Acessibilidade em ambientes culturais:

explorando o potencial cidadão do Plano Nacional de Cultura

Autores

  • Lucas Graeff Centro Universitário La Salle
  • Rosa Maria Castilhos Fernandes Centro Universitário La Salle
  • Anajara Carbonell Closs Centro Universitário La Salle

DOI:

https://doi.org/10.26512/ser_social.v15i32.13037

Palavras-chave:

acessibilidade, políticas públicas, Plano Nacional de Cultura, Cidadania

Resumo

Este artigo trata de questões de acessibilidade relacionadas às políticas públicas no Brasil, em particular do Plano Nacional de Cultura (PNC). Discute-se o contexto sócio-histórico das políticas públicas voltadas à cidadania e à cultura a fim de compreender os limites e possibilidades do cumprimento da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000 e do Plano Nacional da Pessoa com Deficiência, ambos previstos na meta 29 do PNC. Além de apresentar essa discussão, o artigo propõe ir além da legislação existente, apresentando as tecnologias assistivas e o design universal em ambientes culturais como um meio de estabelecer a acessibilidade universal no horizonte ético de usuários, gestores públicos e produtores culturais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Graeff, Centro Universitário La Salle

Professor do Programa de Pós-Graduação do Centro Universitário La Salle (Unilasalle), Canoas, Rio Grande do Sul, Brasil. Doutor em Etnologia e Sociologia Comparada pela Universidade de Paris 5 - Sorbonne. Líder do Grupo de Pesquisa Memória, Cultura e Identidade (CNPq).

Rosa Maria Castilhos Fernandes, Centro Universitário La Salle

Professora do Programa de Pós-Graduação do Centro Universitário La Salle (Unilasalle), Canoas, Rio Grande do Sul, Brasil. Doutora em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Líder do Grupo de Pesquisa Tecnologia Social, Inovação e Desenvolvimento (CNPq) 

Anajara Carbonell Closs, Centro Universitário La Salle

Mestranda em Memória Social e Bens Culturais do Centro Universitário La Salle (Unilasalle), Canoas, Rio Grande do Sul, Brasil. Bacharel em Jornalismo, Publicidade e Propaganda, e Relações Públicas pela UFRGS. Especialista em Gestão Cultural pelo SENAC/RS

Referências

ALVAREZ, Sônia; DAGNINO, Evelina; ESCOBAR, Auturo. Cultura e política nos movimentos sociais latino-americanos. Belo Horizonte: Ed.UFMG,2000.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS ”“ ABNT. NBR 9050 ”“ acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro: ABNT, 2004. 97p.

BECK, Ulrich. A sociedade do risco. Tradução de Sebastião Nascimento. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 2011.

BOBBIO, Norberto. Era Dos Direitos. Tradução Carlos Nelson Coutinho. São Paulo: Elsevier Brasil, 2004.

BRASIL. Política nacional de museus. Brasília: Ministério da Cultura, 2007.

BRASIL. As metas do Plano Nacional de Cultura. Brasília: Ministério da Cultura, 5 fev. 2012.

BRASIL. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Instrução Normativa n. 1, novembro 2003. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/portal/montarDetalheConteudo.do?id=12250&sigla=Legislacao&retorno=detalheLegislacao. Acesso em: 3 fev 2012.

CARDOSO, Eduardo; CUTY, Jeniffer (Orgs.). Acessibilidade em ambientes culturais. Porto Alegre: Marca Visual, 2012.

CALABRE, Lia. Políticas culturais no Brasil: balanço & perspectivas. In: RUBIM, A. A. C.; BARBALHO, Alexandre. Políticas culturais no Brasil. Salvador: EDUFBA, 2007, p. 88”“108.

CARNEIRO, Maria Sylvia. Deficiência Mental como produção social: uma discussão a partir de histórias de vida de adultos com Síndrome de Down. Porto Alegre: UFRGS, 2007. 193f. Tese (Doutorado em Educação).

CARTA DE SALVADOR. Declaração da cidade de Salvador, Bahia. Primeiro Encontro Ãbero-Americano de Museus. Salvador, Brasil, 26 a 28 de julho de 2007. Disponível em: http://www.ibermuseus.org/wp-content/uploads/2011/04/declaracao-da-cidade-de-salvador-bahia-2007.pdf

CLÃMACO, Júlia Campos. Direitos humanos, invisibilidade e educação especial. Ser Social. V. 12, n. 27, jul-dez 2010, p. 214-232.

