Edições anteriores

  • Dol 243
    v. 1 n. 243 (21)

    DOL – Dor OnLine

     EDIÇÃO 243

     Caros leitores do periódico mensal Boletim Dor on line, bem vindos à edição 243. Temos este mês um editorial que traz um panorama da Dor Crônica no Brasil. Além deste importante tema, temos também alertas em nossa seção de Divulgação Científica, tratado de temas como o efeito analgésico do LSD, tarefas de memória e sensibilidade à dor, os benefícios para a dor crônica com o exercício e a dor do parto contribuindo para o aumento da dor em recém-nascidos. Na nossa seção de Ciência & Tecnologia trazemos alertas sobre o efeito analgésico da Spirulina, o papel epigenético do canal Kav 1.2 na dor neuropática, a avaliação da dor pós-operatória com novas ferramentas, o papel de receptores de purina na dor crônica e a educação em neurociências como ferramenta de gestão da dor. Boa leitura!

    EDITORIAL DO MÊS

     Dor crônica no Brasil

    Gleiciely Spindula, Rayane Cavalcante, Vera Regina Fernandes da Silva Guimarães, Antônia de Jesus Ângulo Tuesta

     

    Divulgação Científica

    1 Verdade ou ilusão? Os efeitos analgésicos do LSD

    Pedro Santana Sales Lauria

    2 A prevalência de dor crônica em indivíduos da África do Sul. Veja a condição que afeta 1 em cada 5 sul-africanos

    Mariana Lôbo Moreira

    3 A hipersensibilidade secundária à dor modulada por tarefa cognitiva. O envolvimento em tarefa de memória reduz a sensibilidade dolorosa

    Ketley Paiva Cabral

    4 Exercícios físicos na dor crônica: benefícios além do alívio

    Aryanne Faustino Albernaz

    5 Estímulos dolorosos em recém-nascidos podem contribuir para reação futura a estímulo de dor. A via de parto pode contribuir para o aumento da dor em Recém-nascidos?

    Ivanete de Freitas Lisboa

     

    Ciência e Tecnologia

    6 De suplemento alimentar à analgésico Biomassa de Spirulina platensis promove analgesia mediada centralmente pelo sistema opioide

    Eduardo Lima Wândega

    7 A expressão de canais Kv1.2 e sua relação com a dor neuropática. Mecanismos epigenéticos podem ser novos métodos para tratamento da dor

    Mateus Souza Neiva

    8 Novas possibilidades na avaliação da dor pós-operatória. Aplicativo pode ser ferramenta complementar na avaliação de dor no pós-operatório

    9 Receptores de purina como via de tratamento para a dor crônica neuropática. Revisão de estudos de receptores de purina e sua influência na dor crônica neuropática

    Júlia Eduarda Batista de Almeida

    10 A educação em neurociências como ferramenta para gestão da dor. Combinações de intervenções relacionadas à dor podem ser mais efetivas

    Paula Muniz Machado

  • Dol 242
    v. 1 n. 242 (21)

    DOL – Dor on line

    EDIÇÃO 242

    Caros leitores do Boletim Dor on line, nesta edição de setembro de 2020 trazemos um editorial tratando da dor em mulheres e seus desdobramentos clínicos e sociais. Na seção de Divulgação científica temos alertas tratando da fibromialgia e dor menstrual, a ação da losartana na neuroinflamação do tratamento de câncer, a ocitocina e o dialogo positivo na analgesia do gênero feminino, a relação da imagem corporal e dor crônica e o efeito da massagem sacral na do dor do parto. Na seção de Ciência e Tecnologia temos alertas tratando da ação de anestésicos gerais na dor crônica, a regulação epigenética de receptores CB1, o aprendizado em pacientes com dor crônica, a ação do propranolol na desordem temporomandibular e um novo método de crioanalgesia. Boa Leitura!!

    EDITORIAL

     A maior sensibilidade da dor em mulheres

    Giovanna França Alves

    Raquel Pereira de Souza

    Divulgação Científica

    1 O impacto da dor menstrual na saúde da mulher. Mulheres que sofrem com dor menstrual e fibromialgia têm mais chances de desenvolver síndromes de sensibilização central

    Pedro Santana Sales Lauria

    2 Losartana reduz a neuroinflamação induzida pelo paclitaxel. Possível estratégia para tratar a dor neuropática da quimioterapia

    Mateus Souza Neiva

    3 O papel da ocitocina e do diálogo positivo entre casais na percepção da dor. “Discutir a relação” como uma proposta para a redução da dor em mulheres

    Laura Borges Lopes Garcia Leal

    4 Meu corpo não está funcionando bem. A relação entre imagem corporal e dor crônica

    Giovanna França Alves

    5 O efeito da massagem sacral na dor do parto e na ansiedade. Será que é possível atenuar a dor e a ansiedade no parto com uma massagem?

    Larissa Fernanda Matias Werworn

    Ciência e Tecnologia

    6 Identificado o papel dos anestésicos gerais na supressão da dor. Os anestésicos isoflurano e cetamina ativam os neurônios GABAérgicos na amígdala central e atuam no controle da dor crônica.

    Alexandre Hashimoto Pereira Lopes

    7 Mecanismo epigenético regula expressão de receptores CB1 na dor neuropática. A inibição de um mecanismo atenua consequências da lesão no nervo

    Larissa Menegassi

    8 A dor neuropática e as alterações das vias do glutamato no hipocampo. Por que pessoas que sofrem de dor crônica têm mais dificuldade em aprender?

    Diego Francisco de Agnelo Silva

    9 Propranolol reduz a dor facial associada à desordem temporomandibular. Propranolol: um anti-hipertensivo com efeito analgésico?

    Jamile de Souza Moraes

    10 Um novo método de crioanalgesia mais seletiva como uma abordagem de analgesia preemptiva. Dando um gelo na dor

    Luiza Carolina França Opretzka

  • Dol 241
    v. 1 n. 241 (21)

    DOL – Dor On line

     EDIÇÃO 241

    Leitores do Boletim Dor on line, bem vindos a edição de agosto de 2020. Nesta edição temos um editorial sobre a Síndrome da Dor Patelofemoral. Na nossa seção de Divulgação Científica temos alertas mostrando tratamento baseado em imunoterapia para a dor do câncer, mecanismo de ação de antagonista do CGRPR na enxaqueca, novas diretrizes e protocolo para um tipo de artrite, estratégias de redução de uso de opioides em dores crônicas e a atualização do conceito da dor pela IASP. Na nossa seção de Ciência e Tecnologia, temos alertas sobre uma nova ação fisiológica da vitamina D na dor, a influência do gênero no estresse na neuropatia periférica, a ação analgésica dose-dependente do THC, dor crônica e dismenorreia e a relação da dor orofacial com ansiedade. Boa leitura!

    EDITORIAL DO MÊS

    Síndrome da dor Patelofemoral e Larissa Barros Freire e Leonardo Petrus da Silva Paz

     

    Divulgação Científica

    1 Imunoterapia com células T reduz a dor em pacientes com câncer avançado. Alternativa imunoterápica para redução da dor do câncer

    Giulia Moreira Dias

    2 O mecanismo de ação do fremanezumab parece não estar relacionado à ação cortical. Estudo pode ajudar a elucidar fisiopatologia da enxaqueca

    Rafael do Couto Campos de Jesus

    3 Artrite Idiopática Juvenil (AIJ). Novo protocolo clínico e diretrizes terapêuticas da AIJ

    Daniel Souza Lemos

    4 A redução do uso de opioides apoiada pela autogestão da dor crônica. Uma alternativa para a redução do uso de opioides

    Anne Caroline Nunes Carmo

    5 Título: IASP atualiza o conceito de dor. Definição de dor passa a ter caráter mais inclusivo

    Mateus Souza Neiva e Mani Indiana Funez

    Ciência e Tecnologia

    6 Um banho de sol para prevenir a dor? A vitamina D é um agonista parcial de TRPV1, o que pode ajudar a explicar seu papel endógeno na modulação da dor.

    Luiza Carolina França Opretzka

    7 Sexo biológico influencia estresse na dor neuropática induzida por paclitaxel. O dimorfismo sexual pode ser determinante para o perfil hormonal do estresse na neuropatia periférica induzida por quimioterápicos

    Eduardo Lima Wândega

    8 O efeito analgésico da cannabis medicinal pode ter uma janela terapêutica. A capacidade da cannabis medicinal induzir analgesia depende da dose

    Gessica Sabrina de Assis Silva e Cristiane Flora Villarreal

    9 O risco de dor crônica associado à um subgrupo com dismenorreia. Entenda a progressão da dor cíclica para uma possível dor crônica

    Mariana Lobo

    10 A dor orofacial aguda leva a mudanças persistentes nos componentes comportamental e afetivo da dor. Dor orofacial interfere na ansiedade em modelo experimental

    Erika Ivanna Araya Pallarés

  • Dol 240
    v. 1 n. 240 (20)

    DOL – Dor on line

     EDIÇÃO 240

    Caros leitores, o Boletim Dor on line não fica alheio às inquietações deste 2020 distópico! Trazemos uma reflexão importante em nosso editorial este mês, centrado no preconceito racial e o gerenciamento da dor. Além disso, trazemos em nossa seção de Divulgação Científica alertas sobre terapêutica com opioides, o efeito placebo em crianças, a dor neuropática em pacientes portadores de HIV e seu impacto na qualidade de vida, a catastrofização da dor em adolescentes e familiares e a influencia do ciclo circadiano na dor. Na seção de Ciência e Tecnologia temos alertas sobre fatores sociodemograficos e o risco para a dor nas cidades, o estímulo do sistema endocanabinoide para a artrite, um estudo clinico de um medicamento para a constipação intestinal de opioides, toxinas para fenótipos Nav de insensibilidade à dor e o papel do resveratrol e microbiota intestinal na dor da ATM. Boa Leitura!

