Três Propostas Político-Pedagógicas para se pensar o Ensino Jurídico Brasileiro em Tempos de Exceção: defendendo ideias revolucionárias

Autores

  • Jarbas Ricardo Almeida Cunha

DOI:

https://doi.org/10.26512/insurgencia.v5i1.28899

Resumo

Este artigo se propõe a discutir três ideias político-pedagógicas para o ensino jurídico brasileiro no contexto de exceção e de crise da representação jurídica atual. A primeira proposta é a pedagogia Marxista, sistematizada por pensadores soviéticos embalados pela Revolução Russa. A segunda é a pedagogia defendida e aplicada pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e a terceira proposta pedagógica será a defendida pelos doutrinadores do Direito Achado na Rua, tendo em Roberto Lyra Filho seu principal expoente. A metodologia utilizada neste trabalho será a revisão de literatura de tipo narrativo. Conclui-se que as propostas político-pedagógicas aqui apresentadas são importantes para a reflexão do ensino jurídico brasileiro, tendo como consequência a necessidade de um olhar crítico sobre o modus operandi dos sujeitos políticos que compõem o nosso Sistema de Justiça.

Downloads

Publicado

24.12.2019

Como Citar

CUNHA, Jarbas Ricardo Almeida. Três Propostas Político-Pedagógicas para se pensar o Ensino Jurídico Brasileiro em Tempos de Exceção: defendendo ideias revolucionárias. InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 5, n. 1, p. 436–474, 2019. DOI: 10.26512/insurgencia.v5i1.28899. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/insurgencia/article/view/28899. Acesso em: 21 jun. 2024.