LINN, Luiziane da Costa. “Essas pessoas que envelhecem...”: saberes de adultos com deficiência intelectual. Porto Alegre: UFRGS, 2012. 121 f. Dissertação (Mestrado em Educação).

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Tradução Fanny Wrobel. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1989.

GIL, Gilberto. Discurso de posse Ministro da Cultura, Mandato 2003/2006. Disponível em: http://www.cultura.gov.br/site/2003/01/15/discursodo-ministro-gilberto-gil-empossando-sua-equipe-no-ministerio-dacultura/ Acesso em 05-02-2013.

GOFFMAN, Ervin. Estigma. Tradução Mathias Lambert. Rio de Janeiro: LTC, 1988.

GOHN, Maria da Glória. Cidadania e direitos culturais. Katálysis, v. 8, n. 1, p. 15”“23, 5 fev. 2005.

HERMONT, Liliana; RIBEIRO, Renato. G. Brasil acessível 5. Brasília: Ministério das Cidades-Governo Federal, 2006.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. As raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das letras, 1995.

HONNETH, Axel. Luta por reconhecimento. Tradução Luís Repa. Editora 34, 2003.

IPHAN. I Fórum Nacional do Patrimônio Cultural. Síntese Preliminar das discussões. Brasília: MinC/IPHAN, 2009. 88 f. (Relatório). Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/portal/baixaFcdAnexo.do?id=1380

LANNA JÚNIOR, Mário. História do Movimento Político das Pessoas com Deficiência no Brasil. Brasília: Secretaria de Direitos Humanos/Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, 2010.

LANCHOTI, José. Brasil acessível 2. Brasília: Ministério das Cidades-Governo Federal, 2006.

OLIVEIRA, Ãris Maria de. Cultura política, direitos e política social. IN: BOSCHETTI, Ivanete; BEHRING, Elaine; SANTOS, Silvana; MIOTO, Regina. Política Social no Capitalismo: tendências contemporâneas. São Paulo: Cortez, 2008. P.109-129.

PASSAFARON, Edison; TILLMANN, Guilherme. A. Brasil acessível 4. Brasília: Ministério das Cidades-Governo Federal, 2006.

PEREIRA, Potyara A.P. Discussões conceituais sobre política social como política pública e direito de cidadania. IN: BOSCHETTI, Ivanete; BEHRING, Elaine; SANTOS, Silvana; MIOTO, Regina. Política Social no Capitalismo: tendências contemporâneas. São Paulo: Cortez, 2008, p. 87-108.

POSSA, Débora; SOARES, Marília Brasil acessível 6. Brasília: Ministério das Cidades-Governo Federal, 2006.

PRADO, Adriana; LOPES, Maria Elisabete; ORNSTEIN, Sheila. Desenho universal: caminhos da acessibilidade no Brasil. São Paulo: Annablume Editora, 2010.

RUBIM, Antonio Canelas. Políticas culturais no Brasil: tristes tradições, enormes desafios. In: RUBIM, Antonio Canelas; BARBALHO, A. Políticas culturais no Brasil. Salvador: EDUFBA, 2007, p. 11”“36.

SANTOS, Boaventura de Souza. A gramática do tempo. Porto: Edições Afrontamento, 2006.

TRISTÃO, Ellen. A opção neoliberal do primeiro mandato do governo Lula. Ser Social. V. 13, n. 28, jan/jun de 2011, p. 104”“128.

SILVA, Gisélia Castro. Política Cultura e Cultura Popular no Contexto no Neoliberalismo. III Jornada Internacional de Políticas Públicas. São Luís-MA:UFMA,28 a 30 de agosto de 2007. Disponível em: http://www.joinpp.ufma.br/jornadas/joinppIII/html/Trabalhos/EixoTematicoE/1a78740143c9c3e89389Gisélia Silva.pdf. Acesso em 08-12-2012

VALERI, Augusto; ROSSI, Eunice et al. Brasil acessível 1. Brasília: Ministério das Cidades-Governo Federal, 2006.

VALERI, Augusto; SILVA, Cláudio Oliveira et al. Brasil acessível 3. Brasília: Ministério das Cidades-Governo Federal, 2006.

Downloads

Publicado

09/30/2013

Como Citar

GRAEFF, L.; FERNANDES, R. M. C.; CLOSS, A. C. Acessibilidade em ambientes culturais:: explorando o potencial cidadão do Plano Nacional de Cultura. SER Social, [S. l.], v. 15, n. 32, p. 117–140, 2013. DOI: 10.26512/ser_social.v15i32.13037. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/SER_Social/article/view/13037. Acesso em: 8 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos Cientí­ficos - Temáticos