen E. O Dia D, 6 de junho de 1944 a batalha culminante da segun-da grande guerra. Civilização Brasileira, 1997.

AMBROSE, Stephen E. Soldados cidadãos: do desembarque do Exército America-no nas praias da Normandia à batalha das Ardenas e a rendição da Alemanha, 7 de junho de 1944 a 7 de maio de 1945. Biblioteca do Exército, 2010.

AZEVEDO, Cecília. Em nome da América: os Corpos da Paz no Brasil. Alameda, 2008.

BELLO, R. S.; VASCONCELOS, J. A. O videogame como mídia de representação histórica. Revista Observatório, Palmas, v. 3, n. 5, p. 216-250, ago. 2017.

BEZERRA, R. Z. A invenção das relíquias. Dispositivos de autoridade e musealiza-ção de objetos no Museu Histórico Nacional (1922-2012). 2014. Tese (Doutorado em História Social) ”“ UFRJ, Rio de Janeiro, 2014.

BOLTER, Jay David; GRUSIN, Remediation. Understanding new media. 1999.

BRADLEY, James; POWERS, Ron. Flags of our Fathers. Random House, 2011.

CARDOSO, C. F. S. Narrativa, sentido, história. Campinas: Papirus, 1998.

CHARTIER, R. História cultural: entre práticas e representações. Lisboa: Difusão Cultural, 1988.

CHAPLIN, Heather; RUBY, Aaron. Smartbomb: The quest for art, entertainment, and big bucks in the videogame revolution. Algonquin Books, 2006.

CHOAY, F. A alegoria do patrimônio. São Paulo: Unesp/Estação Liberdade, 2001.

CRUZ, Dulce Márcia. Tempos (pós-) modernos: a relação entre cinema e games. Revista Fronteiras ”“ estudos midiáticos, v. 3, p. 175-184, set./dez. 2005.

DUNNINGAN, James. Wargames Handbook. How to Play and Desing Commer-cial and Professional Wargames. Lincoln: Willian Morrow, 2000.

ETCHESON, Nicole. Mistress of Manifest Destiny: A Biography of Jane McManus Storm Cazneau, 1807-1878. The Journal of Southern History, v. 68, n. 4, p. 943, 2002.

FERREIRA, E. M. Games, Cinema e Interatividade. Intercom ”“ Sociedade Brasi-leira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. XXIX CONGRESSO BRA-SILEIRO DE CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO, 29., 2006, Brasília, DF. Anais ele-trônicos... São Paulo: Intercom. Disponível em: < http://www.portcom.intercom.org.br/pdfs/168012802237206503669600035713655287961.pdf > Acesso em: 17 nov. 2017.

GUIMARÃES, Manoel Luiz Salgado. Vendo o passado: representação e escrita da história. Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, v. 15, n. 2, p. 11-30, 2007. http://dx.doi.org/10.1590/S010147142007000200002.

HERSH, Seymour M. My Lai 4: A report on the massacre and its aftermath. New York: Random House, 1970.

HUIZINGA, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. Editora da Universidade de S. Paulo, Editora Perspectiva, 1971.

HUYSSEN, A. Seduzidos pela memória: arquitetura, monumentos, mídia. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2000.

JOLY, Martine. Introdução à análise da imagem. Papirus editora, 1996.

JUNQUEIRA, Mary A. Estados Unidos: a consolidação da nação. Contexto, 2001.

KNAUSS, Paulo. A festa da imagem: a afirmação da escultura pública no Brasil do século XIX. 19&20, Rio de Janeiro, v. V, n. 4, out./dez. 2010. Disponível em: <http://www.dezenovevinte.net/obras/pknauss.htm>.

LECKIE, Robert. Helmet For My Pillow [Illustrated Edition]. Pickle Partners Publishing, 2015.

LE GOFF, J. História e Memória Campinas: Ed. Unicamp, 2010.

MAJECK, Dee. The Cinematisation of Computer and Consoles Games: Aesthe-tic and Commercial Convergence in the Film and Games Industries. Stockholm: Stockholms Universitet, [2011?]. Disponível em: <https://www.diva-portal.org/smash/get/diva2:756308/FULLTEXT01.pdf > Acesso em: 20 nov. 2017.

MENESES, Ulpiano T. Bezerra. Do teatro da memória ao laboratório da História: a exposição museológica e o conhecimento histórico. Anais do Museu Paulista: história e cultura material, v. 2, n. 1, p. 9-42, 1994.

ROSENSTONE, R. A história nos filmes, os filmes na história. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2010.

SALVATI, A. J.; BULLINGER, J. M. Selective Authenticity and the Playable Past. In: KAPPELL, M.; ELLIOT A. B. R. (Org.). Playing with the past: Digital Games and the Simulation of History. New York: Bloomsburry, 2013. p. 153-168.

SANTAELLA, Lucia. Cultura e artes do pós-humano. São Paulo: Paulus, 2003.

SANTOS, C. B. M. Medal of Honor e a construção da memória da Segunda Guerra.2009. 128 f. Dissertação (Mestrado em História) Universidade Federal Flumi-nense, 2009.

SILVA, F. A.; VUGMAN, F. A relação do herói no cinema e nos jogos eletrônicos. Crítica Cultural, Palhoça, SC, v. 7, n. 2, p. 344-355, jul./dez. 2012.

SPINI, Ana Paula. Ritos de Sangue em Hollywood; mito da guerra e identidade nacional norte-americana. 2005. Tese de Doutorado. Tese de Doutorado, orien-tadora: Cecília Azevedo. Niterói: PPGH/UFF.

TELLES, H. V.; ALVES, L. Narrativa, história e ficção: os history games como obras fronteiriças. Comunicação e Sociedade, Braga, v. 27, p. 303-317, 2015.

NIETZSCHE, Friedrich. Sobre a utilidade e a desvantagem da história para a vida. São Paulo: Hedra, 2017.

PAMPLONA, Marco Antonio. Revendo o sonho americano: 1890-1972. Atual, 1995.

PESAVENTO, S. Cultura e Representações, uma trajetória. Anos 90, Porto Alegre, v. 13, n. 23/24, p. 45-58, jan./dez. 2006.

PEREIRA, Wagner Pinheiro. O poder das imagens: cinema e política nos governos de Adolph Hitler e de Franklin D. Roosevelt (1933-1945). Alameda, 2012.

POLLAK, M. Memória e Identidade Social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 5, n. 10, p. 200-212, 1992.

POULOT, D. Museu e Museologia. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

POULOT, D. Uma história do patrimônio no Ocidente. São Paulo: Estação da Liber-dade, 2009.

RIEGL, A. El culto moderno de los monumentos. Madrid: Visor, 1987.

Downloads

Publicado

2019-05-14

Como Citar

Bezerra, R. Z., & Monteiro, C. B. (2019). Medal of Honor: a história monumental em narrativas lúdicas. Museologia &Amp; Interdisciplinaridade, 8(15), 122–137. https://doi.org/10.26512/museologia.v8i15.24671

Edição

Seção

Dossiê Cinema, Museu e Patrimônio