    EDITORIAL DO MÊS

    A dor do preconceito: a discriminação racial no manejo clínico da dor

    Pedro Santana Sales Lauria

    Cristiane Flora Villarreal

    UFBA

     

    Divulgação Científica

    1 As doses de opioide e o seu impacto na escala numérica de dor. Doses crescentes de opioides não foram associadas à melhora da dor

    Júlia Eduarda Batista de Almeida

    2 O papel das expectativas no efeito placebo em crianças. Expectativas como possibilidade na redução da dor em crianças

    Aryanne Faustino Albernaz

    3 Efeitos da dor neuropática na qualidade de vida das pessoas portadoras do HIV. Conhecendo a dor neuropática em pessoas que convivem com HIV

    Kamila Gonçalves Tortorelli

    4 A relação parental na catastrofização da dor em jovens. As interações diárias familiares influenciam na experiência da dor crônica?

    Ketley Paiva Cabral

    5 Efeitos do ritmo circadiana no sono e na dor. Os ponteiros do relógio circadiano marcam o sono e a dor

    Mariana Lôbo Moreira

     

    Ciência e Tecnologia

    6 Fatores de risco para a dor como alvo de intervenção precoce. Sexo, idade, raça e situação socioeconômica podem influenciar na dor em população urbana

    Paula Muniz Machado

    7 Estimular a produção de canabinoides endógenos pode melhorar a dor e inflamação nas juntas. Endocanabinoides no combate à Osteoartrite

    Laura Colete Cunha

    8 Linaclotida reduz a constipação intestinal induzida pelo uso de opioides em pacientes com dor crônica. Nova opção para o tratamento da constipação intestinal induzida por opioides

    Eduardo Lima Wândega

    Cristiane Flora Villarreal

    9 Descubra como uma toxina de aranha pode melhorar a qualidade de vida de pessoas geneticamente insensíveis à dor. Quando a dor é a solução: uma nova perspectiva sobre a analgesia congênita

    Pedro Santana Sales Lauria

    10 Resveratrol e microbiota intestinal: uma nova abordagem para a dor inflamatória da articulação temporomandibular.

    Luiza Carolina França Opretzka

  • Dol 239
    v. 1 n. 239 (20)

    DOL – Dor OnLine

    EDIÇÃO 239

    Caros leitores, esta edição do Boletim Dor on line traz um editorial e alerta sobre um importante desdobramento da Pandemia de SARS-Cov-2 de 2020, a telemedicina como alternativa de atendimento de Saúde não-presencial e o gerenciamento de dores crônicas. Na seção de Divulgação Científica temos também alertas sobre terapia laser para a dor, o uso de opioides em idosos e o efeito analgésico de palavrões. Na nossa seção de Ciência e Tecnologia temos alertas sobre polimorfismo genético e dor neuropática, a participação de receptores P2RX-3 na dor da endometriose, o envolvimento da proteína Pl16 na dor neuropática, a microbiota intestinal e a dor articular e o uso do celecoxib para enxaqueca. Boa leitura!

    EDITORIAL DO MÊS

    As vantagens e limitações da telemedicina para o manejo da dor crônica

    Leticia Santos Almeida

    Cristiane Flora Villarreal

     

    Divulgação Científica

    1 COVID-19 e o desafio da telessaúde.  Como tratar a dor em tempos de pandemia ?

    Giovanna França Alves

    2 A massagem Thiele piora a dor em pacientes com síndrome da bexiga dolorosa não ulcerativa. Nem toda a massagem é benéfica para dor.

    Gessica Sabrina Assis Silva

    3 Uma luz na escuridão: a terapia a laser como um tratamento alternativo para a dor. Não é ficção científica! Entenda como uma terapia baseada em luz pode ser utilizada para o alívio de dores crônicas.

    Pedro Santana Sales Lauria

    4 Compreender prescrição de opioides. Uso de opioides e a dor em idosos.

    Alexandre Gomes de Macedo Maganin

    5 Maior tolerância à dor provocada pelo uso de palavrões. Efeitos de xingamentos e aspectos psicológicos associados na tolerância e limiar de dor.

    Amanda Paula Mendonça da Costa

     

    Ciência e Tecnologia

    6 Polimorfismo no gene ABCB1 e o tratamento da dor neuropática. Variações genéticas influenciam a eficácia da terapia?

    Maria Cecília Euclides de Oliveira

    7 Dor na Endometriose por ativação do receptor P2RX-3 envolve fatores de transcrição ATF3 e AP-1. Inibição de P2XR3 poderia atenuar a dor na endometriose?

    Laura Colete Cunha

    8 A proteína PI16, produzida por fibroblastos, está envolvida na fisiopatologia da dor neuropática. A descoberta de um novo regulador da dor neuropática derivado do fibroblasto

    Renan Fernandes do Espírito Santo

    9 A relação entre a magnitude da dor articular e a composição da microbiota gastrointestinal em pacientes com osteoartrite de joelho. A influência da microbiota intestinal na dor articular.

    Diego Francisco de Agnelo Silva

    10 Celecoxibe reduz a vasodilatação e ativação de macrófagos na dura-máter e na pia-máter na enxaqueca experimental. Novo mecanismo proposto para a ação terapêutica do celecoxibe na enxaqueca.

    Eduardo Lima Wândega

  • Dol 238
    v. 1 n. 238 (20)

    DOL – Dor OnLine

     EDIÇÃO 238

    A edição de Maio de 2020 traz um editorial sobre a osteoartrite na velhice e obesidade. Na seção de Divulgação Científica temos alertas sobre fibromialgia e cannabis medicinal, novas opções para a enxaqueca crônica, jejum como analgésico, cuidado de neonatos e a dor neonatal, e um aplicativo para auxiliar no gerenciamento da dor lombar. A seção de Ciência e Tecnologia traz a ação da ativação de receptores CB2 nos efeitos adversos de quimioterápicos, novas complicações da infecção por COV-SARS-2 relacionadas à dor, novo fármaco opioide, o efeito de células T CD4+ na analgesia da morfina e a associação entre diabetes e a intensidade da dor em pacientes com osteoartrite de joelho. Boa Leitura!

    EDITORIAL DO MÊS

    A osteoartrite em idosos com obesidade

    Manoela Vieira Gomes da Costa

    Mateus Medeiros Leite

    Marina Morato Stival

    Divulgação Científica

    1 Fibromialgia e maconha medicinal. A adição de maconha medicinal ao tratamento padrão para fibromialgia pode levar a melhores resultados

    Larissa Fernanda Matias Werworn

    2 Anti-RCGRP, erenumab, melhora migrânea crônica. Tratamento prolongado em pacientes com migrânea crônica mostra resultados seguros e eficazes.

    Laura Colete Cunha

    3 O jejum e a realimentação induzem efeitos analgésicos por mecanismos diferentes. Jejum intermitente: dieta da moda ou terapia analgésica?

    Gessica Sabrina Assis Silva

    4 Eficácia analgésica do cuidado canguru em neonatos prematuros internados em unidade de terapia intensiva. O dengo da mãe alivia a dor em bebês prematuros

    Gessica Sabrina Assis Silva

    5 Aplicativo de celular é nova promessa no tratamento da dor lombar não específica. Alívio da dor na palma da mão

    Leticia Santos Almeida

    Ciência e Tecnologia

     6 Receptores canabinoides do tipo 2 (CB2) atenuam efeitos induzidos por paclitaxel em ratos Ativação CB2 pode contrapor efeitos adversos do paclitaxel.

    Yurie Sato

    7 A síndrome de Guillain–Barré associada com o novo coronavírus. Causa ou coincidência?

    Luíza Beatriz Carvalho Cunha

    8 Agonistas opioides ativados por pH ácido pode representar eficiente estratégia para obtenção de analgesia opioide com menos efeitos adversos. A nova cara de um velho conhecido

    Diego Francisco de Agnelo Silva

    9 Deficiência de células T CD4+ promove diminuição da analgesia da morfina em camundongos. A imunodeficiência pode reduzir o efeito de analgésicos opioides

    Eduardo Lima Wândega

    10 A associação entre diabetes e a intensidade da dor em pacientes com osteoartrite de joelho. A dor da osteoartrite é mais severa nos diabéticos

    Vívian Oliveira Souza

  • Dol 237
    v. 1 n. 237 (20)

    DOL – Dor OnLine

     EDIÇÃO 237

     Caros leitores do Boletim Dor on line, este mês trazemos um editorial sobre o tratamento da lombalgia com exercícios físicos. Além disse, esta edição traz alertas na seção de Divulgação Científica tratando de vários aspectos da dor, desde recém-nascidos ao medo e sugestão...Na nossa seção de Ciência e Tecnologia, temos uma nova opção de tatamento para a doença de Gaucher, o efeito do exercício na dor, a ação de receptores opioides na etnia e um modelo experimental mostrando a ação analgésica de canabinoides. Boa leitura!

