Modas do mundo e moda mundial: sobre a partilha desigual de tarefas simbólicas entre Norte Global e Sul Global no mercado mundial de “moda ética”

Main Article Content

Miqueli Michetti

Resumo

A partir da atuação de marcas de “moda ética” que se oferecem no mercadomundial como “franco-brasileiras”, analisamos como as identidades de matriz geográfica são desterritorializadas para serem operadas no espaço mundial por atores não imediatamente vinculados aos territórios usados como fontessimbólicas de suas marcas, como o Brasil. Mostramos também que, por outro lado,a operação global da diversidade cultural imputada a povos e territórios discursados como “locais” não pode prescindir da apresentação de vínculos objetivos com os lugares de produção e com os produtores “locais” das mercadorias oferecidas no espaço mundial, vínculos que funcionam como uma espécie de lastro do caráter alegadamente ético e autêntico daquelas marcas de moda. Essa “injunção do local” característica da chamada “moda ética” traz consigo novas relações entre atores do “Global North” e do “Global South”, já que interesses mútuos são atendidos nas atuais “parcerias” estabelecidas no seio dessas marcas. Entretanto, essas relações não são isentas de hierarquias,pois, além da divisão internacional de trabalho continuar existindo, vemos surgir uma nova divisão mundial de tarefas simbólicas, de acordo com a qual ao “Sul” e a seus “atores fixos” caberia dotar o mercado mundial de moda de diversidade, enquanto que o “Norte” e seus respectivos “atores  móveis” incumbir-se-iam da globalidade e,através dela, da organização, da classificação e da mundialização da diversidade de que se apropriam.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Article Details

Como Citar
Michetti, M. (2014). Modas do mundo e moda mundial: sobre a partilha desigual de tarefas simbólicas entre Norte Global e Sul Global no mercado mundial de “moda ética”. Arquivos Do CMD, 2(1). https://doi.org/10.26512/cmd.v2i1.7546
Seção
Artigos de Dossiê
Biografia do Autor

Miqueli Michetti, Fundação Getúlio Vargas

Possui bacharelado e licenciatura em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista (FCLAr/UNESP), mestrado em Sociologia pela mesma universidade e doutorado em Sociologia pelo Programa de Pós-graduação em Sociologia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas (IFCH/UNICAMP), com estágio de doutorado junto à École des Hautes Études en Sciences Sociales de Paris (EHESS). Atualmente, é pesquisadora e professora de sociologia da Fundação Getúlio Vargas (EAESP/FGV).

Referências

ABÉLÈS, Marc. Anthropologie de la Globalization. Paris: Payot, 2008.

BENJAMIN, Walter. Passagens. Belo Horizonte: Editora UFMG; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2006.

BOLTANSKY, L. e CHIAPELLO, É. Le Nouvel Esprit du Capitalisme. Paris: Gallimard, 1999.

BOURDIEU, Pierre. Les Structures Sociales de l’Économie. Paris: Seuil, 2000.

CHARTAIN, Laura. Commerce Équitable et Intérêts des « Petits » Producteurs. Le cas d’un entrepreneuriat français au-près de producteurs de coton de l’Etat du Paraná au Brésil. Paris, 2009. (Mémoire de Master II). École des Hautes Etu-des en Sciences Sociales.

DESLANDRES, Yvonne. L’influence du costume tradition-nel sur les creations de Paul Poiret. In: DELAPORTE, Yves. (Org.). Vêtement et Sociétés. Paris: Musée de l’Homme, 1981.

EAGLETON, TERRY. A Idéia de Cultura. São Paulo: Editora UNESP, 2005.

FONTENELLE, Isleide A. Consumo ético: construção de um novo fazer político? Revista Psicologia Política, 6, 1-21, 2007.

FONTENELLE, Isleide A. O fetiche do eu autônomo: consumo responsável, excesso e redenção como mercadoria. Psico-logia & Sociedade, 22(2), 215-224, 2010.

MARX, Karl. O Capital. O processo de produção do capital. Livro 1. Volume 1. São Paulo: Civilização Brasileira, 2008.

MICHETTI, Miqueli. Moda Brasileira eMundialização: mercado mundial e trocas simbólicas. [tese de doutorado ”“ IFCH-UNICAMP], 2012.

ORTIZ, R. A Diversidade dos Sotaques: (o inglês e as ciências sociais). São Paulo: Brasiliense, 2008.

ORTIZ, Renato. “Anotações sobre o universal e a diversidade”, Revista Brasileira de Educação. vol. 12, número 034. pp. 7-16. 2007.

ORTIZ, Renato. Um Outro Território. São Paulo: Olho D’água, s/d.

SAID, Edward W. Orientalism. New York: Vintage Books,1978.

SASSEN, Saskia. A Sociology of Globalization. New York: Norton & Company, 2007.SASSEN, Saskia. Territory, Authority, Rights : from medieval to global assemblages. Princeton and Oxford: Princeton University Press, 2006.

SKOV, Lise. Fashion-Nation: A Japanese Globalization Experience and a Hong Kong Dilemma. In: NIESSEN, Sandra; LESHKOWICH, Ann Marie; JONES, Carla (eds). Re-orienting Fashion: the globalization of Asian dress. Oxford; New York: Berg, 2003.

STEINER, Christopher B. African Art in Transit. Cambridge : Cambridge University Press, 1994. WAGNER, Anne-Catherine. Les Classes Sociales dans la Mondialisation. Paris: La Découverte, 2007.

WALLERSTEIN, Immanuel. The Capitalist World-Economy, Cambridge: Cambridge University Press, 1979.

ŽIŽEK, Slavoj. (org). Um Mapa da Ideologia. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.