MOBILIZAÇÃO DE COMUNIDADES QUILOMBOLAS E A INTERFACE COM AS INSTITUIÇÕES PÚBLICAS: A ACONERUQ E O MOQUIBOM NO MARANHÃO

Autores

  • Igor Thiago Silva de Sousa
  • Clarianne Natali de Campos

DOI:

https://doi.org/10.26512/insurgencia.v5i1.28890

Resumo

Este trabalho tem como objetivo analisar os processos de mobilização das comunidades quilombolas no Maranhão, a partir das ações do Movimento Negro, através do CCN-MA (Centro de Cultura Negra do Maranhão), e sua interferência direta na garantia de direitos territoriais às chamadas “comunidades remanescentes de quilombos” em âmbito regional, por meio de projetos de mapeamento e registro de conflitos agrários, bem como o registro do surgimento  segmentos organizados específicos destas comunidades, a saber, a ACONERUQ (Associação de Comunidades Negras Rurais Quilombolas) e o MOQUIBOM (Movimento Quilombola do Maranhão), chamando atenção para as estratégias de ação, leituras políticas e processos organizativos multifacetados em torno do acionar dos direitos assegurados formalmente e interfaces frente a instituições estatais.

Downloads

Publicado

24.12.2019

Como Citar

SILVA DE SOUSA, Igor Thiago; DE CAMPOS, Clarianne Natali. MOBILIZAÇÃO DE COMUNIDADES QUILOMBOLAS E A INTERFACE COM AS INSTITUIÇÕES PÚBLICAS: A ACONERUQ E O MOQUIBOM NO MARANHÃO. InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 5, n. 1, p. 110–142, 2019. DOI: 10.26512/insurgencia.v5i1.28890. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/insurgencia/article/view/28890. Acesso em: 27 maio. 2024.