    EDITORIAL DO MÊS

    O EXERCÍCIO FÍSICO NO TRATAMENTO DA DOR LOMBAR CRÔNICA

    Poliana Alves de Oliveira, Wagner Rodrigues Martins, Yara Andrade Marques, Rodrigo Luís Carregaro

    Divulgação Científica

     1 Realização da caracterização e percepção da dor em recém-nascidos por fisioterapeutas. A percepção dolorosa em recém-nascidos

    Ivanete de Freitas Lisboa

    2 Como os estereótipos afetam a dor? O poder da sugestão e expectativa.

    Vívian Oliveira Souza

    Cristiane Flora Villarreal

    3 Hipnose altera o funcionamento do encéfalo para induzir analgesia. Agora você sente dor... E agora não sente mais!

    Pedro Santana Sales Lauria

    4 Entenda como o medo pode influenciar a sua percepção da dor. Mais uma maneira de alterar a percepção dolorosa

    Pedro Santana Sales Lauria

    5 Analgesia sem esforço? O uso de plataformas vibratórias no alívio da dor.

    Luíza Carolina França Opretzka

     

    Ciência e Tecnologia

    6 Ambroxol: o medicamento mucolítico que pode aliviar a dor refratária na doença de Gaucher- Nova opção farmacológica

    Luíza Carolina França Opretzka

    7 Exercício físico tem efeito analgésico. Tudo depende da dose!

    Cristiane Flora Villarreal

    8 O impacto da qualidade do sono sobre a experiência dolorosa. Melhorar a qualidade do sono como abordagem terapêutica da dor

    Cristiane Flora Villarreal

    9 O possível envolvimento de receptores µ-opioides nas diferenças de processamento da dor associadas à etnia. Fatores biológicos, além dos psicossociais afetam a função dos receptores µ-opioides

    Afrânio Ferreira Evangel

    10 Canabinoides consumidos oralmente diminuem a alodinia em modelo animal de dor neuropática. Tratamento com canabinoides poderiam ser alternativa aos opioides na dor crônica

    Arthur Alves Coelho

  • Dol 236
    v. 1 n. 236 (20)

    DOL – Dor OnLine

     EDIÇÃO 236

     Caros leitores, esse mês pandêmico traz uma edição do Boletim Dor on line com um editorial tratando do mecanismo de ação da Dipirona, aliado analgésico em nossa batalha para o gerenciamento da dor. Na seção de Divulgação científica temos o efeito placebo na dor lombar, o sono em soropositivos para HIV e a dor, atividade física para idosos e a dor, um estudo clínico para o paracetamol na dor lombar aguda e anestésicos na periodontite crônica. Na nossa seção de Ciência e Tecnologia, temos alertas tratando de agonistas opioide derivado de fungo e toxinas, o manejo de complicações da doença falciforme, dor intensa no pós-operatório da coluna vertebral e a dependência refratária a opioides. Boa leitura...e fique em casa.

     

    QUAL MECANISMO DE AÇÃO DA DIPIRONA?

     Alexandre Gomes de Macedo Maganin

     

    Divulgação Científica

     1 Efeito placebo auxilia no tratamento de pessoas com dor lombar crônica? Ensaio aberto sobre efeitos do placebo sobre a dor, incapacidade funcional e mobilidade da coluna vertebral

    Fernanda de Souza Silva

    2 Alterações do sono provocadas pela dor neuropática em pacientes com o vírus da imunodeficiência humana (AIDS). A influência da dor crônica em pacientes com HIV na qualidade do sono

    Tales Henrique Andrade da Mota

    3 Atividade física e dores crônicas em idosos. Maior volume de atividade física diminui percepção de dor em idosas

    Mateus Medeiros Leite

    4 Estudo comprova que o paracetamol é ineficiente para aliviar a dor lombar aguda. Paracetamol tem eficácia comparada ao placebo

    Júlia Eduarda Batista de Almeida

     5 Anestésicos não invasivos no tratamento da periodontite crônica. O uso de anestésicos não invasivos em indivíduos com periodontite crônica

    Ketley Paiva Cabral

     

    Ciência e Tecnologia

    6 Uma classe de tetrapeptídeos de analgésicos tendenciosos de um fungo australiano tem como alvo o receptor μ-opioide. Proteínas de fungos para a dor?

    Bruno Rocha Delfino

    7 O possível efeito de um veneno sob receptores opioides. Venenos podem ter efeito analgésico

    Ivanete de Freitas Lisboa

    8 Complicações da Doença Falciforme e o acesso aos serviços de emergência de saúde. Manejo do priaprismo nos serviços de saúde e o impacto na vida dos indivíduos

    Poliana Alves de Oliveira

    9 Fatores de risco para a dor intensa após cirurgia de coluna vertebral. Óxido nitroso aumenta o risco de dor pós-operatória intensa em cirurgia de coluna vertebral?

    Thaise Loyanne Felix Dias

    10 Dependência refratária de analgésicos opioides. A dependência de opioides deve receber seu próprio diagnóstico?

    Aryanne Faustino Albernaz

  • Dol 235
    v. 1 n. 235 (20)

    DOL – Dor OnLine

     EDIÇÃO 235

     Caros leitores do Boletim Dor on line este mês temos um editorial tratando do gerenciamento da dor em crianças com o auxílio da tecnologia da informação e conectividade digital. Na nossa seção de Divulgação Científica temos alertas sobre o Botox como tratamento de dor refratária, suplementação de vitaminas e neuropatia diabética, o efeito da dor na concentração e memória, um aplicativo para traduzir o choro de dor em bebês, e modulação do efeito nocebo.

    Na seção de Ciência e Tecnologia temos alertas tratando de analgesia periférica de endocanabinoides pela ativação de canais de potássio, um estudo morfológico funcional da neuropatia periférica, a analgesia por música e a fibromialgia, e um modelo experimental de ansiedade e neuropatia.

    EDITORIAL DO MÊS

    O uso de tecnologias como estratégia para o controle da dor em crianças

    Isabella Cristina Severina

    Yuri Gustavo de Sousa Barbalho

    Marina Morato Stival

    Silvana Schwerz Funghetto

    Divulgação Científica

     1 Tratamento da dor. Botox, da Estética ao tratamento da dor refratária

    John Lenon Silva da Costa

     

    2 A Vitamina D na neuropatia diabética. Quando suplementar?

    Luíza Carolina França Opretzka

     

    3 Dor crônica e processos mentais. A dor aguda pode atrapalhar a concentração e a memória

    Eduardo Lima Wândega

    Pedro Santana Sales Lauria

     

    4 É choro de dor?  Aplicativo ajuda a entender porque os bebês choram

    Rafael Lima de Santana

    Pedro Santana Sales Lauria

     

    5 Diminuição e aumento da dor associada a efeito nocebo na hiperalgesia. Modulação da dor por meio de induções sensoriais

    Rafael C. Campos de Jesus

     

    Ciência e Tecnologia

     6 As células da glia participam em alterações corticais induzidas por ligação percial do nervo infraorbital. O pré-tratamento com minociclina na dor neuropática

    Erika Ivanna Araya Pallarés

     

    7 Dor crônica e endocanabinoides. A analgesia periférica induzida por endocanabinoides depende da ativação de canais BK

    Larissa Fernanda Matias Werworn

     

    8 A Estrutura e Função dos nervos periféricos influenciam na dor neuropática. As mudanças estruturais podem contribuir para dor neuropática?

    Ivanete de Freitas Lisboa

     

    9 Conexões neurais na analgesia induzida por música em pacientes com fibromialgia. Música modula conexão entre estruturas encefálicas envolvidas na percepção da dor

    Laura Colete Cunha

     

    10 Dor neuropática gera comportamento de ansiedade em camundongos. Resultados são consistentes com níveis de ansiedade em pacientes com neuropatia diabética

    Arthur Alves Coelho

  • Dol 234
    v. 1 n. 234 (20)

    DOL – Dor OnLine

     EDIÇÃO 234

    Aos leitores do Boletim Dor on line, um feliz 2020. Nesta nossa primeira edição do ano trazemos a vocês um editorial tratando da dor da fibromialgia e sua terapêutica. Na nossa seção de Divulgação científica, alertas tratando do tabagismo na dor crônica, tecnologia no gerenciamento da dor, treinamento de médicos na avaliação da dor, assim como a avaliação da dor em pacientes críticos e a influência da atenção e foco na dor crônica. Na nossa seção de Ciência e Tecnologia, trazemos alertas sobre o sistema linfático e a interface neuroimune da dor, a identificação de um gene relacionado a um tipo de osteomielite, a previsão de sensibilidade da dor por oscilaçãoes gama e a estimulação transcraniana nas disfunções temporomandibulares. Boa leitura.

