O teletrabalho na pandemia da covid-19: uma nova armadilha do capital?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/s0102-6992-202136030005

Palavras-chave:

Teletrabalho, Regulação, Precarização, Pandemia.

Resumo

Esse artigo tem por escopo discutir o fenômeno do teletrabalho, que foi impulsionado em razão do contexto da pandemia do Covid-19 em 2020. Destaca-se que a nova narrativa do capital, que, ao tempo que exalta seus benefícios, tende a ocultar os riscos, bem como as possibilidades de reformulação dos ganhos empresariais na exploração do trabalho humano. Para tanto, revisa-se o novo cenário do trabalho, a partir do contexto da denominada “modernização” das relações laborais, considerando os processos de intensificação das jornadas, de apropriação do espaço privado da residência dos trabalhadores, de compatibilização entre trabalho e tarefas reprodutivas, sobretudo por mulheres, de isolamento em relação aos coletivos de trabalho e suas articulações políticas, bem como de sofrimento e adoecimento psíquico.  A partir de bibliografia pertinente e da análise de dados secundários sobre o teletrabalho na atualidade é problematizada a regulação incidente sobre esses trabalhadores, como elemento conformador do fenômeno.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Durães, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)

Doutor em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), professor do Programa de Pós-Graduação em Política Social Territórios (POSTERR) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia e de Sociologia da mesma instituição e Pesquisador do CRH/UFBA. Membro da Direção Nacional da Associação Brasileira de Ensino de Ciências Sociais (ABECS; Gestão 2020-2022). 

Maria Aparecida da Cruz Bridi, Universidade Federal do Paraná - UFPR

Doutora em Sociologia pela UFPR. Professora Associada do Departamento de Sociologia e Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFPR. É coordenadora do Grupo de Pesquisa Trabalho e Sociedade, pesquisadora da REMIR e vice-presidente da Associação Brasileira de Estudos do Trabalho (ABET).

Renata Queiroz Dutra, Universidade de Brasília (UnB)

Doutora e Mestra em Direito pela UnB. Professora Adjunta de Direito e Processo do Trabalho da Universidade de Brasília. Pesquisadora da Rede Estudos e Monitoramento Interdisciplinar da Reforma Trabalhista (REMIR)

Referências

ALVES, Giovanni. Trabalho e subjetividade. São Paulo: Editora Boitempo, 2011.

ANTUNES, Ricardo. Coronavírus: o trabalho sob fogo cruzado. São Paulo: Boitempo, 2020.

BRASIL. Lei nº 13.467, de 13 de julho de 2017. Altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei 5.452, de 1º de maio de 1943, e as Leis 6.019, de 3 de janeiro de 1974, 8.036, de 11 de maio de 1990, e 8.212, de 24 de julho de 1991, a fim de adequar a legislação às novas relações de trabalho.

______. Lei 12.551, de 15 de dezembro de 2011. Altera o art. 6º da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei 5.452, de 1º de maio de 1943, para equiparar os efeitos jurídicos da subordinação exercida por meios telemáticos e informatizados à exercida por meios pessoais e diretos.

BRIDI, Maria Aparecida. Teletrabalho em tempos de pandemia e condições objetivas que desafiam a classe trabalhadora. In: OLIVEIRA, Dalila Andrade; POCHMANN, Marcio (Orgs.) A devastação do trabalho: a classe do labor na crise da pandemia. Brasília: Gráfica e Editora Positiva; Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e Grupo de Estudos sobre Política Educacional e Trabalho Docente, 2020a.

______. A pandemia Covid-19: crise e deterioração do mercado de trabalho no Brasil. Estudos Avançados, v. 34, n. 100, p. 141-166, 2020b.

BRIDI, Maria Aparecida; BOHLER, Fernanda., ZANONI, Alexandre. Relatório técnico-científico da pesquisa (parte 1): o trabalho remoto/home-office no contexto da pandemia Covid-19, [recurso eletrônico]. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, Grupo de Estudos Trabalho e Sociedade, 2020.

CUIDAR VERBO COLETIVO: Entrevistadoras: Bruna Angotti; Regina Vieira. Entrevistada: Bárbara Castro. [S.l.]. Episódio 5: Trabalho, precarização e pandemia. 31 mai. 2020. Podcast: <https://open.spotify.com/episode/0YDWIrZWKVQxrhkXngyUHv>. Acesso em: 25 Ago. 2020.

» https://open.spotify.com/episode/0YDWIrZWKVQxrhkXngyUHv

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

DEJOURS, Christophe. A banalização da injustiça social. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas, 2006.

DRUCK, Graça. Trabalho, precarização e resistências: novos e velhos desafios? Caderno CRH, v. 24, n. 1, p. 37-57, Salvador, 2011.

DRUCK, Graça; DUTRA, Renata e SILVA, Selma Cristina. A Contrarreforma neoliberal e a terceirização: a precarização como regra. Caderno CRH [online], v. 32, n. 86, p.289-306, 2019. Disponível em: <https://doi.org/10.9771/ccrh.v32i86.30518>.

» https://doi.org/10.9771/ccrh.v32i86.30518

HARVEY, David. A condição pós-moderna. 8. ed. São Paulo: Edições Loyola, 1999.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pnad-COVID 2020. Disponível em: <https://covid19.ibge.gov.br/pnad-covid/>. Acesso em: 28 Dez. 2020.

