A FORMAÇÃO DE TRADUTORAS E TRADUTORES NO ENSINO SUPERIOR

2018-12-20

Chamada Para Número Regular Temático

A formação de tradutoras e tradutores no ensino superior

 

Organização:

Prof. Dr. José Luiz Vila Real Gonçalves (UFOP)

Dra. Patrícia Rodrigues Costa (Pós-doutoranda POSTRAD/UnB)

 

A formação de tradutores(as) em meio acadêmico data do final do século XIX na Argentina, China e Alemanha. Porém, somente em meados do século XX é que a criação de cursos superiores em Tradução começou a tomar fôlego no continente americano e europeu. No Brasil, a formação de tradutores(as) em Instituições de Ensino Superior (IES) começou a ser trilhada no final da década de 1960 graças à publicação da Lei nº 5.540, de 28 de novembro de 1968 (Lei de Diretrizes e Bases). 50 anos após a publicação dessa lei, mesmo a profissão de tradutor(a) sendo reconhecida, mas não regulamentada, temos no território brasileiro diversos programas de graduação voltados à formação de tradutores(as), em sua maioria de línguas orais.  

O interesse em pesquisar sobre a formação de tradutores(as) tem se mostrado cada vez mais promissor tanto no Brasil quanto no exterior, tendo em vista que o número de artigos, de eventos, de dissertações e de teses que abordam o tema tem crescido cada vez mais. Entre eventos recentes que têm este tema como principal foco de discussão, podemos destacar os seguintes: International Conference on Teaching Translation and Interpreting (TTI), promovido pela Universidade de Łódź, Polônia, Consortium for Translation Education Research (CTER), promovido pela Universidade Jaguelônica e pela Universidade Pedagógica de Cracóvia, Polônia, Congrés internacional sobre investigació en Didàctica de la traducció (didTRAD), promovido pelo grupo PACTE da Universidade Autônoma de Barcelona, Espanha, e o Seminário de Pedagogia e Didática da Tradução (SEDITRAD), promovido pela Universidade de Brasília. Cursos de curta duração voltados para a formação de formadores em Tradução também têm se tornado cada vez mais comuns, como por exemplo: Training in Translation Pedagogy Program (TTPP) promovido pela Universidade de Ottawa, Canadá, e a escola de verão Training the Teacher of Literary Translation, promovida pela European School of Literary Translation (ESLT).

Com vistas a colaborar para a consolidação desse campo, convidamos pesquisadores(as) a apresentarem contribuições em formato de artigos, artigos traduzidos, resenhas de obras que versem sobre o tema, resenhas de traduções e entrevistas sobre os seguintes aspectos relacionados à formação de tradutores(as) de línguas orais e de sinais no Brasil no exterior:

  • Formação de tradutores(as) e de pesquisadores(as) em Tradução;
  • A avaliação na formação de tradutores(as) (avaliação de tradução, avaliação de tradutores(as) em formação, avaliação de tradutores(as) profissionais, avaliação de concepções curriculares e cursos);
  • A formação acadêmica de tradutores(as) frente às realidades do mercado de trabalho;
  • A formação contínua de formadores(as) de tradutores(as);
  • Abordagens interdisciplinares na formação de tradutores(as);
  • Aplicação das teorias educacionais à formação de tradutores(as);
  • Competência tradutória;
  • Competências do(a) formador(a) de tradutores(as);
  • Competências do(a) tradutor(a);
  • Concepções curriculares de cursos em Tradução (graduação, pós-graduação, formação continuada);
  • Elaboração de material didático com vistas à formação de tradutores(as);
  • História da formação de tradutores(as);
  • Metodologias inovadoras no ensino de Tradução;
  • O ensino a distância na formação de tradutores(as);
  • O ensino de línguas (materna e/ou estrangeira) na formação de tradutores(as);
  • O uso de tecnologias na formação de tradutores(as).

 

Prazo para envio das contribuições: 15 de novembro de 2019

Todas as contribuições devem ser enviadas pela plataforma da Revista Belas Infiéis.

Em suma, artigos redigidos em português devem seguir as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), artigos redigidos em línguas diferentes do português devem seguir as normas da Modern Language Association (MLA).

 

Para maiores informações, favor verificar as Diretrizes para autores:

http://periodicos.unb.br/ojs311/index.php/belasinfieis

 

E-mail:

belasinfieis@gmail.com