     

    EDITORIAL DO MÊS

     FIBROMIALGIA: A DOR QUE ANDA E NINGUÉM VÊ E SUAS CONSEQUÊNCIAS

    DÉBORAH HEVELYN DE ASSIS MACÊDO

    DIÊGO MADUREIRA DE OLIVEIRA

    ELIANA FORTES GRIS

    TALES HENRIQUE ANDRADE DA MOTA

     

    Divulgação Científica

     

    1 Efeitos do tabagismo em pacientes com dor crônica. O cigarro como amigo e vilão da dor

    Giovanna França Alves

     

    2 O uso de uma tecnologia leve voltada a conhecimentos sobre a dor crônica: mecanismo, crenças, atitudes e controle. Cartilha educativa válida para melhor entendimento da dor crônica

    Yuri Gustavo de Sousa Barbalho

     

    3 Pacientes críticos têm avaliação e controle da dor subestimada. Mesmo em uso de sedação e analgesia, pacientes continuam sentindo dor durante procedimentos

    Isabella Cristina Severina

     

    4 O aprimoramento da perspectiva do médico melhora o atendimento de pacientes vulneráveis? Ambientes simulados como ferramenta para avaliar vieses de raça e status socioeconômico no tratamento da dor.

    Ana Patrícia de L. Rodrigues

     

    5 A influência dos estímulos visuais na percepção da dor crônica. O foco de atenção pode interferir na dor crônica?

    Ketley Paiva Cabral

     

    Ciência e Tecnologia

     

    6 Vasos linfáticos presentes na coluna vertebral contribuem para interface neuroimune da dor e inflamação. Rede linfática liga o sistema nervoso periférico ao central

    Alexandre Hashimoto Pereira Lopes

     

    7 Fgr: o gene que pode ser o causador da Osteomielite Crônica Multifocal Recorrente.

    Robson Felipe de Queiroz

     

    8 As oscilações gama induzidas por laser preveem a sensibilidade a dor em indivíduos. Estudo evidencia a variabilidade da dor em indivíduos e em roedores

    Larissa Barros Freire

     

    9 Dor? A culpa pode ser da testosterona.

    Luíza Carolina França Por

     

    10 Estimulação transcraniana em indivíduos com disfunções temporomandibulares. Estimulação pode promover redução da dor e do quadro de ansiedade.

    Yara Andrade Marques

  • Dol 234
    v. 1 n. 234 (20)

    DOL – Dor OnLine

     EDIÇÃO 234

    Aos leitores do Boletim Dor on line, um feliz 2020. Nesta nossa primeira edição do ano trazemos a vocês um editorial tratando da dor da fibromialgia e sua terapêutica. Na nossa seção de Divulgação científica, alertas tratando do tabagismo na dor crônica, tecnologia no gerenciamento da dor, treinamento de médicos na avaliação da dor, assim como a avaliação da dor em pacientes críticos e a influência da atenção e foco na dor crônica. Na nossa seção de Ciência e Tecnologia, trazemos alertas sobre o sistema linfático e a interface neuroimune da dor, a identificação de um gene relacionado a um tipo de osteomielite, a previsão de sensibilidade da dor por oscilaçãoes gama e a estimulação transcraniana nas disfunções temporomandibulares. Boa leitura.

     

    EDITORIAL DO MÊS

     

    FIBROMIALGIA: A DOR QUE ANDA E NINGUÉM VÊ E SUAS CONSEQUÊNCIAS

    DÉBORAH HEVELYN DE ASSIS MACÊDO

    DIÊGO MADUREIRA DE OLIVEIRA

    ELIANA FORTES GRIS

    TALES HENRIQUE ANDRADE DA MOTA

     

    Divulgação Científica

     

    1 Efeitos do tabagismo em pacientes com dor crônica. O cigarro como amigo e vilão da dor

    Giovanna França Alves

     

    2 O uso de uma tecnologia leve voltada a conhecimentos sobre a dor crônica: mecanismo, crenças, atitudes e controle. Cartilha educativa válida para melhor entendimento da dor crônica

    Yuri Gustavo de Sousa Barbalho

     

    3 Pacientes críticos têm avaliação e controle da dor subestimada. Mesmo em uso de sedação e analgesia, pacientes continuam sentindo dor durante procedimentos

    Isabella Cristina Severina

     

    4 O aprimoramento da perspectiva do médico melhora o atendimento de pacientes vulneráveis? Ambientes simulados como ferramenta para avaliar vieses de raça e status socioeconômico no tratamento da dor.

    Ana Patrícia de L. Rodrigues

     

    5 A influência dos estímulos visuais na percepção da dor crônica. O foco de atenção pode interferir na dor crônica?

    Ketley Paiva Cabral

     

    Ciência e Tecnologia

     

    6 Vasos linfáticos presentes na coluna vertebral contribuem para interface neuroimune da dor e inflamação. Rede linfática liga o sistema nervoso periférico ao central

    Alexandre Hashimoto Pereira Lopes

     

    7 Fgr: o gene que pode ser o causador da Osteomielite Crônica Multifocal Recorrente.

    Robson Felipe de Queiroz

     

    8 As oscilações gama induzidas por laser preveem a sensibilidade a dor em indivíduos. Estudo evidencia a variabilidade da dor em indivíduos e em roedores

    Larissa Barros Freire

     

    9 Dor? A culpa pode ser da testosterona.

    Luíza Carolina França Por

     

    10 Estimulação transcraniana em indivíduos com disfunções temporomandibulares. Estimulação pode promover redução da dor e do quadro de ansiedade.

    Yara Andrade Marques

  • Dol 233
    v. 1 n. 233 (20)

    DOL – Dor OnLine

     

    EDIÇÃO 233

     

    Caros leitores do Boletim Dor, este mês têm um editorial sobre produtos naturais para o tratamento da dor. Além disso, temos também um conjunto de alertas sobre trabalhos científicos apresentados no 51ºCongresso Brasileiro de Farmacologia e Terapêutica Experimental, realizado em Maceió, Alagoas, de 24 a 27 de setembro de 2019. Boa Leitura

     

    EDITORIAL DO MÊS

     

    Produtos Naturais Derivados de Plantas: fonte de substâncias bioativas para novos tratamentos da dor

    Aryanne Albernaz

    Mariane Aparecida da Silva Marques

    Mani Indiana Funez

     

    Alertas

    1 Substâncias analgésicas clássicas induzem efeitos antinociceptivos térmicos em larvas de Drosophila melanogaster.

    Ieda Regina dos Santos

     

    2 Antagonista do canal TRPVA1 reduz a nocicepção e a inflamação em um modelo de queimadura induzida por radiação ultravioleta B em camundongos

    Miriam das Dores Mendes Fonseca

     

    3 HUF-101, um análogo do canabidiol, previne a alodinia mecânica e térmica no modelo de dor neuropática periférica induzida por quimioterapia

    Miriam das Dores Mendes Fonseca

     

    4 Neurotoxicidade induzida pela cisplatina em gânglios da raiz dorsal: efeitos neuroprotetores da rosiglitazona

    Miriam das Dores Mendes Fonseca

     

    5 A ativação de receptores canabinóides inibe o desenvolvimento de neurotoxicidade associada à oxaliplatina em camundongos.

    Miriam das Dores Mendes Fonseca

     

    6 Aumento de quinurenina 3-monooxigenase nos astrócitos da medula espinhal medeia a manutenção da dor neuropática

    Miriam das Dores Mendes Fonseca

     

    7 O canabidiol é um tratamento promissor para a dor crônica: efeitos ansiolíticos e analgésicos em modelo animal de lesão por constrição crônica (ICC), modulação via receptores CB1 e TRPV1.

    Alexandre Gomes de Macedo Maganin

     

    8 Os receptores dopamina D1 e D2 medeiam a antinocicepção induzida por neuropeptídeo s no teste de formalina de camundongo.

    Alexandre Gomes de Macedo Maganin

     

    9 Papel dos receptores das cicinas na dor e depressão induzida por reserpina

    Gabriel Victor Lucena da Silva

     

    10 Envolvimento da Cav2.3 espinal na hiperalgesia secundaria induzida por capsaicina

    Gabriel Victor Lucena da Silva

     

    11 Efeito antinociceptivo de antioxidantes em modelo animal de neuropatia periférica induzido por oxaliplatina está associado com redução do estresse oxidativo e inflamação espinhal.

    Gabriel Victor Lucena da Silva

     

    12 Aumento da atividade de neurônios e células da glia após hiperalgesia induzido por plaquetas mecanismo dependente dos receptores purinérgicos P2X7.

    Alexandre Hashimoto Pereira Lopes

     

  • Dol 232
    v. 1 n. 232 (20)

    DOL – Dor OnLine

     

    EDIÇÃO 232

     

    Caros Leitores, esta nossa edição de Novembro de 2019 traz a vocês um editorial sobre a dor e a Febre Chikungunya. Na seção de Divulgação Científica, temos alertas sobre dor crônica e sua relação com o sono, assim como tratamentos complementares para ela. Temos também um alerta sobre a formação de profissionais da saúde em dor, a dor na síndrome de Parkinson e o efeito analgésico do conforto do próximo. Na nossa seção de Ciência e Tecnologia temos alertas sobre a sinalização TrkA e reparo ósseo, mecanismos centrais da depressão da dor, novos dados clínicos do tratamento da gota por biofármacos, e a relação da depressão e ansiedade na dor mediada por endocanabiniodes...Boa Leitura!

