A Biodiversidade Marinha nos Museus de Portugal continental:

uma introdução

  • Bruno Pinto
  • Inês Amorim
Palavras-chave: Patrimônio Marítimo, biodiversidade, centros vivos museus marítimos, oceanos interdisciplinaridade

Resumo

 O papel desenvolvido pelos museus nas representações dos usos do mar, quer do património marítimo de pendor etnográfico, quer do património científico, articula-se com a evolução dos conceitos de mediação, literacia cultural e científica. Este artigo pretende ado tar esta perspetiva na abordagem da história dos museus em Portugal Continental, que estão associados à biodiversidade marinha. Definimos cinco tipologias principais de museus: Museus de História Natural Universitários; Aquários Históricos; Museus Marítimos Etnográficos; Aquários Modernos e Centros de Ciência. Nos exemplos representativos de cada uma destas categorias, contextualizamos a sua origem, os principais eventos ao longo da sua história e a sua relação com outras instituições ligadas ao património marítimo. Observamos, também, que estes museus remontam ao final do século XVIII, mas que nas duas úl timas décadas surgiram novos protagonistas, como os centros de ciência e os aquários modernos. Para além disso, também os museus etnográficos abordam hoje a biodiversidade marinha, sinal de uma progressiva abordagem interdisciplinar e de um debate em torno do património natural e cultural associado aos oceanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMARAL, Ana Rita; MARTINS, Maria do Rosário; MIRANDA, Maria Arminda. O contexto museológico da antropologia na Universidade de Coimbra: Uma síntese histórica (1772-1933). In: História da Ciência na Universidade de Coimbra 1772-1933 edits. Carlos Fiolhais et alii. Coimbra: Imprensa da Universidade, p. 129-166, 2013.
AMORIM, Inês. Homens da Terra ou Homens do Mar – um percurso historiográfico. In: Culturas Marítimas em Portugal. Lisboa: Âncora editora, 2008.
AMORIM, Inês. Que espaço para uma abordagem do mar pelas Ciências Sociais e Humanas? In: Mar Português. Conhecimento, valorização e desenvolvimento. Faro: Universidade do Algarve, p.173-188, 2012.
ANDRADE, Pedro de (coor.). Museus, públicos e literacia científico-tecnológica. Lisboa: Colibri, 2010.
ARGOS. Revista do Museu Marítimo de Ílhavo. Ílhavo: Museu Marítimo de Ílhavo, nº1, 2013.
ATHIAS, Mark. A Sociedade Portuguesa de Ciências Naturais (notas históricas). Actas do I Congresso Nacional de Ciências Naturais. In: Bulletin de la Société Portugaise de Sciences Naturelles, Tome XIII, Supl. I, Livro 1, v-xvii. Ed. Costa, F. IAC, Lisboa. 343 pp., 1942.
BASTO, A. de Magalhães. Memória Histórica da Academia Politécnica do Porto, precedida de Memória sobre a Academia Real da Marinha e Comércio pelo conselheiro Abreu Cardoso Machado. Porto: Universidade do Porto, 1937.
BRIGOLA, João Carlos. Colecções, Gabinetes e Museus em Portugal no Século XVIII. Lisboa: FCT Fundação Calouste Gulbenkian, 2003.
BRIGOLA, João Carlos. Os viajantes e o ‘livro dos museus’. Porto: Dafne Editora, 2010.
BRUNNER, Bernd. The Ocean at Home. An Illustrated History of the Aquarium. Princeton Architectural Press, New York, 2003.
CABRAL, Clara Maria Ferreira Bertrand. Património Cultural Imaterial - Proposta de Uma Metodologia de Inventariação. Lisboa: Universidade Técnica de Lisboa, 2008.
CAMACHO, Clara Frayão. Redes de Museus e credenciação. Uma Panorâmica Europeia. Casal de Cambra: Caleidoscópio, 2015.
CARNALL, Mark; ASHBY, Jack, ROSS, Claire. Natural history museums as provocateurs for dialogue and debate. Museum Management and Curatorship. London: Routledge, vol. 28 (1), p. 55-71, 2013.
CARVALHO, Catarina Caprichoso. Gestão de Coleções do Museu de História Natural da Universidade do Porto. Porto: Relatório final de estágio apresentado à Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, 2014.
CASEIRO, Carlos. A casa grande do mar. Aquário Vasco da Gama 1898-1998. Estar Editora, A.V.G. 139 pp.,1998.