» https://covid19.ibge.gov.br/pnad-covid

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA (IPEA). GÓES, Geraldo S.; MARTINS, Felipe S.; NASCIMENTO, José Antônio S. do. Potencial de teletrabalho na pandemia no Brasil e no mundo. Carta de Conjuntura, n. 47, 2º trimestre, 2020. Disponível em: <https://www.ipea.gov.br/cartadeconjuntura/index.php/2020/06/potencial-de-teletrabalho-na-pandemia-um-retrato-no-brasil-e-no-mundo/>.

» https://www.ipea.gov.br/cartadeconjuntura/index.php/2020/06/potencial-de-teletrabalho-na-pandemia-um-retrato-no-brasil-e-no-mundo

KREIN; José Dari; PRONI, Marcelo W. Economia informal: aspectos conceituais e teóricos. Brasília: OIT, 2010.

KREIN, José Dari, VÉRAS DE OLIVEIRA, Roberto. Os impactos da Reforma nas condições de trabalho. In: KREIN, José Dari Krein; VÉRAS DE OLIVEIRA, Roberto; FILGUEIRAS, Vitor Araújo. Reforma trabalhista no Brasil: promessas e realidade. Campinas, SP: Curt Nimuendajú, 2019.

LIMA, Ângela M. de S. As faces da subcontratação do trabalho: um estudo com trabalhadoras e trabalhadores da confecção de roupas de Cianorte e região. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Campinas: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), 2009.

OLIVEIRA, Dalila Andrade; POCHMANN, Marcio (Orgs.) A devastação do trabalho: a classe do labor na crise da pandemia. Brasília: Gráfica e Editora Positiva; Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e Grupo de Estudos sobre Política Educacional e Trabalho Docente, 2020.

OLIVEIRA, Daniela R. de. Do fim do trabalho ao trabalho sem fim: o trabalho e a vida dos trabalhadores digitais em Home Office. Tese (Doutorado em Sociologia) - Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2017.

ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (OIT). Elementos-chave para um teletrabalho eficaz durante a pandemia de COVID-19. Brasília: OIT, Mar. 2020. Disponível em: <https://www.ilo.org/brasilia/noticias/WCMS_740097/lang--pt/index.htm>. Acesso em: 25 Ago. 2020.

» https://www.ilo.org/brasilia/noticias/WCMS_740097/lang--pt/index.htm

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS). O impacto da pandemia na saúde mental das pessoas já é extremamente preocupante. Brasília: OMS, 14 Maio 2020. Disponível em: <https://nacoesunidas.org/oms-o-impacto-da-pandemia-na-saude-mental-das-pessoas-ja-e-extremamente-preocupante/>. Acesso em: 25 Ago. 2020.

» https://nacoesunidas.org/oms-o-impacto-da-pandemia-na-saude-mental-das-pessoas-ja-e-extremamente-preocupante

ROSENFIELD, Cinara L.; ALVES, Daniela. Autonomia e trabalho informacional: o teletrabalho. Revista de Ciências Sociais. v. 54, n. 1, p.207-233, 2011.

SCHWAB, Klaus. The fourth industrial Revolution. Genève, CH: World Economic Forum, 2016.

SENNETT, Richard. A corrosão do caráter: o desaparecimento das virtudes com o novo capitalismo. Rio de Janeiro: Bestbolso, 2012.

SLEE, Tom. A nova onda do trabalho precarizado. São Paulo: Editora Elefante, 2017.

SOUTO MAIOR, Jorge Luiz. Do direito à desconexão do trabalho, 2003. Disponível em: <https://www.jorgesoutomaior.com/uploads/5/3/9/1/53916439/do_direito_ %C3%A0_desconex%C3%A3o_do_trabalho..pdf 2003>. Acesso em: 14 Maio 2020.

» https://www.jorgesoutomaior.com/uploads/5/3/9/1/53916439/do_direito_ %C3%A0_desconex%C3%A3o_do_trabalho..pdf

SRNICEK, Nick. Platform capitalism. Cambridge, UK; Malden, MA: Polity Press, 2016.

WEBTV DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA (UFRB TV). Saúde mental e trabalho remoto em tempos de pandemia. Webinar apresentado por Marcelo Veras. [youtube, UFRB TV, 13.05.2020], 2020. Divulgado pelo Canal UFRB TV. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=uDuuGU6lV94>. Acesso em: 08 Set. 2020.

» https://www.youtube.com/watch?v=uDuuGU6lV94

ZUBOFF, Shoshana. Big other: capitalismo de vigilância e perspectivas para uma civilização de informação. In: BRUNO, Fernanda et al. (Orgs.). Tecnopolíticas da vigilância: perspectivas da margem. São Paulo: Boitempo, 2018.

Downloads

Publicado

24-11-2021

Como Citar

Durães, B., da Cruz Bridi, M. A., & Dutra, R. Q. (2021). O teletrabalho na pandemia da covid-19: uma nova armadilha do capital?. Sociedade E Estado, 36(03), 945–966. https://doi.org/10.1590/s0102-6992-202136030005

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.