     

    EDITORIAL DO MÊS

     

    CHIKUNGUNYA: A DOENCA SINÔNIMO DE DOR

    Conceição Elidianne Aníbal Silva

     

    Divulgação Científica

     

    1 Alterações do sono provocadas pela dor neuropática em pacientes com o vírus da imunodeficiência humana (AIDS). A influência da dor crônica em pacientes com HIV na qualidade do sono

    Tales Henrique Andrade da Mota

     

    2 Formação dos acadêmicos de enfermagem e a avaliação da dor. A inserção do estudante de enfermagem na vivência prática é relevante para a aquisição de conhecimento

    Manoela Vieira Gomes da Costa

     

    3 Tratamentos multidisciplinares na dor crônica. Eficácia de um tratamento com foco emocional em pacientes depressivos e ansiosos com dor crônica. 

    Bruno Rocha Delfino

     

    4 Relação entre dor e Parkinson. A relação entre dor parkinsoniana central e sintomas motores na doença de Parkinson

    Camilla Rizzo Nappi

     

    5 Regiões cerebrais envolvidas na redução da dor ao segurar a mão do parceiro (a). Quanto melhor o relacionamento, maior a redução da dor

    Andreza Urba de Quadros

     

    Ciência e Tecnologia

    6  O reparo de fraturas requer a sinalização TrkA por fibras sensitivas esqueléticas. A evidência sugere a influência de nervos sensoriais no reparo ósseo

    Francisco Isaac Fernandes Gomes

     

    7 Um circuito neuronal para sintomas depressivos dependentes da dor crônica. Depressão associada à dor crônica apresenta mecanismos neuronais independentes.

    Erika Ivanna Araya Pallarés

     

    8 Mecanismos envolvidos na liberação de IL1B na gota: implicações clínicas.

    Cássia Regina da Silva

     

    9 O canabidiol e a transmissão serotoninérgica. O canabidiol modula a transmissão serotoninérgica e reverte a alodinia e o comportamento semelhante à ansiedade em um modelo de dor neuropática.

    Bruna Felippe Ferreira

     

    10 Sistema endocanabinoide é envolvido na depressão, recompensa e controle da dor. Endocanabinoides envolvidos no controle da Dor.

    Larissa Menegassi

  • Dol 2231
    v. 1 n. 231 (20)

    DOL – Dor OnLine

     

    EDIÇÃO 231

     

    Caros leitores, em nossa edição de outubro de 2019 o editorial trata de venenos e toxinas animais e sua contribuição para o tratamento da dor. Em nossa seção de Divulgação Científica trazemos alertas sobre a sensação de dor e expectativas sociais, uma meta-análise acerca da eficácia de antidepressivos para tratamento da dor neuropática, a analgesia causada pelo toque em mulheres, opioides e sua relação com uso de heroína nos EUA e um novo alvo para controle da dor pós-operatória em homens. Na nossa seção de Ciência e Tecnologia os alertas tratam de um possível alvo farmacológico para o tratamento da dor na anemia falciforme, um circuito neural para sintomas de depressão presentes na dor crônica, dor trigeminal, processamento doloroso na medula espinal e efeitos benéficos da acupuntura na função cognitiva da dor neuropática. Boa leitura!

     

    EDITORIAL DO MÊS

     

    Veneno ou remédio?

    Entenda como venenos mortais podem ser utilizados no tratamento da dor

    Pedro Santana Sales Lauria

    Cristiane Flora Villarreal

     

    Divulgação Científica

    1 Diferentes estímulos cerebrais medeiam a sensação dolorosa a partir de expectativas sociais e condicionadas. Modulação da dor através da visualização de símbolos.

    Gabriel Victor Lucena da Silva

     

    2 Antidepressivos e dor neuropática. Os antidepressivos podem melhorar sintomas depressivos e a qualidade de vida de pacientes com dor neuropática?

    Larissa Fernanda Matias Werworn

     

    3 Analgesia social induzida pelo toque em mulheres. Dar a mão ao parceiro é capaz de reduzir a dor.

    Giovanna França Alves

     

    4 O uso de altas doses de opioides aumenta o risco de uso de heroína pelos militares dos EUA. Dor e dependência química em militares nos EUA.

    Daniel Souza Lemos

     

    5 Importância do inflamassoma no controle da dor pós-operatória em animais machos. Novo alvo farmacológico para o controle da dor pós-operatória e diferenças sexuais.

    Rafael do Couto Campos de Jesus

     

    Ciência e Tecnologia

     

    6 Parando a PGE2-G na doença falciforme. Novo alvo farmacológico para o tratamento da dor na anemia falciforme.

    Beatriz Adjafre

     

    7 Um circuito neural para sintomas de depressão presentes na dor crônica. Depressão induzida por dor crônica ou por estresse apresentam diferentes circuitos neurais?

    Laura Colete Cunha

    Sabrina Francesca de Souza Lisboa

     

    8 Efeito do BDNF nos canais de Ca2+ do tipo-T em neurônios sensoriais periféricos. Estudo desvenda uma cascata de sinalização celular que contribui para a dor trigeminal.

    Larissa Garcia Pinto

     

    9 Fornecimento aferente primário de alto limiar de neurônios da lâmina espinhal X - características comuns aos neurônios de processamento da dor do corno dorsal superficial da medula espinal. Os neurônios da lâmina X da medula espinal podem processar informações de dor

    Nathália Lis Fernandes Miranda

     

    10 Acupuntura melhora as alterações cognitivas induzidas pela dor neuropática em camundongos. Acupuntura e dor neuropática.

    Alexandre Gomes de Macedo Maganin

  • Dol 230
    v. 1 n. 230 (20)

    DOL – Dor OnLine

     EDIÇÃO 230

     Caros leitores, na nossa edição de sembro de 2019 trazemos um editorial sobre as complicações neuropáticas no Diabetes mellitus. Na nossa seção de Divulgação científica trazemos alertas sobre opioides e a fibromialgia e a insônia, o uso de instrumentos de questionário na avaliação da dor neuropática, o efeito do cortisol na dor visceral, o álcool e a dor e dor pós-cirúrgica. Na nossa seção de Ciência e Tecnologia temos alertas sobre uma nova via de sinalização importante para a produção de PGE2 em leucócitos, a influencia do receptor TRL4 na dor da gota, o papel do receptor P2Y14 na glia, a influência da IL-6 em canis CV1.4 e a relação entre a catepsina E na dor da esclerose múltipla. Boa leitura.

    EDITORIAL DO MÊS

     Diabetes mellitus e suas complicações neuropáticas

    Atlante Silva Mendes

     Divulgação Científica

    Uso de opioides, intensidade da dor, idade e arquitetura do sono em pacientes com fibromialgia e insônia. O uso de opioides em pacientes com fibromialgia é maléfico ao sono?

    Júlia Maia L. Rodrigues

     A utilidade da combinação dos resultados dos questionários de avaliação da dor neuropática com o Teste Sensorial Quantitativo. O uso de questionários como instrumento no tratamento da dor neuropática

    Ketley Paiva Cabral

     Efeitos do cortisol sobre a dor visceral e somática na sensibilidade e medo relacionada à dor entre homens e mulheres. Aumento do cortisol diminui dor visceral

    Ivanete de Freitas Lisboa

     Efeitos do álcool na modulação condicionada da dor. O consumo de álcool diminui a dor pela sua influência emocional?

    Ana Patrícia de L. Rodrigues

    Lembrando da dor da cirurgia um ano depois: Ansiedade no desenvolvimento da memória da dor na criança

    Fernanda de Souza Silva

     Ciência e Tecnologia

     A sinalização da via IRE1a – XBP1 em leucócitos controla a biossíntese de prostaglandina e dor. A via envolvida na biossíntese de prostaglandina em leucócitos e um potencial alvo para o controle da dor

    Miriam das Dores Mendes Fonseca

     Liberação da interleucina-1 depende da ativação do receptor Toll-like 4. Um passo a mais no entendimento da artrite gotosa

    Cássia Regina da Silva

     O receptor P2Y14 está expresso em células satélites gliais. O receptor P2Y14 medeia a secreção de interleucina-1β e quimiocina CCL2

    Erika Ivanna Araya Pallarés

     A IL-6 diminui a expressão do canal de potássio KV1.4 em nociceptores em um modelo da síndrome de vibração mão-braço. Via de sinalização da IL-6 como potencial terapêutico para o tratamento de síndrome

    Aryanne Faustino Albernaz

     Catepsina E em neutrófilos e dor na esclerose múltipla. Modelo experimental mostra papel na dor da MS

    Isaac Fernandes

  • Dol 229
    v. 1 n. 229 (20)

    DOL – Dor OnLine

     EDIÇÃO 229

     Este mês é especial. Temos o prazer de entrar no vigésimo ano de nosso Boletim mensal sobre o Estudo da Dor. Nosso editorial trata deste tema e em nossa seção de divulgação científica temos alertas tratando do entendimento de como a dor se inicia no sistema nervoso periférico, microbiota intestinal e a fibromialgia, estudos de imagem na dor da Gota, a prevalência da dor crônica de uma Universidade brasileira e a personalidade e a dor no diabetes e câncer. Além disso, em nossa seção de Ciência e Tecnologia, temos alertas tratando de avanços no diagnóstico da osteoartrite, o papel imunológico na melhora da dor neuropática, o papel de células GABAérgicas neste tipo de dor e um novo trabalho sobre o canal Nav1.7 e seu bloqueio na dor.