CENTRO CIÊNCIA VIVA ALGARVE. Relatório de actividades 1998. Centro Ciência Viva Algarve, 1998.
CENTRO CIÊNCIA VIVA ALGARVE. Relatório de actividades 1999. Centro Ciência Viva Algarve, 1999.
CENTRO CIÊNCIA VIVA ALGARVE. Relatório de actividades 2011. Centro Ciência Viva Algarve, 2011.
CERÍACO, Luís Miguel Pires. A evolução da zoologia e dos museus de história natural em Portugal. Évora: Universidade de Évora, 2014.
CERÍACO, Luís Miguel Pires; BRIGOLA, João Carlos Pires; DE OLIVEIRA, Paulo. Os monstros de Vandelli e o percurso das colecções de História Natural do século XVIII. In: História da Ciência Luso-Brasileira. Coimbra entre Portugal e o Brasil. Coimbra: Universidade Coimbra, pp.121 – 132, 2013.
CHAPPÉ, François. Histoire, mémoire, patrimoine. Du discours idéologique à l’éthique humaniste. Rennes: PUR, 2010.
CHOFFAT, Paul. Albert Arthur Alexandre Girard: Memória apresentada à Academia das sciencias de Lisboa, Volume 2, pp. 86-96. Academia das sciencias de Lisboa, Lisboa. 96 pp., 1916.
COSTA, António Celestino. O aquário Vasco da Gama: Estação de Biologia Marítima. Relatório referente aos anos de 1913 a 1917, apresentado na sessão de 21 de novembro de 1917. Lisboa: Imprensa da Livraria Ferin. 36 pp., 1918.
COSTA, António Celestino. O aquário Vasco da Gama: Estação de Biologia Marítima. Relatório apresentado à Comissão Oceanográfica na sessão de 1 de dezembro de 1921 e referente aos anos de 1917 a 1921. Lisboa: Oficinas Gráficas Biblioteca Nacional. 17 pp., 1922.
COSTA, António Firmino; PALMA, Cristina; ÁVILA, Patrícia. Scientific Culture and modes of relating to science, in A.F. Costa, F.L. Machado and P. Ávila, Knowledge and Society Portugal in the European Context, vol. II, Oeiras, Celta, pp. 59- 80, 2009.
COSTELLO, Mark; BOUCHET, Philippe; BOXSHALL, Geoffrey; FAUCHALD, Kristian, et al. Global Coordination and Standardisation. Marine Biodiversity through the World Register of Marine Species (WoRMS) and Related Databases. PLoS ONE 8(1), 2013.
CUNHA, Maria José. As colecções Antropológicas do Museu de História Natural da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. In Actas do I Seminário de Investigação em Museologia dos Países de Língua Portuguesa e Espanhola. Porto: Universidade do Porto, Volume 1, p. 259-268, 2010.
CUNHA, Maria José. As Colecções de Arqueologia e Antropologia do Museu de História Natural da Universidade do Porto. In: Series Ibero-americanas de Museologia. Porto: Universidade do Porto, Volume 6, p. 153-162, 2012.
DAMASCENO, Joana. Museus para o Povo Português. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2010.
DELICADO, Ana. Os museus e a promoção da cultura científica em Portugal. Sociologia, problemas e práticas, n.º 51, p. 53-72, 2006.
DELICADO, Ana. Produção e reprodução da ciência nos museus portugueses. Análise Social, vol. XLIII (1.º), p.55-77, 2008.
DELICADO, Ana. Museus, divulgação da ciência e cultura científica em Portugal. Museologia.pt, 4, 144-165, 2010.
DIÁRIO ILUSTRADO. O aquário. Diário Ilustrado 21 Maio 1898: 2, 1898.
DUARTE, Adelaide Manuela da Costa. O Museu Nacional da Ciência e da Técnica (1971-1976). Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2007.
FIOLHAIS, Carlos. História da Ciência em Portugal. Lisboa: Gradiva, 2013.
FOUNDATION FOR SCIENCE AND TECHNOLOGY (FCT) (2015). Establishing Portugal as a global reference for research and innovation (pp. 2-3). Fundação para a Ciência e Tecnologia. Disponível em: https://www.fct.pt/documentos/Brochura_FCT_web.pdf.
