A RELAÇÃO ENTRE MATERIALIDADE E IMATERIALIDADE NA SALVAGUARDA DOS PATRIMONIOS CULTURAIS IMATERIAIS: uma análise a partir da Roda de Capoeira

Main Article Content

Andressa Siqueira

Resumo

O presente artigo analisa a salvaguarda da Roda de Capoeira, bem cultural registrado como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil e da Humanidade, sob o aspecto da interação entre materialidade e imaterialidade e seus elementos emergentes. Considera que a cultura imaterial tem como base de sustentação aspectos materiais que não poder ser desconsiderados e que a efetiva salvaguarda do patrimônio cultural imaterial demanda abordagens e ações que estão além do universo do intangível. Por meio de pesquisa bibliográfica, documental, e observação participante, o artigo revela que a salvaguarda da Roda de Capoeira ressalta a importância da conservação do berimbau como elemento material essencial à prática da expressão cultural e destaca o uso de bens naturais como ação componente dessa materialidade. Demonstra que riscos relacionados à possibilidade de uso desses bens naturais, como a escassez ou a falta de acesso aos mesmos, representam também riscos à salvaguarda da base material de suporte e, consequentemente, da salvaguarda desse patrimônio. Conclui que a ação política para a salvaguarda do bem imaterial, nesse caso, deve considerar o direito dos detentores culturais aos bens naturais que são parte da expressão cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Article Details

Como Citar
Siqueira, Andressa. 2021. “A RELAÇÃO ENTRE MATERIALIDADE E IMATERIALIDADE NA SALVAGUARDA DOS PATRIMONIOS CULTURAIS IMATERIAIS: Uma análise a Partir Da Roda De Capoeira”. Abya-Yala: Revista Sobre Acesso à Justiça E Direitos Nas Américas 4 (2):171 a 184. https://doi.org/10.26512/abyayala.v4i2.34594.
Seção
Dossiê
Biografia do Autor

Andressa Siqueira, Universidade de São Paulo

Doutora em Ciências Ambientais pela Universidade de São Paulo, Mestra de Capoeira Angola, atua com pesquisadora de temas que relacionam cultura e natureza e também com consultora socioambiental.

Referências

ADINOLFI, Maria Paula Fernandes (org.). Plano de Salvaguarda da Capoeira na Bahia. Salvador: IPHAN. Bahia. 2018. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/uploads/publicacao/_planosalvaguardacapoeirabahia.pdf>. Acesso em 07 ago. 2020.

AREIAS, Almir das. O que é capoeira. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1983.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

FONSECA, Maria Cecília Londres. Referencias culturais: base para novas políticas de patrimônio. In: IPHAN. Manual de aplicação do INRC. Brasília: IPHAN, 2000.

GALLOIS, Dominique. Patrimônio cultural imaterial e povos indígenas. Iepé. 2006.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara. 1989.

INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÃSTICO NACIONAL (IPHAN). Dossiê IPHAN 12 ”“ Roda de Capoeira e Ofício dos Mestres de Capoeira. Brasília, 2014.

INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÃSTICO NACIONAL (IPHAN). Os sambas, as rodas, os bumbas, os meus e os bois: princípios, ações e resultados da política de salvaguarda do patrimônio cultural imaterial do Brasil (2003 ”“ 2010). Brasília, 2010.

INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÃSTICO NACIONAL (IPHAN). Relatório do Seminário Estadual Salve a Capoeira. Superintendência da Bahia. Bahia. 2016.

MENESES. José Newton Coelho. Modos de fazer e a materialidade da cultura “imaterial”: o caso do queijo. Patrimônio e Memória, Assis, v.5, n.2, 2009, p.19-33.

RAYNAUT, Claude. Interdisciplinaridade: mundo contemporâneo, complexidade e desafios à produção e à aplicação de conhecimentos. In: PHILIPPI JR., Arlindo; FERNANDES, Valdir; ALVARENGA, Augusta Thereza de; PELICIONI, Maria Cecília Focesi. Práticas da lnterdisciplinaridade no Ensino e Pesquisa. Barueri: Manole, 2015.

REGO, Waldeloir. Capoeira angola: ensaio sócioetnográfico. Salvador: Itapuã, 1968

SANT´ANNA, Marcia. A face imaterial do patrimônio cultural: os novos instrumentos de reconhecimento e valorização. Memória e patrimônio, Rio de Janeiro, 2003, p. 46-55.

TIEMBLO, María Pía Timon. Plan Nacional de Salvaguarda del Patrimonio Cultural Inmaterial. Atas do Colóquio Internacional “Políticas Públicas para o Património Imaterial na Europa do Sul: percursos, concretizações, perspectivas”. Direção Geral do Patrimônio Cultural. Governo de Portugal. Portugal, 1ª edição, p. 71-85, 2013.

TOJI, Simone. Patrimônio imaterial: marcos, referências, políticas públicas e alguns dilemas. Patrimônio e Memória, Assis, v. 5, n. 2, 2009, p. 3-18.

UNESCO. Recomendação de Paris ”“ Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial, de 17 de outubro de 2003. Paris, 2003. Disponível em: <http://unesdoc.unesco.org/images/0013/001325/132540por.pdf>. Acesso em: 20 agosto 2019.