     

    EDITORIAL DO MÊS

     Iniciando nosso ano 20!

     Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento e Mani Indiana Funez

     Divulgação Científica

     Células cutâneas especializadas de Schwann iniciam dor. Uma nova população celular responsiva a estímulos nociceptivos é descoberta.

    Francisco Isaac Fernandes Gomes

     Bactérias intestinais contribuem para o desenvolvimento da dor crônica. A relação da microbiota intestinal com a Fibromialgia

    Alexandre Hashimoto Pereira Lopes

     Entendendo a dor da Gota. Exames de imagem possibilitam entender a percepção desta dor

    Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento

     Dor na Universidade. Estudo mostra a prevalência de dor crônica em uma Instituição de Ensino Superior brasileira.

    Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento

     A ligação entre as dimensões da personalidade e a percepção da dor em pacientes com diabetes mellitus ou câncer. Fatores psicológicos são fortes influenciadores para o aumento da dor

    Mariane Aparecida da Silva Marques

     Ciência e Tecnologia

    Avanços na busca por novos biomarcadores para o diagnóstico e conduta clínica da osteoartrite. Osteoartrite e Dor: A busca por Biomarcadores

    Conceição Elidianne Aníbal Silva

     Células T reguladoras medeiam melhoria da dor neuropática pela ativação via TNFR2. Ação do sistema imune na melhora da dor neuropática.

    Alexandre Hashimoto Pereira Lopes

     Células GABAérgicas e dor neuropática. Transplantes de células GABAérgicas no córtex rostral anterior reduzem a aversão à dor neuropática

    Alexandre Gomes de Macedo Maganin

     O controle da dor neuropática por leucócitos presentes nas fronteiras do sistema nervoso central. Outro exemplo do sistema imune na melhora da dor neuropática.

    Rafaela Mano Guimarães

     Canal de sódio Nav1.7 é ainda um bom alvo terapêutico para o alivio da dor? Os fracassos nos testes clínicos colocam em duvida o potencial dos bloqueadores Nav1.7 como bons analgésicos.

    Larissa Garcia Pinto

  • Dol 228
    v. 1 n. 228 (19)

    Caros leitores do nosso boletim mensal sobre Dor, este mês trazemos um resumo sobre a participação de canais iônicos Nav, sumarizando os últimos editais que temos publicado nestes meses. Na nossa seção de Divulgação Científica trazemos alertas sobre preditores de dor crônica, uma nova formulação de Ioxoprofeno, sono e dor crônica, ações do World Physical Therapy Day e dor crônica, dor facial e bloqueio de nervos na dor pós-amputação. Na seção de Ciência e Tecnologia temos alertas sobre hemicontusão cervical em modelo animal com pregabalina, conectividade somatotópica e saliência, resposta dimórfica sexual do CGRP dural e plasticidade no conectomo dinâmico e ação da cetamina. Boa leitura!

    EDITORIAL DO MÊS

    Canais Nav: uma breve revisão

    Andreza Urba de Quadros

    Divulgação Científica

    Uso de analgésicos em adultos jovens como preditor da prevalência da dor e utilização de serviços de saúde. Preditores de dor crônica

    Thaise Loyanne Felix Dias

    Eficácia e segurança do adesivo tópico de loxoprofeno. Uma alternativa para os efeitos adversos AINES

    Aryanne Faustino Albernaz

    A hora de dormir é importante entre pacientes com dor crônica? O horário de dormir pode influenciar na redução da dor

    Ivanete de Freitas Lisboa

    Dor Crônica: World Physical Therapy Day no dia 09/07/2019. A dor crônica é um fator significante de saúde global

    Kênia Fonseca Pires

    A seletividade anatômica na sobreposição de dores crônicas faciais e corporais. Quais são as outras regiões do corpo em que as pessoas com dor facial crônica sentem dor?

    Rafaela Gomes Portela.

    O bloqueio de nervos periféricos como tratamento para dor pós-amputação. Um estudo clínico.

    Raquel Pereira de Souza

    Ciência e Tecnologia

    Tratamento de hemicontusão cervical em modelo animal com pregabalina. A administração precoce de pregabalina auxilia na manutenção da força motora.

    Giovanna França Alves

    Conectividade específica somatotópica do córtex somatossensorial primário e as redes de saliência na codificação da clínica da dor. Como interpretamos a importância da experiência da dor influencia a dor crônica?

    Kênia Fonseca Pires

    O CGRP produz respostas específicas em fêmeas em modelo de migrânea. Resposta dimórfica sexual do CGRP dural

    sexual desse distúrbio neurológico.

    Erika Ivanna Araya Pallarés

    Plasticidade no conectomo dinâmico da dor associado com cetamina para induzir alívio da dor neuropática. Melhor efeito terapêutico e funcionamento do sistema nervoso entre os pacientes

    Júlia Maia

  • Dol 227
    v. 1 n. 227 (19)

    DOL – Dor OnLine

     Caros leitores de nosso Boletim, esta edição do mês de junho apresenta um editorial sobre o canal de sódio Nav1.9 e seu papel na dor. Além disso, em nossa seção de Divulgação científica apresentamos alertas tratando sobre tratamentos para lombalgia, dor pélvica urológica, a dor na gota, técnicas de anestesia cirúrgica e a inclusão da dor crônica na nova Classificação Internacional de Doenças. Na seção de ciência e tecnologia apresentamos alertas tratando de interações imunes de quimioterápicos na neuropatia periférica, novos avanços no entendimento da alodinia mecânica por optogenética, uma interação do canal TRPV1 com a internalização de receptores opioides e o papel do canal Nav1.7 na dor. Boa Leitura.

     Editorial do mês:

     Nav 1.9 Canal de Sódio Voltagem Dependente do Sistema Nervoso Periférico: Um importante mecanismo da regulação da excitabilidade neuronal

     Mariane Aparecida da Silva Marques

    Mani Indiana Funez

    Divulgação Científica

    Estímulo da medula espinhal em dor nas costas predominante na síndrome de cirurgia dorsal falhada. O estímulo é um diferencial no tratamento de lombalgia pós cirúrgica?

    Mariane Pereira Matos

     Avaliação da sensibilidade à dor à pressão não pélvica na Síndrome da Dor Pélvica Crônica Urológica. Qual o papel do sistema nervoso central?

    Ana Patrícia de L. Rodrigues

     Desenvolvimento e validação de um novo escore capaz de predizer a intensidade de ataque agudo de gota relatado pelo paciente para uso em estudos clínicos da doença. Otimizando o tratamento do ataque agudo de gota com a ajuda do paciente

    Cássia Regina da Silva

     Comparação de técnicas anestésicas na recuperação da cirurgia ortopédica. Controle da dor pós-operatória: Anestesia geral versus regional

    Thaise Loyanne Felix Dias

    Inclusão de dor crônica na nova Classificação Internacional de Doenças. CID-11: Avanços no diagnóstico da dor crônica

    Thaise Loyanne Felix Dias

     Ciência e Tecnologia

    Cisplatina educa células TCD8+ para prevenir e resolver neuropatia periférica induzida por quimioterapia. Opção de terapia para dor neuropática induzida por quimioterápicos?

    Júlia Maia L. Rodrigues

    Ativação de mecanoceptores A-beta de baixo limiar de ativação Vglut1+ e alodinia mecânica. A contribuição na neuropatia periférica.

    Francisco Isaac Fernandes Gomes

     Canal iônico TRPV1 induz analgesia opioide durante inflamação. Uma desregulação da via de sinalização TRPV1- β-arrestina 2 pode contribuir para transição da dor aguda para crônica

    Larissa Garcia Pinto

     O papel do canal Nav1.7 na dor em humanos. Validando um alvo geneticamente identificado

    Andreza Urba

     

  • Dol 226
    v. 1 n. 226 (19)

    EDIÇÃO 226

     Caro leitor, este mês, em nosso boletim mensal traz um editorial sobre os desafios no tratamento da endometriose e no gerenciamento da dor associada a este quadro. Na seção de Divulgação Científica trazemos alertas sobre analgesia endógena em crianças, tratamentos alternativos aos opioides, a relação da cafeína e dor, e intervenções psicológicas para o manejo da dor. Na nossa seção de Ciência e Tecnologia temos alertas sobre resultados clínicos de uma terapia para endometriose, a ação de quinases na plasticidade neuronial, o uso de hipotermia para o tratamento da neuropatia de quimioterápicos, biomarcadores para o diagnóstico da dor e um canal de sódio na percepção do frio. Boa leitura!

     EDITORIAL DO MÊS

    Endometriose e os desafios para o seu tratamento

    Miriam das Dores Mendes Fonseca

     

    Divulgação Científica

    Modulação endógena da dor em crianças com distúrbios funcionais da dor abdominal. Crianças, de ambos os sexos, com dor abdominal crônica tem analgesia endógena menos eficiente.

    Rafaela Gomes Portela

    Tempo de mudança: uma investigação experimental da dor crônica em pacientes, respostas emocionais e atitudinais a simulação de conselho para diminuir uso de opioides.