FUNDAÇÃO OCEANO AZUL. A fundação. Fundação Oceano Azul, 2018. Disponível em: https://www.oceanoazulfoundation.org/pt-pt/
GARCIA, José Luís; RAMALHO, Joana; SILVA, Pedro Alcântara. Os Públicos da Rede Nacional de Centros Ciência Viva - Relatório Final. Instituto de Ciências Sociais, Universidade de Lisboa para a Rede Nacional de Centros Ciência Viva, 2016.
GARRIDO, Álvaro. Ser do Mar: O Museu Marítimo de Ílhavo como lugar de projecto Drassana, n. 22, p. 140-147, 2014.
GARRIDO, Álvaro; ALVES, Francisco, coor. Octávio Lixa Filgueiras. Arquitecto de Culturas Marítimas. Lisboa: Âncora Editora, 2009.
GARRIDO, Álvaro; LOPES, Ana Maria. Sala da Ria. Catálogo da exposição permanente. Museu Marítimo de Ílhavo. Ílhavo: Museu Marítimo de Ílhavo, 2004.
GARRIDO, Álvaro; LEBRE, Ângelo. Museu Marítimo de Ílhavo. Um Museu com História. Lisboa: Âncora Editora/Museu Marítimo de Ílhavo, 2007.
GIL, Fernando Bragança. University museums. University. Intensifying Support For and Increasing Audiences in University Museums and Collections. Museologia - an international journal of museology,Vol. 2, Nr. 1-2 (Special issue), p. 1-7, 2002.
GIL, Fernando Bragança. Museus Universitários, sua especificidade no âmbito da Museologia. In: Colecções de ciências físicas e tecnológicas em museus universitários, coor. A.C. da Silva e A. Semedo. Porto: Faculdade de Letras do Porto, p. 33-54, 2005.
GIRARD, Alberto. Relatório sobre o estado actual do Aquário Vasco da Gama. Direção Geral da Marinha, processo 24, 31/01/1907. Arquivo Geral da Marinha, Lisboa, 1907.
GRANADO, António; MALHEIROS, José Vitor. Cultura científica em Portugal: Ferramentas para perceber o mundo e para aprender a mudá-lo. Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos Santos, 2015.
KISLING, Vernon N. Zoo and Aquarium History: Ancient Animal Collections to Zoological Gardens. CRC Press, Boca Raton. 415 pp, 2001.
KOFOID, Charles Atwood. The Biological Stations of Europe. United States Bureau of Education Bulletin 4, 360 pp, 1910.
LEANDRO, Paula. Aquário Vasco da Gama, Um dos primeiros aquários em todo o mundo. Anais do Clube Militar Naval. Lisboa, Academia de Marinha, 133: 705-731, 2003.
LEAL, João. Etnografias Portuguesas (1870-1970): Cultura Popular e Identidade Nacional. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 2000.
MARÍA BOLANOS, ed.. La Memoria del mundo, Cien años de museologia 1900-2000. Gíjón: Ediciones Trea, S.L., 2002.
MARTINS, Nuno Gomes. Of World Representation: International Exhibitions and the Expo’98. Cadernos do Arquivo Municipal. Series 2 (5), p. 357–382, 2016. Disponível em: http://arquivomunicipal.cm-lisboa.pt/fotos/editor2/Cadernos/2serie/cad5/varia02.pdf.
MONTEIRO, Marisa L.; BERNARDO, Luís M.; ARAÚJO, José M. O Museu de Ciência da Universidade do Porto: colecções de ciências exactas da Faculdade de Ciências. In Coleções Científicas Luso-Brasileiras: patrimônio a ser descoberto. Rio de Janeiro: Museu de Astronomia e Ciências Afins - MAST/MCT, p. 211-230, 2010.
MORRIS, Benjamin. ‘Not just a place’: cultural heritage and the environment. In: Heritage, Memory & Identity ed. Helmut Anheier e Y.Raj Isar, London: Sage, p. 124-136, 2011.
MUSEU DO MAR. Museu do Mar Rei D. Carlos, 2018. Disponível em: http://www.cm-cascais.pt/museumar/home.html
NUNES, Maria de Fátima. The History of Science in Portugal (1930-1940): The sphere of action of a scientific community. E- JPH, Vol. 2 number 2, Winter p.1-17, 2004.
