Notícias

Resistência Afro na América Latina

2019-03-21

Nesse dossiê buscamos reunir reflexões críticas baseadas em pesquisa empírica de natureza sociológica, histórica e/ou etnográfica; assim como em experiências de ativismo comunitário e práticas inovadoras de produção de conhecimento, que conectem universidade e movimentos sociais, notadamente para os últimos quinze anos, marcados por mudanças dramáticas no continente. A presença de povos, culturas e tradições de origem africana na América Latina resiste há mais de três séculos ao extermínio e a conflitos modernos e coloniais, resiste ao racismo estrutural e a violência de Estado, resiste a ideologia da miscigenação e as políticas de invisibilidade, resiste ao epistemícido e à perseguição religiosa ou de cunho moral. Essa resistência só foi possível graças as inúmeras modalidades e estratégias vernáculas ou eruditas, comunitárias, nos quilombos e palenques, e radicais nas periferias urbanas e universidades. A múltipla força das estratégias comunitárias tem servido de inspiração para práticas políticas, artísticas e acadêmicas que conectam o rural e o urbano, o centro e a periferia, a tradição e a inovação. Este dossiê visa documentar e discutir essas diversas formas de resistir. 

Organizadores:

Osmundo Pinho (UFRB)

Luciane Rocha (Kennesaw University)

Prazo para submissão: até 01 de julho de 2019.

Serão aceitos textos em inglês, português e espanhol.

Saiba mais sobre Resistência Afro na América Latina

Edição Atual

v. 21 n. 3 (2018)

Este número apresenta três resumos ampliados e dois artigos resultantes de projetos de pesquisa desenvolvidos no âmbito do Programa de Iniciação Científica (ProIC) da Universidade de Brasília. Esse programa institucional volta-se para o despertar da vocação científica e incentivo à participação de estudantes de graduação em projetos de pesquisa que possam prepará-los para a carreira acadêmica. Nessa trilha, a opção da Interethnic@ por dedicar o terceiro volume de cada ano à publicação de resumos de monografias, dissertações e teses busca reforçar a missão de contribuir com a divulgação de produção científica sobre temas correlatos às relações étnico-raciais compreendidas em termos abrangentes.

Publicado: 2018-12-30
Ver Todas as Edições

Interethnica acompanha a crescente e intensa atividade dos pesquisadores e pesquisadoras sobre relações interétnicas e raciais nas Ciências Sociais e humanidades, contribuindo com a divulgação científica e o diálogo intercultural entre sujeitos epistêmicos das sociedades e grupos identitários e da academia.

Sua missão é contribuir com a divulgação de produção científica desse campo e contribuir com sua compreensão e o desenvolvimento teórico. Também busca abrir espaços de diálogo intercultural e multidisciplinar sobre temas correlatos às relações inter étnico-raciais compreendidas em termos abrangentes.

A revista é editada pelos pesquisadores e pesquisadoras do Laboratório e Grupo de Estudos em Relações Interétnicas (LAGERI) e do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Movimentos Indígenas Políticas Indigenistas e Indigenismo (LAEPI), ambos do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Brasília (UnB). respectivamente vinculados ao Departamento de Antropologia (DAN) e ao Departamento de Estudos Latino-americanos (ELA). O LAGERI e o LAEPI são espaços de pesquisa e extensão que promovem diversas atividades de debate sobre investigações em elaboração ou em andamento, além de trabalhos finalizados e publicações acadêmicas.

No quadriênio 2013-2016, a Interethnica foi classificada no Qualis Periódicos, avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), como: B2 em Antropologia.

Indexações: OJS, Qualis, PKP/Index, Sumários, Diadorim, Livre.

Apoio institucional UnB: UnB, ICS, ELA, DAN, LAEPI, LAGERI, BCE, Portal de periódicos UnB.

PARCERIAS

Rede de Estudos Ameríndios (REA)

Esta parceria editorial, vigente desde 7 de outubro de 2013, busca promover os seguintes objetivos:

  1. O planejamento e publicação bilíngue de textos e números especiais entre dois ou mais periódicos da rede de acordo com suas normas editoriais;
  2. A indicação de pareceristas para dinamizar e internacionalizar o processo de aprovação, revisão e publicação de textos e números especiais bilíngues nos periódicos da rede e em conformidade com suas normas editoriais;
  3. O planejamento e realização de conferências, seminários, encontros e oficinas em reuniões científicas para promover os estudos ameríndios; e
  4. A divulgação e distribuição dos periódicos nas comunidades antropológicas, organizações indígenas e indigenistas, movimentos indígenas e povos indígenas da América Latina, América do Norte e Caribe.

Este acordo se origina da iniciativa dos seguintes periódicos:

Esses periódicos são livres para promover o contato direto com um ou mais periódicos da rede para a realização das atividades aqui previstas, sem que para isto seja necessário realizar consultas prévias junto aos demais participantes da REA.