    Júlia Maia L. Rodrigues

    Maior consumo de cafeína está relacionado à menor sensibilidade à dor. Pausa para um cafezinho

    Ieda Regina dos Santos

    Uma breve intervenção psicológica pode melhorar a dor pós-operatória? A melhora da expectativa do paciente sobre o tratamento pode contribuir para o manejo da dor pós-operatória

    Raquel Pereira de Souza

    O paciente visto além da dor. A prática do modelo biopsicossocial ainda é um desafio

    Letícia Menezes Rodrigues

     

    Ciência e Tecnologia

    Resultados a Longo Prazo do Elagolix em mulheres com endometriose. Novo tratamento para endometriose

    Alexandre Gomes de Macedo Maganin

    PKC lambda medeia plasticidade da sinapse cortical e a dor inflamatória dependente do canal iônico (ASIC1a). Possibilidades de desenvolvimento farmacêutico

    Alexandre Hashimoto Pereira Lopes

    Hipotermia e dor neuropática. Uma intervenção simples pode ser a solução para a neuropatia periférica induzida por quimioterápicos

    Lisa Oliveira

    Biomarcadores para diagnóstico da dor. Novos avanços em medicina de precisão

    Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento

    O papel de Nav1.8 no reconhecimento de estímulos frios. Uma caracterização in vivo

    Andreza Urba de Quadros

  • Dol 225
    v. 1 n. 225 (19)

    DOL – Dor OnLine

     EDIÇÃO 225

     Olá leitores de nosso boletim mensal de divulgação científica sobre o Dor. Esta edição de abril de 2019 traz um editorial tratando da ação anual da Associação Internacional para o Estudo da Dor (IASP), que nesta edição trata da luta contra a dor em populações com vulnerabilidade. Além disso, temos alertas na nossa seção de divulgação científica tratando do protocolo clínico para a artrite reumatoide, uso de analgésicos no pós-operatório imediato, a influencia da ansiedades e astrócitos na dor da osteoartrite, o uso da cetamina na dor e diferenças de gênero na dor neuropática. Além disso, trazemos em nossa seção de Ciência e Tecnologia, alertas sobre novas tecnologias para o tratamento de uma polineuropatia rara, a influencia de genes na dor após mastectomias, a relação da dor de picadas de escorpião e a ativação de receptores P2X7 medulares, a participação de endocanabinoides na dor crônica e a função sensorial ao fril de diferentes tipos de neurônios. Boa Leitura.

     

    EDITORIAL DO MÊS

     ANO GLOBAL DA IASP 2019 CONTRA A DOR NOS MAIS VULNERÁVEIS: UMA CHAMADA EMERGENCIAL

    Kênia Fonseca Pires

     

    Divulgação Científica

    Elaboração de protocolo clínico para a artrite reumatoide. Artrite reumatóide: identificação precoce e tratamento oportuno.

    Thaise Loyanne Felix Dias

     Avaliação da dor na Sala de Recuperação Pós-Anestésica (SRPA). Uso de analgésicos em pós-operatório imediato

    Thaise Loyanne Felix Dias

    A influência da ansiedade e dos Astrócitos na dor musculoesquelética da Osteoartrite. Ansiedade modula ativação de astrócitos e a dor na Osteoartrite

    Giovanna França Alves

     Diretrizes para o uso de cetamina na dor. Uso de cetamina para dor aguda e crônica

    Ieda Regina dos Santos

    Diferença no desenvolimento da dor neuropática entre os sexos. Mulheres apresentam maior suceptibilidade à dor na infeccção pelo HIV-1

    Conceição Elidianne Anibal Silva

     

    Ciência e Tecnologia

    Novas tecnologias para o tratamento da Polineuropatia Amiloidótica Familiar associada à Transtirretina (PAF-TTR). Novos potenciais tratamentos para tipo raro de polineuropatia

    Thaise Loyanne Felix Dias

     Polimorfismos do CACNG2 associam-se a dor após mastectomia. A influência de fatores genéticos no fenótipo de dor crônica pós cirúrgica

    Mariane Pereira Matos

     Receptores P2X7 contribuem na ativação microglial na dor induzida por BmKI. Veneno de escorpião induz dor inflamatória.

    Erika Ivanna Araya Pallarés

    Endocanabinoides: Potencial para medicamentos no tratamento da dor crônica?

    Thaise Loyanne Felix Dias

    Papel distinto dos neurônios sensoriais na detecção do frio. Neurônios Nav1.8(-) são importantes na detecção do frio ambiental agudo enquanto o frio extremo prolongado ativa neurônios Nav1.8(+) no GRD de camundongos

    Larissa Garcia Pinto

  • Dol 224
    v. 1 n. 224 (19)

    DOL – Dor OnLine

     EDIÇÃO 224

     Caros leitores, nesta edição de março de 2019 temos um compreensivo edital sobre o canal iônico Nav1.8. Temos em nossa seção de Divulgação Científica alertas tratando de cremes tópicos para a dor, o uso de opioides e mortalidade em condições crônicas, a avaliação da dor em pacientes com deficiência e a educação em dor para culturas específicas. Na nossa seção de Ciência e Tecnologia temos alertas sobre o papel do sistema imune na dor neuropática, a biossíntese em leveduras de canabinoides, um novo inibidor do canal Cav3.2, a conectividade do neurônio e glia na dor e a dor nas costas e alterações morfoanatômicas na coluna vertebral...Boa Leitura!

     EDITORIAL DO MÊS

     Nav. 1.8

    Andreza Urba de Quadros

     ALERTAS

     Divulgação Científica

    1. Terapia com creme tópico para tratamento da dor não tem efeito. Cremes para tratamento da dor com alto custo e pouco eficientes

    Alexandre Hashimoto Pereira Lopes

     2. Associação do tramadol com as causas de mortalidade em pacientes com osteoartrite. Uso do tramadol e associação com mortalidade

    Alexandre Gomes de Macedo Maganin

     3. Avaliação da dor na demência avançada. Artigo demonstra dificuldade de avaliar e tratar a dor em pessoas com demência avançada

    Fernanda de Souza Silva

     4. Educação em Dor em diferentes culturas. Adequando a cada realidade cultural

    Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento

    Ciência e Tecnologia

    5. Células Naturais Degeneram aferentes Sensitivos. Células assassinas naturais

    Cássia Regina da Silva

     6. Biossíntese completa de canabinoides e seus análogos não naturais em leveduras. Cepas de leveduras são capazes de sintetizar principais canabinoides

    Mariane Aparecida Da Silva Marques

     7. Inibição de canais de cálcio CaV3.2: um novo alvo terapêutico para a hipersensibilidade do cólon.

    Francisco Isaac Fernandes Gomes

    8. Neurônios e células satélites: mais conectados na dor

    Pedro Antônio Alves Vieira e Rangel Leal Silva

    9. Associações entre dor nas costas na idade adulta e a forma da coluna na velhice. A forma de sua coluna pode te dizer mais do que você imagina...

    Graziele Carolina Zanata e Rangel Leal Silva

  • Dol 223
    v. 1 n. 223 (19)

     

    EDIÇÃO 223

    Caros leitores do Boletim Dor On Line, esta edição de fevereiro de 2019 vem com a retomada dos editoriais temáticos, tratando do canal Nav 1.7 e o seu papel na dor. Além disso, trazemos em nossa seção de Divulgação Científica alertas sobre a educação em dor, uma nova via analgésica, a relação da dor e ansiedade e o tratamento do câncer e a dor. Na nossa seção de Ciência e Tecnologia trazemos alertas sobre diferentes tipos de nociceptores na dor neuropática, a ativação glial na manutenção de neuropatias, caracterização da ansiedade causada pela capsaicina, diferentes modelos de dor e a expressão gênica e também o componente emocional da dor e seu mecanismo supraespinal. Boa leitura!

    EDITORIAL DO MÊS

     Nav1.7 e dor

     Miriam das Dores Mendes Fonseca

     ALERTAS

     1. 25 anos de pesquisa em educação sobre dor – o que descobrimos? Estudo mostra lacuna no conhecimento de profissionais da saúde sobre a dor

    Thaise Loyanne Felix Dias

     2. O doce e a dor. Demonstração experimental de uma nova via analgésica da dor.

    Paulo Gustavo Barboni Dantas Nascimento

    3. Condições inflamatórias e neuropáticas não evocam comportamentos semelhantes à ansiedade em animais. Correlação entre dor e ansiedade ou depressão

    Francisco Isaac Fernandes Gomes

     4. A regulação de gene presente em neurônios contribui para o desenvolvimento da dor neuropática causada pelo uso de quimioterápico. Perfil de ativação de genes na dor

    Conceição Elidianne Aníbal Silva

    Ciência e Tecnologia 

    5. Eletrofisiologia mostra nociceptores diferentes na dor neuropática. Especializações de nociceptores contribuem para a persistência do quadro doloroso

    Thayná Moreira Gomes Marra

    6.Ativação de astrócitos induzida por ácido lisofosfatídico (LPA) na manutenção da dor neuropática induzida por lesão parcial do nervo ciático. O LPA está associado a iniciação e manutenção da dor neuropática através de mecanismos gliais

    Mariane Aparecida da Silva Marques

     7. A interação de receptores de orexina 1 e canabinoides aumenta a expressão de c-fos na vlPAG. Receptores participam do comportamento do tipo ansioso induzido pela capsaicina.