OCEANÁRIO DE LISBOA. EMAS 2011. Declaração Ambiental, 2011. Disponível em: https://www.oceanario.pt/content/files/emas_2011_2.pdf
OCEANÁRIO DE LISBOA. EMAS 2014. Declaração Ambiental, 2014. Disponível em: https://www.oceanario.pt/content/files/da_emas_2014.pdf
OCEANÁRIO DE LISBOA. EMAS 2015. Declaração Ambiental, 2015. Disponível em: https://www.oceanario.pt/content/files/emas_2015_oceanario_de_lisboa.pdf
PARQUE EXPO´98. Exposição Mundial de Lisboa de 1998. Relatório. Lisboa: Parque Expo’98, 1999.
PERALTA, Elsa. Memória do mar. Património marítimo e (re)imaginação identitária na construção do local. In Patrimónios e Identidades. Ficções contemporâneas. Oeiras: Celta, 2006.
PERALTA, Elsa. Museus e Comunidades: Uma Ensaio Antropológico a Propósito da História do Museu Marítimo de Ílhavo. In Museu Marítimo de Ílhavo: Um Museu com História. Lisboa: Âncora Editora/Museu Marítimo de Ílhavo, p. 219-236, 2007.
PERALTA, Elsa. Public silences, private voices: Memory games in a maritime heritage complex. In Heritage and Identity. Engagement and Demission in the Contemporary World. London and New York: Routledge, p. 105-116, 2009.
PINTO, Bruno. Historical connections between early marine science research and dissemination: the case-study of aquarium Vasco da Gama (Portugal) from late 19th century to mid-20th century. ICES Journal of Marine Science Volume 74 (6): 1522–1530, 2017.
PINTO, Bruno. 1998, celebrating oceans in Lisbon Expo´98: World exhibitions and science communication. Public Understanding of Science Volume 27(4), 490-494, 2018. Disponível em: http://journals.sagepub.com/doi/full/10.1177/0963662517743375.
PINTO, Bruno; COSTA, José Lino. What are the practitioners´views about past marine science communication to the public? An example from Portugal. Regional Studies of Marine Science Volume 18: 27-34, 2018.
PITTA E CUNHA, Tiago. Portugal e o mar. À redescoberta da geografia. Ensaio da Fundação Francisco Manuel dos Santos, 2011.
PIRES, Catarina Pereira; PEREIRA, Gilberto Gonçalves. Museu da Ciência da Universidade de Coimbra: valorização de um patrimônio científico secular. In Coleções Científicas Luso-Brasileiras: patrimônio a ser descoberto, Organização: Marcus Granato e Marta C. Lourenço. Rio de Janeiro: Museu de Astronomia e Ciências Afins - MAST/MCT, 185-210, 2010.
PÓVOAS, Liliana; LOPES, César; MELO, Ireneia, CORREIA, Ana I.; ALVES, Maria Judite. O museu nacional de história natural - uma história atribulada e uma questão em aberto. Estudos do Quaternário, 14, APEQ, Braga, p. 105-113, 2016. http://www.apeq.pt/ojs/index.php/apeq.
POSSANTE, Manuel José. Relatório do Presidente do Conselho de Administração do Aquário Vasco da Gama- Estação de Biologia Marítima. 38 pp, 1949.
RAMALHO, Alfredo Magalhães. Relatório do Dr. Magalhães Ramalho para o Presidente do Conselho de Administração do Aquário Vasco da Gama- Estação de Biologia Marítima, Lisboa. 20 pp, 1942.
RAMOS, Rui. Capítulo V: O fracasso do reformismo liberal (1890-1910). In: História de Portugal, pp. 549-572. Ed. by R. Ramos, B.V. Monteiro and N.G. Sousa. Esfera dos Livros, Lisbon. 976 pp, 2012.
ROLLO, Maria Fernanda; QUEIROZ, Maria Inês; BRANDÃO, Tiago. The sea as science: ocean research institutions and strategies in Portugal in the twentieth century (from the First Republic to democracy). História, Ciências, Saúde- Manguinhos, 21 (3): 1-19, 2014.
SALDANHA, Luís. King Carlos of Portugal, a Pioneer in European Oceanography. In: Oceanography: the Past, pp. 606-613. Ed. By M. Sears, and D. Merriman. Springer-Verlag, New York. 812 pp, 1980.
SALDANHA, Luís. King Carlos de Bragança, the Father of the Portuguese Oceanography. In: One Hundred years of Portuguese Oceanography, in the footsteps of King Carlos de Bragança, pp.19-38. Ed. by L. Saldanha, and P. Ré. Museu Nacional de História Natural. 453 pp, 1997.
