Discursos e identidades: exotismo e domínio violento

Autores

  • Izabel Magalhães

DOI:

https://doi.org/10.26512/les.v11i1.9755

Palavras-chave:

Identidade; Transdisciplinaridade; Abuso sexual; Intertextualidade, Interdiscursividade; Análise de Discurso Textualmente Orientada.

Resumo

O propósito deste artigo é examinar a relação transdisciplinar entre o conceito de discurso, da linguística, e o conceito de identidade, das ciências sociais. Abordando três cientistas sociais latinoamericanos (Ortiz, 1985; Souza, 1994; e Larraín, 2001), e focalizando o abuso sexual de crianças e adolescentes no Brasil, em três reportagens de jornais, o artigo pressupõe uma ligação entre o discurso europeu do paraíso tropical, que foi apropriado no país, e o abuso sexual de crianças e adolescentes. O método da Análise de Discurso Textualmente Orientada (Adto) é adotado, centrandose a análise na intertextualidade, na interdiscursividade e na representação identitária de atores sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Izabel Magalhães

Professora Visitante na Universidade Federal do Ceará, em Fortaleza, e Pesquisadora Colaboradora na Universidade de Brasília; fundadora do periódico Cadernos  e Linguagem e Sociedade (1995), do qual foi organizadora até 2008; coordenadora do Núcleo de Estudos de Linguagem e Sociedade/Nelis, do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares/Ceam da Universidade de Brasília, de 1991 a 1993 e de 1995 a 2006; pesquisadora do CNPq.

Referências

Authier-Revuz, J. Heterogeneidade(s) enunciativa(s). Trad. C. M. Cruz e J. W. Geraldi. Cadernos de Estudos Linguísticos, 19: 25-42, 1990.

Bakhtin, M. Marxismo e filosofia da linguagem. Trad. M. Lahud e Y F. Vieira. São Paulo: Hucitec, 1979. [1977]

_____. Estética da criação verbal. 2ª ed. Trad. M. E. Pereira. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

Bernstein, B. Pedagogy, symbolic control and identity. Theory, research, critique.Londres/Bristol: Taylor & Francis, 1996.

Buarque de Holanda, S. Visão do paraíso. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1985.

Chiapello, E.; Fairclough, N. Understanding the new management ideology. A transdisciplinary contribution from critical discourse analysis and new sociology of capitalism. Discourse and Society, 13 (2): 185-208, 2002.

Cunha, E. da. Os sertões. Rio de Janeiro: Ed. Ouro.

Fairclough, N. Linguistic and intertextual analysis within discourse analysis. In: Jaworski, A. & Coupland, N. (Orgs.) The discourse reader. Londres/Nova York: Routledge, 1999, p. 183-211.

_____. Discurso e mudança social. Coord. trad., revisão e prefácio à ed. brasileira I. Magalhães. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2001. [1992]

_____. Analysing discourse. Textual analysis for social research. Londres/Nova York: Routledge, 2003.

_____. Critical discourse analysis in transdisciplinary research. In: Wodak, R.; Chilton, P. (Orgs.), 2005, p. 53-70.

_____. Language and globalization. Londres/Nova York, Routledge, 2006.

Hall, S. Quem precisa da identidade? In: Silva, T. T. (Org.) Identidade e diferença. Rio de Janeiro: Vozes, 2000.

Halliday, M. A. K. An introduction to functional grammar. 2a. ed. Londres/Melbourne/Auckland: Edward Arnold, 1994. [1985]

Koch, I. G. V.; Bentes, A. C.; Cavalcante, M. M. Intertextualidade. Diálogos possíveis. 2ª ed. São Paulo: Cortez Editora, 2008. [2007]

Kristeva, J. Word, dialogue and the novel. In: Moi, T. (Org.) The Kristeva reader. Oxford: Blackwell, 1986, p. 34-61.

Larraín, J. Identidad chilena. Santiago, Chile, LOM Ediciones, 2001.

Magalhães, I. Linguagem e identidade em contextos institucionais e comunitários. Cadernos de Linguagem e Sociedade, 2 (1): 42-61, 1996.

_____. O discurso do outro e a identidade da mulher. Da colonização à década de 1990. In: Barros, D. L. de. (Org.) Os discursos do descobrimento. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2000, p. 207-222.

_____. Teoria crítica do discurso e texto. Linguagem em (Dis)curso, 4, Especial: 113-31,2004. http://www.unisul.br/paginas/ensino/pos/linguagem/0403/05.htm. (acesso em 4 de dezembro de 2009).

_____. Discursos e identidades de gênero na alfabetização de jovens e adultos e no Ensino Especial. Calidoscópio, 6 (2): 61-68, 2008.

Ortiz, R. Cultura brasileira e identidade nacional. 5ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1994. [1985].

Pacheco, M. Identidade e intertextualidade em narrativas de docentes e em textos de leis federais brasileiras, de 1960 a 2000. Universidade de Brasília, tese (Doutorado), 2006.

Pêcheux, M. Semântica e discurso. Uma crítica à afirmação do óbvio. Trad. E. P. Orlandi et al. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1988.

Rodrigues, N. As raças humanas e a responsabilidade penal no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Guanabara, s. d.

Romero, S. Cantos populares no Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1954.

Smith, D. Texts, facts and femininity. Exploring relations of ruling. Londres: Routledge, 1990.

Souza, O. Fantasia de Brasil. As identificações na busca da identidade nacional. São Paulo, Editora Escuta, 1994.

Thompson, J. B. Ideology and modern culture. Cambridge: Polity Press, 1990.

Van Dijk, T. A. Contextual knowledge management in discourse production: a CDA perspective. In: Wodak, R.; Chilton, P. (Orgs.), 2005, p. 71-100.

Van Leeuwen, T. The representation of social actors. In: Caldas-Coulthard, C. R.; Coulthard, M. (Orgs.) Texts and practices. Londres/Nova York: Routledge, 1996, p. 32-70.

_____. Three models of interdisciplinarity. In: Wodak, R.; Chilton, P. (Orgs.), 2005, p. 3-18.

Wodak, R.; Chilton, P. (Orgs.) A new agenda in (critical) discourse analysis. Amsterdã/Filadélfia: John Benjamins, 2005.

Downloads

Publicado

2010-11-12

Como Citar

Magalhães, I. (2010). Discursos e identidades: exotismo e domínio violento. Cadernos De Linguagem E Sociedade, 11(1), 13–37. https://doi.org/10.26512/les.v11i1.9755

Edição

Seção

Artigos de pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>