    Erika Ivanna Araya Pallarés

     8. Neurônios sensoriais apresentam respostas transcricionais distintas em diferentes modelos de dor crônica. Estudo investiga se subconjuntos neuronais são importantes em diferentes condições de dor.

    Larissa Garcia Pinto

     9. Conjunto de neurônios da amigdala codifica a sensação desagradável da dor. Melhor compreensão dos mecanismos envolvidos no componente afetivo da dor

    Larissa Garcia Pinto

  • Dol 222
    v. 1 n. 222 (19)

    DOL – Dor OnLine

     EDIÇÃO 222

     Chamada da Edição

     Leitores do Dor On Line, nossa edição de janeiro de 2019 traz um interessante editorial sobre boas práticas para a experimentação animal. Além disso, selecionamos trabalhos sobre estudos da dor que foram apresentados no 50th Brazilian Congress of Pharmacology and Experimental Therapeutics, ocorrido em Ribeirão Preto, no período de 25 a 28 de setembro de 2018. Boa Leitura!

     EDITORIAL DO MÊS

     Utilização de animais em pesquisa: Iniciativas para promoção do bem-estar animal, aumento na qualidade dos dados e sua reprodutibilidade.

     Adriele Alves Santos

    Thayná Moreira Gomes Marra

    Mani Indiana Funez

     

    ALERTAS

     1 - Antagonismo do receptor tipo 2 para angiotensina como tratamento do ataque agudo de gota.

    Thiago Neves Vieira

     2 - O Receptor de Potencial Transitório Ankirina 1 desempenha um papel crítico em um modelo animal de dor devido a metástase de câncer em camundongos

    Priscilla Dias

     3 - O envolvimento dos receptores P2X3 periféricos na dor muscular aguda, mas não na indução e manutenção da dor muscular crônica.

    Alexandre Hashimoto Pereira Lopes

     4 - Avaliação da eletroacupuntura e exercícios físicos em modelo de monoartrite em ratos

    Alexandre Hashimoto Pereira Lopes

     5 - O efeito antinociceptivo de compostos semi-sintéticos derivados de flores de Moringa oleífera é mediado pelos receptores P2X7 em um modelo pré-clínico de dor na articulação temporomandibular de ratos

    Henrique Ballassini Abdalla

     6 - Avaliação do efeito antinociceptivo da toxina TX3-3 isolada do veneno da aranha Phoneutria nigriventer no modelo de fibromialgia em camundongos

    Dênis Augusto Sant'Anna dos Reis

     7 - Ativação do PPAR-gama modula a diminuição da expressão gênica induzida pela cisplatina em um modelo de Neuropatia Periférica Induzida por Quimioterapia

    Rangel Leal silva

     8 - Investigação do envolvimento do sistema endocanabinoide na antinocicepção induzida por estimulação elétrica nervosa transcutânea

    Andressa Daiane de Carvalho Zaparolli

     9 - Dieta deficiente em zinco aumenta a dor nociceptiva, no entanto reduz a dor inflamatória.

    Conceição Elidianne Anibal Silva

     10 - Análise de vocalização ultra-sônica para o estudo do componente afetivo da dor orofacial aguda e do contágio emocional da dor em ratos

    Erika Ivanna Araya Pallarés

     

  • Dol 221
    v. 1 n. 221 (19)

    DOL – Dor OnLine

     

    EDIÇÃO 221

     

    Chamada da Edição

     

    Olá Leitores do Boletim Dor on line, esta edição de dezembro de 2018 encerra o ano trazendo um editorial da série sobre canais de sódio voltagem dependentes, tratando este mês do Nav 1.5. Além disso, temo alertas tratando de trabalhos apresentados no 17° Congresso Mundial sobre Dor da Associação Internacional para o Estudo da Dor, acorrido em Boston, Estados Unidos nos dias 12 a 16 de setembro de 2018.

    Boa Leitura!

     

    EDITORIAL DO MÊS

     

    Nav 1.5: Principal canal de sódio cardíaco, mas com presença no sistema nervoso

     

    Mariane Aparecida da Silva Marques

    Mani Indiana Funez

     

    ALERTAS

    1 -Título: Um detector de dor baseado em Realidade Aumentada Clínica de Neuroimagem e Inteligência Artificial (CLARAi). Detector clínico de dor baseado em inteligência artificial e neuroimagem

     

    Letícia Ferreira Américo

     

    2 - Título: Tratamento da dor da metástase óssea:  um relato de caso

    Letícia Ferreira Américo

     

    3 - Título: Validação de métodos para avaliar a euforia induzida por opioide em adolescentes. Prevenção de transtorno relacionado ao uso de opioides em adolescentes nos EUA

    Thaise Loyanne Felix Dias

     

    4 -Título: Utilização de questionários preenchidos por pacientes com dor crônica. Predição da classificação da dor crônica

    Thaise Loyanne Felix Dias

     

    5 - Título: Identificação no genoma de possíveis locais de para dor crônica após histerectomia. Descoberta de genes envolvidos com a dor crônica pós-operatória

    Thaise Loyanne Felix Dias

     

    6 – Título: Diferenças de sexo no papel de Pannexin-1 na dor neuropática. Mais um caminho para a personalização do tratamento

    Kênia Fonseca Pires

     

    7- Título: Indução da via cerebral Nrf2-HO-1 e antinocicepção após diferentes paradigmas de treinamento físico em camundongos. Exercício importa

    Kênia Fonseca Pires

     

    8 - Título: Pacientes com Tumor de feridas: avaliação e caracterização da dor oncológica. Feridas tumorais afetam a qualidade de vida em pacientes oncológicos

    Letícia Menezes Rodrigues

     

    9 - Título: A influência do paracetamol na modulação condicionada da dor: exploração de diferença entre os sexos. A eficácia do paracetamol é influenciada pelo sexo?

    Letícia Menezes Rodrigues

     

    10 - Título: Primeira demonstração de fibras nervosas em biópsias musculares humanas e comparação da quantidade em pacientes com e sem dor muscular. Aumento de fibras nervosas em pacientes com distúrbios musculares

    Adriele Alves Santos

     

    11 - Título: Explorando a associação entre diabetes e sintomas osteomusculares crônicos: o estudo ELSA-Brasil osteomusculares (ELSA-Brasil MSK). Relação entre diabetes mellitus, sintomas osteomusculares crônicos e mulheres.

    Adriele Alves Santos

     

    12 - Título: Desenvolvimento de um currículo de humildade cultural na medicina da dor: uma avaliação de necessidades. A necessidade do aspecto cultural como componente curricular em medicina da dor

    Raquel Pereira de Souza

     

    13- Título: Impacto da escuta de música nos mecanismos de dor endógena excitatórios e inibitórios. A música e seu efeito no sistema de modulação de dor descendente

    Raquel Pereira de Souza

  • Edição 220

    Dol 220
    v. 1 n. 220 (19)

    Edição 220 de Novembro de 2018

  • Dol 211
    v. 1 n. 219 (19)

    Edição 219

  • Edição 218

    Dol
    n. 218 (19)

  • Edição 217

    Dol
    n. 217 (19)

  • edição 216

    Dol
    n. 216 (18)

  • Dol
    n. 215 (18)

  • Dol
    n. 214 (18)

  • Dol
    n. 213 (18)

  • dol
    n. 212 (18)

  • Dol
    n. 211 (18)

  • Dol
    n. 210 (18)

  • Dol
    n. 209 (18)

  • Dol
    n. 208 (18)

  • Dol
    n. 207 (18)

  • Dol
    n. 206 (18)

  • Dol
    n. 205 (18)

  • Dol
    n. 204 (17)

  • Dol
    n. 203 (17)

  • Dol
    n. 202 (17)

  • Dol
    n. 201 (17)

  • dol 200

    Dol
    n. 200 (17)

  • edição 199

    Dol
    n. 199 (17)

  • edição 198

    Dol
    n. 198 (17)

  • edição197

    Dol
    n. 197 (17)

  • Dol
    n. 196 (17)

  • Edição 195

    Dol
    n. 195 (17)

  • edição 194

    Dol
    n. 194 (17)

  • edição 193

    Dol
    n. 193 (17)

  • ediçao192

    Dol
    n. 192 (16)

  • edição 191

    Dol
    n. 191 (16)

  • Dol
    n. 190 (16)

  • edição 189

    Dol
    n. 189 (16)

  • Dol
    n. 188 (16)

  • edição 187

    Dol
    n. 187 (16)

  • edição 186

    Dol
    n. 186 (16)

  • Dol
    n. 185 (16)

  • edição 184

    Dol
    n. 184 (16)

  • capa 183

    Dol
    n. 183 (16)

  • Dol
    n. 181 (16)

  • Dol
    n. 180 (15)

  • Dol
    n. 179 (15)

  • Dol
    n. 178 (15)

  • edição 177

    Dol
    n. 177 (15)

  • Edição 176

    Dol
    n. 176 (15)

  • edição 175

    Dol
    n. 175 (15)

  • edição 174

    Dol
    n. 174 (15)