SALDANHA, Ana Rita; NUNES, Maria de Fátima; DIAS, José Pedro Sousa. Práticas, redes e produções científicas dos naturalistas do Museu Bocage na Europa entre guerras (1914-145). O Património Documental do Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa (MUHNAC-UL). In Perspetivas_sobre Construir_Ciência_–_Construir_o_Mundo. Aveiro: Universidade de Aveiro, p. 266-272, 2015.
SALGADO, Maurício Matos; MARANDINO, Martha. O mar no museu: um olhar sobre a educação nos aquários. História, Ciências, Saúde-Manguinhos [online] 21 (3), p .867-882, 2014.
SALGUEIRO, Ângela. Laboratórios universitários – espaços de ciência na transição da Monarquia para a República. In Espaços e Actores da Ciência em Portugal (XVIII-XX). Casal de Cambra: Caleidoscópio, p. 65-74, 2014.
SANCHO QUEROL, Maria Lorena. A função social do Património Marítimo Português. Cadernos de sociomuseologia. Lisboa, vol. 35, p. 7-230, 2009.
SARMENTO, Clara. Cultura Popular Portuguesa. Práticas, Discursos e Representações. Porto: Afrontamento, 2008.
SANTOS, Anabela. Um Museu para as nossas Nefertitis. Campus U. Porto. Revista da Universidade do Porto. nº 0. Porto, p. 28-31, 2016.
SEMEDO, Alice. Estratégias museológicas e consensos gerais. In Museos do Eixo Atlántico. Porto, Vigo: s.ed., p.5-32, 2004.
SEMEDO, Alice; NASCIMENTO, Elisa Noronha; CENTENO, Rui (coord). Seminário internacional o futuro dos museus universitários em perspetiva. Porto: Universidade do Porto, Faculdade de Letras, 2014.
SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS ÁGUA E SANEAMENTO (SMAS). A obra do Dr. Alfredo Ramalho, pioneiro da oceanografia. SMAS, 12 pp., 2002.
SERRANO MARTÍNEZ, Javier. Ciencia+Tecnologia+sociedad+museos= Cómo conseguir que el futuro se parezca a lo que esperamos. Gijón: Ediciones Trea, S. L., 2013.
SILVA, A. O aquário Vasco da Gama. Imprensa Nacional, Lisboa. 41 pp, 1901.
SIMÕES, Carlota; CASALEIRO, Pedro; MOTA, Paulo Gama. O Museu da Ciência: uma colecção científica do século das Luzes. In História da Ciência na Universidade de Coimbra 1772-1933. Coimbra: Imprensa da Universidade, p.117- 128, 2013.
SOCIEDADE DE GEOGRAFIA. À comissão da exposição das pescarias e outros. Quarto Centenário da Descoberta da Índia: Annaes da Comissão Central Executiva. Correspondência e Actas. Vol. VII-XI (pp. 89-95). Imprensa Nacional: Lisboa. 102 pp., 1897.
SOCIEDADE DE GEOGRAFIA. Sessão de 8 de Novembro 1897. Actas das sessões da Sociedade de Geografia de Lisboa 1894-1899. Vol. XIV-XV (pp. 61-65). Imprensa Nacional: Lisboa. 119 pp., 1899.
STRASSER, Bruno. Laboratories, Museums, and the Comparative Perspective: Alan A. Boyden’s Quest for Objectivity in Serological Taxonomy, 1924–1962. Historical Studies in Natural Sciences, 40 (2), p. 149–182, 2010.
TELES, Américo. Guia Prático de preparação de Algas Marinhas. Uma colecção do Museu Marítimo de Ílhavo 1986. Ílhavo: Museu Marítimo Ílhavo, 2012.
UNITED NATIONS EDUCATIONAL, SCIENTIFIC AND CULTURAL ORGANIZATION (UNESCO). Global Ocean Science Report—The current status of ocean science around the world (pp. 108-110). UNESCO Publishing, Paris, 2017.
WAGENSBERG, Jorge. The “total” museum, a tool for social change. Historia, Ciencias, Saúde. Manguinhos [online]. vol.12, suppl., p. 309-321, 2005.
Publicado
2018-10-29
Como Citar
PintoB., & AmorimI. (2018). A Biodiversidade Marinha nos Museus de Portugal continental:. Museologia & Interdisciplinaridade, 7(14), 107-127. https://doi.org/10.26512/museologia.v7i14.18389
Seção
Dossiê Museus e Oceanos