APROPRIAÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS NO ESTADO DO CEARÁ: UMA ABORDAGEM A PARTIR DA NOÇÃO DE (IN)JUSTIÇA AMBIENTAL

Autores

  • Francisco Wlirian Nobre

DOI:

https://doi.org/10.26512/insurgencia.v5i1.28892

Resumo

O objetivo central do presente artigo é apresentar casos de injustiças ambientais no estado do Ceará provocados a partir do processo de expansão do capital. Objetiva-se ainda examinar elementos teóricos, epistemológicos e metodológicos do pensamento descolonial, voltado para a noção de justiça ambiental. Verifica-se, também, casos de insurgências dos sujeitos sociais afetados, por grandes empreendimentos capitalistas. Ao problematizar a inserção do Ceará no modelo neodesenvolvimentista, aponta-se como hipótese a intensificação dos conflitos ambientais em diferentes regiões do estado. Metodologicamente, pauta-se numa análise qualitativa com o entrecruzamento de fontes documentais e pesquisas realizadas por pesquisadores de todas as regiões estudadas. As constatações aqui apresentadas procuram fornecer evidências de que, simultaneamente ao processo de injustiças ambientais, ocorrem resistências e lutas que se multiplicam com experiências dissidentes.

Downloads

Publicado

24.12.2019

Como Citar

NOBRE, Francisco Wlirian. APROPRIAÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS NO ESTADO DO CEARÁ: UMA ABORDAGEM A PARTIR DA NOÇÃO DE (IN)JUSTIÇA AMBIENTAL. InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 5, n. 1, p. 197–226, 2019. DOI: 10.26512/insurgencia.v5i1.28892. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/insurgencia/article/view/28892. Acesso em: 19 jun. 2024.