Sobre a estruturação de redes sociais em associações voluntárias: estudo empírico de organizações não-governamentais da cidade do Recife

Autores

  • Breno Augusto Souto Maior Fontes Universidade de Federal de Pernambuco
  • Klaus Eichner Universidade de Hamburgo

Palavras-chave:

ONG; redes sociais; Recife (PE); mobilização de recursos

Resumo

Este artigo tem por objetivo investigar os processos de estruturação das redes sociais em associações voluntárias, a partir de estudo empírico realizado em ONGs da cidade do Recife. Esta perspectiva de análise - o estudo do Terceiro Setor a partir da estruturação de seus atores em redes sociais - é bastante inovadora e permite alguns "insights" esclarecedores sobre o funcionamento das ONGs. Em primeiro lugar, a capacidade de uma ONG em mobilizar recursos para o seu funcionamento não é função exclusiva da relevância de sua missão. O sucesso de seu empreendimento depende da disponibilização dos recursos junto a diversos campos institucionais (governo, igreja, sociedade civil, cooperação internacional, etc.) e sua capacidade relativa pode ser medida comparativamente a outras ONGS a partir do desenho de suas redes sociais, que possibilita confrontar o montante de capital social disponível. Em segundo lugar, a estruturação das redes associativas permite verificar a dimensão dos vínculos institucionais, e como estes vínculos são mais ou menos importantes na determinação da agenda da ONG em questão. E se há um conflito (e em até que nível) nesta influência na determinação a partir de sua inserção institucional com a sua missão original. Os dados analisados provêm de pesquisa empírica realizada junto a 45 ONGs que atuam na cidade do Recife, entrevistadas a partir de amostra de bola de neve (snowball). Os dados foram tratados estatisticamente a partir dos softwares SPSS e UNICET (este específico para processamento de informações sobre redes sociais).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Breno Augusto Souto Maior Fontes, Universidade de Federal de Pernambuco

Professor do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade de Federal de Pernambuco.

Klaus Eichner, Universidade de Hamburgo

Professor do Instituto de Sociologia da Universidade de Hamburgo.

Referências

ABONG. As ONGs e a realidade brasileira. Cadernos da ABONG, v. 6, 1996.

BABBIE, Earl. The practice of social research Belmont, CA : Wadsorth, 1995.

BANDIELD, Edward. The moral basis of a backward society Chicago : The Free Press, The University of Chicago, 1958.

BURT, Ronald. The social structure of competition. In: NOHRIA, N; ECCLES, Robert G. Network organizations: structure, form and action Cambridge: Harvard Univesity Press, 1992.

CLARKE, Gerald. Non-governamental organizations and politics in the developing world. Swansea : Centre for Development Studies, University of Wales, 1996.

COHEN, Jean L; ARATO, Andrew. Civil society and political theory Cambridge, MA: The MIT Press, 1999.

COLEMAN, James. Foundations of social theory Cambridge, MA: Harvard University Press, 1994.

DOUGLAS, James. Political theory of nonprofit organization. In: POWELL, Walter (Org.). The non profit sector: a research handbook New Haven : Yale University Press, 1987. p 43-54.

EPSTEIN, Richard. A reconciling individual liberty with the Common Good Reading, Mass : Perseus Book, 1998.

FONTES, Breno A. S. M. Movimentos sociais: produção e reprodução do sentido Recife : Ed. UFPE, 1999.

FRITS, W. NGOs in Latin América: past strategies, current dilemmas, future challenges Oxford, England : INTRAC (The International NGO Training and Research Centre), 1995. (Occasional Paper Series, n. 8).

GODBOUT, Jacques. L'esprit du don Paris : La Découverte, 1992.

GOHN, Maria da Glória. Cidades e ONGs: novas parcerias, novos atores. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPUR, 4. 1995. (Sessão temática: Agentes e Novas Formas de Interação Sócio-Espacial). Brasília, 1995.

GRANOVETTER, Mark. The strenght of weak ties: a network theory revisited In: ALBANY CONFERENCE on contributor of networks analysis to structural sociology. 1981.

HABERMAS, Jürgen. Raison et légitimité: problèmes de legitimation dans le capitalisme avancé Paris : Payot, 1978.

KISH, Leslie. Survey sampling. New York : Wiley Interscience, 1995.

KURTZ, Robert. Para além do Estado e mercado: autonomia de organizações comunitárias permite superar previsões da economia totalitária. Folha de S. Paulo, 3 dez. 1995, Caderno Mais, p. 15.

LANDIM, Leilah. The nonprofit sector in Brazil. In: ANHEIER, Helmut et al. Defining the nonprofit sector: a cross national analysis Manchester : Manchester University Press. 1998.

LAVILLE, Jean Louis. L'économie solidaire: une perspective internationale Paris : Desclée de Brower, 1994.

MARYKOUSKY, Barry et al. The seeds of weak power: an extension of network exchange theory. American Sociological Review, n. 58, p.197-209, 1993.

MAUSS, Marcel. The gift: the form and reason for exchange in archaic societies London : W.W. Norton, 2000.

MELO, Marcus André. As ONGs no Brasil Recife, 1997. (mimeogr).

NAVARRO, Juan Carlos (Ed.). Community organizations in Latin America. Washington DC : Inter-America Development Bank, 1997.

OFFE, Klaus. Problemas estruturais do Estado capitalista Rio de Janeiro : Tempo Brasileiro, 1975.

OTTAWAY, Marina. Strengthening civil society in other countries. The Chronicle of Higher Education, june 29, 2001.

PANFICHI, Aldo. Networks and identities among urban poor in Lima, Peru In: LASA INTERNATIONAL CONGRESS, 1997, Guadalajara, Mexico. Panel POL41 (Networks and Political culture. Argentina, Brazil and Peru) 1997.

POWELL, Walter W; CLEMENS, Elisabeth S. Private action and the public good New Haven : Yale University Press, 1998.

PUTNAM, Robert. Making democracy work: civic traditions in modern Italy Princenton : Princenton University Press, 1993.

PUTNAM, Robert. Bowling alone: the collapse and revival of American community New York : Simon and Schuster, 2000.

ROSANVALLON, Pierre. La crise de l'Etat Providence Paris : Sueil, 1981.

________. La nouvelle question sociale Paris: Sueil, 1995.

SCHERER-WARREN, Ilse. ONGs: os novos atores da "aldeia global". Paper apresentado no GT01 Cidadania, conflito e transformações urbanas, na XX Reunião Anual da ANPOCS, Caxambu, MG, out. 1996.

SCOTT, John. Social network analysis: a handbook London : Sage, 1997.

SMITHT, Steven Rathgeb; LIPSKY, Michael. Nonoprofits for hire: the welfare state in the age of contracting Cambridge, MA : Harvard University Press, 1994.

TOCQUEVILLE, Alexis de. A democracia na América Belo Horizonte : Itatiaia, 1977.

WASSERMAN, Stanley; FAUST, Katherine. Social network analysis: methodos and applications Cambridge, UK: Cambridge University Press, 1998.

WUTHNOW, Robert. Loose connections: joining together in America's fragmented communities Cambridge, MA : Harvard University Press, 1998.

Downloads

Publicado

12-08-2022

Como Citar

Fontes, B. A. S. M. ., & Eichner, K. . (2022). Sobre a estruturação de redes sociais em associações voluntárias: estudo empírico de organizações não-governamentais da cidade do Recife. Sociedade E Estado, 16(01 e 02), 186–221. Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/sociedade/article/view/44628

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.